27 de ago de 2015

[Falando em]: EXTRA — de Elizeu Cadena

Já faz algum tempo que não faço resenha alguma por aqui. Porém, agora, apresento-lhes meu parecer sobre EXTRA. Aliás, eu participei de uma promoção, direto da linha do tempo dele, e, por sinal, ganhei um exemplar (ou melhor, três exemplares). P.S: Obrigada, Elizeu! S2 Agora vamos a sinopse, book trailer que eu tive o prazer de editar e a resenha de "EXTRA", primeiro livro do autor Elizeu Cadena, uma publicação independente.


Sinopse: "O amor é um sentimento único e viral. Do clichê fantasioso ao real, esse sentimento devastador está presente no coração de todas as pessoas. Só é capaz de amar quem sente o amor. EXTRA foca na profundidade do amor, o que ele é capaz de fazer com a mente humana e como ele age, destruindo e curando corpos, tocando e arruinando corações. São 17 contos e 13 poemas recheados desse sentimento extasiante. Pode até ser exagero do autor, mas a verdade é que nesse livro o amor deixa de ser um simples estereótipo, tornando-se o panorama da realidade contemporânea que vive no interior dos jovens apaixonados."

P.S: Vídeo editado por Simone Pesci
"Quero te sentir
Quero te tocar
Quero te sorrir 
Quero te beijar
Me sinta...
Te sinto...
Simplesmente sinto..."
(Livro: EXTRA  Pág.75)

Trata-se de um livro de contos e poemas, escrito por um jovem autor provido de coração, e, pelo seu conteúdo, envolto em sentimentos intensos. Ao menos foi essa a impressão que tive, o que não desabona em nada a obra, pelo contrário, só engrandece. As primeiras páginas são com contos, e o que eu mais curti foi o segundo conto, chamado "Morte em Grupo".
Percebo que antes de a bala penetrar na minha pele, uma lágrima rola pelo meu rosto, demorando-se a cair. Percebo também duramente que um amor, qualquer que seja, sempre morre, e ele sempre morre em grupo. (Livro: EXTRA  Pág.15)
Elizeu tem alma de poeta, o que eu aprecio muito. \o S2 E como diz no book trailer, pode até parecer exagero do autor, mas a verdade é que neste livro, nos deparamos com uma cruel realidade, ou seja, o lado feio do amor, aquele que nos faz sofrer. Porém, o autor conseguiu colocar tudo de forma clara, com conteúdo refletivo. Os contos são curtos e narrados em terceira pessoa, e ambos  contos e poesias  são de fundo emocional. 

Eu amei a capa (singela e delicada), assim como o autor transparece ser; sua diagramação é simples, porém, em algumas das páginas encontramos algumas artes, ou seja, desenhos feitos pelo próprio autor e alguns de seus amigos, esboçando o sentimento que ali foi descrito. Por fim, para quem curte contos e poesias, fica a dica. \o

Livro: EXTRA
Autor: Elizeu Cadena
Gênero: Contos e Poesias
Publicação: Independente
Ano: 2014
Páginas: 88

26 de ago de 2015

AUTORES QUE AS EDITORAS EVITAM - POR ELAINE VELASCO

Para que seu livro seja aprovado e publicado por uma editora, você precisa saber que tão importante quanto a qualidade de sua obra – para não dizer mais importante – é o seu comportamento enquanto escritor. As editoras estão sempre atentas aos novos escritores, à repercussão de seus trabalhos, como eles tratam seus leitores, se são pessoas instáveis, problemáticas, idôneas. Não se engane: há profissionais da literatura “infiltrados” em todos os meios, e qualquer deslize pode ser fatal. Já vi muito escritor que por mais promissor que fosse, não era contratado por nenhuma editora, simplesmente porque gozava de má fama. Vou listar os dez tipos mais comuns, para que você não corra o risco de se tornar um deles, e consequentemente, persona non grata para editoras.

1 – Autor barraqueiro: Esse, é de longe, o pior tipo. É aquele autor que discute publicamente com blogueiros, com leitores, com editores, com a família, com os amigos, enfim, com qualquer um, sem o menor pudor. O motivo principal de sua fúria, são críticas aos seus livros, mas sua ira pode ser desencadeada por qualquer outra razão, desde pessoais, até questões de maior amplitude, tal como posicionamento político, religioso, etc.

2 - Autor ansioso: Outro tipo que afugenta qualquer editora é o tipo ansioso. O cara envia a obra para ser analisada pela editora e se não recebe uma resposta em um mês, começa a telefonar, mandar e-mail, mensagens nas redes sociais. É preciso entender que cada editora tem um prazo – que costuma variar entre 6 meses a 1 ano – e que ela recebe dezenas, às vezes centenas de originais por dia, e eles são avaliados de acordo com a ordem de chegada.

3 – Autor invejoso: Aquele que não suporta ver o sucesso dos colegas. Ao invés de se concentrar em seu próprio trabalho e talvez até – por que não? – espelhar-se no outro que está chamando tanta atenção, para de repente, inspirado por ele, conseguir alavancar também a sua obra, esse autor fica provocando intrigas, espalhando boatos e destilando veneno por onde passa. Também fica cobrando “atenção” da editora, porque julga que o outro está recebendo mais investimento, mais divulgação. Fica irritadíssimo se não é convidado para eventos, pois odeia ser excluído.

4 – Autor arrogante: O livro dele é o mais perfeito de todo o universo. Não tolera que ninguém faça qualquer tipo de crítica ou sugestão sobre o seu texto, tão primoroso. Acha que todos têm inveja do seu trabalho, por isso o criticam, ou então, são um bando de ignorantes que não entenderam o que ele quis dizer.

5 – Autor pão-duro: É aquele autor que se recusa terminantemente a gastar um centavo que seja na publicação ou divulgação de seu livro. Ele acha que seu livro é tão bom, tão relevante, tão original, que a editora deve considerar uma honra ter a oportunidade de publicá-lo, e por isso, deve, além de publicar e divulgar seu livro sem cobrar nada – mesmo ele sendo um ilustre desconhecido – ainda custear suas viagens e quem sabe, até lhe pagar os direitos autorais adiantado, afinal, o sucesso do livro é garantido.

22 de ago de 2015

[DEGUST]: DEZESSEIS - A ESTRADA DA MORTE

Está a fim de conferir os três primeiros capítulos de "Dezesseis - A Estrada da Morte"? Se a resposta é SIM, clique para ler logo abaixo ou então envie um email com o título "Degust - Dezesseis" para: simoniass@hotmail.com  >>>  O pdf com os três primeiros capítulos é com a mesma diagramação da versão impressa, ou seja, a mesma diagramação que está online no ISSUU, feita divinamente pela autora e diagramadora Gisele G. Garcia. Bem-vindos à estrada da morte! \o/ \o/ \o/


P.S: O livro já está em pré-venda direto comigo ou no site da Tribo das Letras.

[PRÉ-VENDA]: #DAEDM

Pessoal,

Já está em pré-venda, com prazo de entrega para o início de Setembro, o meu segundo livro: "Dezesseis - A Estrada da Morte". Eu encomendei apenas 100 exemplares, sendo que alguns deles já tem destino certo. O valor comigo é R$35,00 com o frete incluso. Vocês também podem adquiri-lo no site da Editora Tribo das Letras, clicando AQUI. O valor no site é um pouco menor, porém, somando ao frete, acredito que ficará um pouco mais caro do que se comprar comigo. Bem-vindos à estrada da morte! ;)


Sinopse: João Roberto, conhecido por todos como Johnny — O Rei dos Pegas — acabara de completar “Dezesseis”. Estereotipado como “rebelde sem causa”, levava uma vida desregrada, ao lado dos amigos, mostrando-se o cara legal e o maioral. Desejado por muitas garotas, sempre vencia os rachas que participava. Porém, ele não contava com um sobressalto do destino... Assim, apaixonou-se por Ana Cláudia, uma linda e doce garota que se tornaria sua salvação, bem como sua perdição. Dentre tantos conflitos e percalços para ficar ao lado de seu grande amor, Johnny entra de cabeça em uma disputa com destino à estrada da morte.

Inspirado na canção “Dezesseis” — da banda brasileira Legião Urbana — este é um enredo de amor recheado com muitas aventuras.

Apaixone-se, retorne no tempo, relembre seus “Dezesseis”... e seja, você também, um “rebelde sem causa”...

Edição de vídeo: Simone Pesci

Livro: Dezesseis - A Estrada da Morte
Autora: Simone Pesci​
Gênero: Romance
Editora: Tribo das Letras
ISBN: 978-85-5560-010-4
Páginas: 318
 Ano: 2015

[CREDENCIAMENTO]: BIENAL 2015

Amores,

Já abriu o credenciamento para a Bienal 2015. Lembrando que este credenciamento é válido somente para: autores, blibliotecários, professores, profissionais do livro, blogueiros, vlogues e booktubers. A Bienal este ano será no Rio de Janeiro, de 03 a 09/09/15.

**Para autores, blibliotecários, professores e profissionais do livro, clique AQUI.
**Para blogueiros literáiros, vlogues e booktubers, clique  AQUI.

[PRÓLOGO]: ENTRE O CÉU E O INFERNO - DE SIMONE PESCI

Eu tentava fugir, mas era em vão. Não havia escolha senão percorrer os dois caminhos, Céu e Inferno. Contudo, o inferno conseguia tomar posse da minha mente e do meu corpo. E o céu, entrava em desespero ao me ver na escuridão.

Eu tentava, de todas as maneiras possíveis, acompanhar o céu. E por algum tempo, consegui fazer com que ele me acompanhasse. E mesmo sabendo que o faria sofrer mostrando esse caminho obscuro, eu ainda insistia para que ele me seguisse.

Depois de um tempo, meu céu preferiu rumar seu árduo e notável caminho ao paraíso. Mas eu insistia em viver nas sombras do inferno. E quando eu achava que tudo estava perdido, ele — o meu céu — voltou a mostrar-me o caminho da luz. Desta vez, decidi segui-lo sem hesitar. Eu só não contava com um detalhe, de que meu inferno, não me deixaria entrar no paraíso e faria de tudo para que eu caminhasse em sua companhia para o purgatório. Foi quando tomei uma decisão que mudaria todo o curso da minha vida e da vida de pessoas que eu muito amava. Porém, céu e inferno não deixariam isso barato e se enfrentariam por conta dessa decisão.


Céu e Inferno


                Quem venceria essa batalha?

**A VENDA, EM FORMATO EBOOK, CLICANDO AQUI.

[DIVULGAÇÃO]: PARCEIROS TDL

Atenção:

Blogueiros parceiros que estarão na Bienal 2015, não se esqueçam de passar em nosso estande e falar com um de nossos representantes. Temos uma surpresa para vocês.

**Visite nosso site, clicando AQUI.

[Quotes]: Dezesseis - A Estrada da Morte

Como estão, morécos? Espero que tudo bem!
Abaixo, segue dois novos quotes de "Dezesseis - A Estrada da Morte".


QUOTE 1

Por fim, ele era músculos e eu agilidade... Eu desconfiava da minha derrota em uma queda de braço. No entanto, tinha certeza da minha vitória em um racha.
 Se eu ganhar, levo a Ana pra casa!  provoquei-o, dando um sorriso de canto.
Ele encarou-me com brasas nos olhos, prendendo a respiração e tentando se conter. Segundos depois, em contrapartida, anunciou:
 Então vamos lá, pé na tábua... Se eu vencer, levo o seu Opala!  também sorriu de canto ao apostar a minha preciosidade.


QUOTE 2

 O que está pensando, Johnny?
 Alegria que transborda!
 O quê...?  perguntou confusa.
 É difícil traduzir em palavras, anjo. Sinto uma alegria irreal. Ela transborda por todos os lados, de uma maneira que chega a ser assustador. É como se eu não fosse merecedor de toda essa alegria.
Ela beijou-me o peito, bem onde estava o meu coração. Fitei-a nos olhos, e notei o quanto seus olhos também transbordavam alegria.
 Estou me sentindo desta mesma forma.  relatou.
 Como...?  perguntei a ela.
 Sei lá, é uma sensação estranha! Nós somos tão parecidos.  entrelaçou seus dedos aos meus.
 Nós somos muito diferentes, anjo! Eu sou um maluco irresponsável, que está tendo a chance de deixar de ser um babaca.


JÁ EM PRÉ-VENDA

15 de ago de 2015

[MEGA SORTEIO]: KIT 4

A Tribo das Letras está comemorando os lançamentos da Bienal 2015, e para isso fará 7 sorteios, com seus novos títulos, em kits que são de encher os olhos. E, Dezesseis - A Estrada da Morte está junto de tantos outros 'maravilhosos livros', no Kit 4. \o/ Cada banner corresponde a um sorteio, sigam as regras e boa sorte!!!

**Para participar do sorteio, clique AQUI.

[TEXTO]: KARMA

Primeiro fique sozinho.
Primeiro comece a se divertir sozinho.
Primeiro amar a si mesmo.
Primeiro ser tão autenticamente feliz, que se ninguém vem, não importa; você está cheio, transbordando.
Se ninguém bate à sua porta, está tudo bem.
Você não está em falta.
Você não está esperando por alguém para vir e bater à porta.
Você está em casa.
Se alguém vier, bom, belo.
Se ninguém vier, também é bom e belo.
Em seguida, você pode passar para um relacionamento.
Agora você se move como um mestre, não como um mendigo.
Agora você se move como um imperador, não como um mendigo.
E a pessoa que viveu em sua solidão será sempre atraídos para outra pessoa que também está vivendo sua solidão lindamente, porque o mesmo atrai o mesmo.
Quando dois mestres se encontram - mestres do seu ser, de sua solidão -felicidade não é apenas acrescentada: é multiplicada.
Torna-se uma tremendo fenômeno de celebração.
E eles não exploram um ao outro,, eles compartilham.
Eles não utilizam o outro.
Em vez disso, pelo contrário, ambos tornam-se UM e desfrutam da existência que os rodeia.

(Osho)

14 de ago de 2015

[DIVULGANDO]: LANÇAMENTOS TDL - BIENAL 2015

Olá, amores!

Venho com um post de encher os olhos, afinal de contas, estamos  bem próximos da Bienal 2015. \o/ Aliás, é com prazer que divulgo os novos e excelentes títulos que estarão a venda no estande da Tribo das Letras. Estou mega feliz de fazer parte deste time. \o/ Para quem ainda não conhece a TDL, seu 'carro-chefe' é o gênero hot, porém, a partir deste ano, ela inovou, criando um novo selo chamado Métrica, que destaca-se por cores e gêneros, ampliando seu catálogo para todos os gostos. Agora, trago para vocês uma extensa lista com os novos títulos que estarão a venda. Lembrando que o evento acontecerá de 04 a 13/09/15, no Rio de Janeiro. O post é um tanto grande, mas garanto: vale a pena conferir. \o/\o/\o/

Abraços mega literários em todos,  

Simone Pesci


Sinopse: A cidade de Melby, cujo sol reina a maior parte do ano, é apenas lembrada por sediar a consagrada Universidade de Melby.
Laura Paggen é uma das poucas moradoras da cidade que frequenta a universidade local. Ela divide com seu professor Anderson Smith a empolgação de ter naquele ano, como parte do corpo docente, o físico indicado ao prêmio Nobel, Sayid Munladde. Em segredo com o governo norte-americano, ele saiu da Arábia Saudita com o intuito de ministrar aulas e formular mais de suas teorias.
No dia de sua chegada, várias figuras importantes de Melby, incluindo Laura e seu professor, se encontraram para recebê-lo, mas, quando o saudita se aproximou, o professor Smith teve certeza: aquele não era Sayid Munladde!
Com apenas sua aluna para acreditar nele, o físico, que é o único que realmente conhecia o árabe pessoalmente, arrasta a jovem para desvendar esse mistério.
Laura e Smith embarcam em um enigma muito mais profundo do que se poderia imaginar, que nos embevece a cada página.



Sinopse: Quando Valentina completou doze anos, seus pais a entregaram a um padrinho para que ela pudesse receber uma boa educação e desfrutasse de uma vida melhor.
Os anos se passaram e Valentina se transformou em uma bela mulher. O seu padrinho, Hugo, sempre tão atencioso, tornou-se a sua grande paixão e em seus braços ela descobriu o prazer.
A questão é que Hugo Rosenthal, que utiliza o sexo como forma de demonstrar força e superioridade, sente um amor doentio por Valentina e é capaz de qualquer coisa para não perder o domínio que tem sobre ela.
Determinada a conquistar a sua independência e a trilhar o seu próprio caminho, Valentina elabora um arriscado plano e foge, mas sabe que o seu passado não a deixará em paz. Conhece muito bem Hugo e os métodos que ele utiliza para conseguir o que quer e teme que o pior aconteça.
Enquanto Valentina luta para chegar ao seu propósito, conhece Max, um doce e gentil veterinário, e todas as suas certezas são abaladas. Se o sexo para ela já foi jogo, armadilha, dominação, o fundo do poço… Com ele é abrigo, aconchego, paz, plenitude, lar.
Risco Calculado é uma história de amor, de vários tipos de amor, mas é também uma história de ódio. E quando esses dois sentimentos se confundem ou se confrontam tudo pode acontecer…




Sinopse: Marcelly Andrade tinha a vida que sempre sonhou. Após se formar na faculdade, conquistar seu amor de infância e virar sócia de um negócio em ascensão, pensou que seria feliz para sempre, no entanto uma curva traiçoeira mudou radicalmente seu percurso e um triste acidente levou seu porto seguro.

Após perder seu namorado se viu sozinha, perdida de si mesma e um diagnóstico torna seu sonho de ser mãe impossível. Acreditando não ser mais capaz de ser feliz se dedica apenas ao trabalho, porém, duas meninas perdidas no parque podem trazer consigo um novo destino para Marcelly.

De forma inesperada ela descobrirá que na vida podemos encontrar varias formas de amar e um romance avassalador a espera. Venha desvendar essa história de superação e amor.

8 de ago de 2015

[SEMANA #DAEDM]: DIA 07

Chegamos ao último dia da "Semana: Dezesseis - A Estrada da Morte". Antes de qualquer coisa, quero agradecer aos blogs participantes, pois sem eles essa semana não seria possível. Também agradeço a todos que, de uma forma ou de outra, visitou as postagens, comentado, compartilhando, enfim, divulgando e ansiando por Johnny e sua trupe. Saibam que #DAEDM foi escrito com o coração para tocar corações. Espero que todos curtam e que eu consiga atingir o meu propósito: tocar o âmago do leitor. Afinal de contas, este sempre foi o meu objetivo.

Dezesseis será lançado no próximo mês (em Setembro), na Bienal 2015, pela editora Tribo das Letras. Provavelmente estarei por lá no primeiro final de semana (ainda não é certeza), mas estou fazendo 'o impossível' para isso. Anseio por muitos abraços quentinhos e estou doida para apresentar Johnny e sua trupe para todos. Para quem ainda não sabe, o enredo foi inspirado na canção Dezesseis da saudosa e lendária banda brasileira Legião Urbana. Deixarei abaixo os links das redes sociais e também um de degustação, com sinopse, apresentação, prefácio, prólogo e capítulo 1 no Wattpad. Também deixarei os links de todas as postagens que foram feitas aqui no meu blog, junto dos links dos blogs parceiros. Obrigada meu Deus, por essa semana de divulgação maravilhosa!!!

Um mega abraço em todos,

Simone Pesci

Sejam bem-vindos à estrada da morte! \o/ \o/ \o/

**Leia a degustação no Wattpad, clicando AQUI.


Redes Sociais:

Blogs participantes: 
• Imagine Book 
• A Libri

7 de ago de 2015

[SEMANA #DAEDM]: DIA 6

Estamos no penúltimo dia de divulgação de "Dezesseis - A Estrada da Morte", o meu segundo livro que será lançado no próximo mês pela editora Tribo das Letras. E adianto que essa foi uma semana mais que especial, pois sei que de uma forma ou de outra, #DAEDM passou a ser conhecido por tantos novos leitores. Agora, neste penúltimo dia, apresento-lhes o book trailer. Desta vez, decidi não inserir a sinopse nele, mas sim tentar passar o que o enredo carrega consigo. Para quem não sabe, a obra foi insipirada na canção Dezesseis da lendária banda brasileira Legião Urbana. Basta ouvir a canção para ter noção do que virá por aí. Portanto, segue abaixo a sinopse e o BT. Sejam bem-vindos à estrada da morte! \o/ \o/ \o/


Sinopse: João Roberto, conhecido por todos como Johnny — O Rei dos Pegas — acabara de completar “Dezesseis”. Estereotipado como “rebelde sem causa”, levava uma vida desregrada, ao lado dos amigos, mostrando-se o cara legal e o maioral. Desejado por muitas garotas, sempre vencia os rachas que participava. Porém, ele não contava com um sobressalto do destino... Assim, apaixonou-se por Ana Cláudia, uma linda e doce garota que se tornaria sua salvação, bem como sua perdição. Dentre tantos conflitos e percalços para ficar ao lado de seu grande amor, Johnny entra de cabeça em uma disputa com destino à estrada da morte.

Inspirado na canção “Dezesseis” — da banda brasileira Legião Urbana — este é um enredo de amor recheado com muitas aventuras.

Apaixone-se, retorne no tempo, relembre seus “Dezesseis”... e seja, você também, um “rebelde sem causa”...

P.S: Vídeo editado por Simone Pesci

Blogs participantes:
• Imagine Book 
• A Libri

17 técnicas para captar a atenção do leitor nas primeiras linhas da história.

Eu encontrei este artigo vagando pela net e achei super válido repostá-lo aqui. Confiram:

---------- xxx ----------

Um texto de ficção é um convite de viagem a um universo alternativo que o leitor sempre pode recusar.

As primeiras linhas, os primeiros parágrafos, as primeiras páginas e os primeiros capítulos são definitivos no processo de decisão de leitura de um texto, e devem deixar claras as respostas para duas perguntas: qual é a história que você vai contar e como você vai fazer isso.

Imagine que você tem diante de si uma infinidade de portas fechadas. Começar a ler uma história é como abrir uma dessas portas. No início, você está espiando pela frestinha aberta, procurando por algo que lhe ajude a decidir se vale a pena entrar e explorar esse espaço.

Você ouve os diálogos, observa os personagens, analisa a locação e, acima de tudo, procura entender o sentido do que está acontecendo. O objetivo de todo escritor é deixar quem abre uma de suas portas inquieto, curioso, inspirado, entusiasmado com o que virá pela frente.
Nesse primeiro momento, o leitor está tentando entender a forma como você organizou a narrativa. 
Ele está a procura de uma moldura que o ajude a avaliar se o tema e o tom em que a história será contada são do seu interesse. São informações essenciais: quem é o protagonista e qual o conflito central da história. A partir dessas informações, o leitor avalia se prosseguirá na leitura do restante do texto.

O início da historia é um speed dating com o escritor, é sua chance de conquistar a simpatia do leitor. Seu objetivo é deixa-lo inquieto, curioso, inspirado, entusiasmado com o que virá pela frente na história.

Conheça 17 técnicas que vão lhe ajudar a captar a atenção do leitor já nas primeiras linhas.

1. Mistério 
“Era o décimo avião a aterrissar na minha cidade naquela manhã. Provavelmente um recorde para uma cidade que não tem um aeroporto”. Envolva os seus personagens em situações misteriosas já no início da história. Apresente um evento aparentemente sem sentido, ou algo que o leitor não consiga compreender completamente nesse ponto da história, e solucione o mistério mais tarde no enredo.

2. Provocação 
“Quanto mais livros você lê, mais idiota você fica.” Comece com uma afirmação dramática ou impopular. Desafie uma crença ou conhecimento estabelecido. Mesmo que seus leitores discordem de você instantaneamente, eles vão ficar curiosos para descobrir de onde você tirou essa ideia maluca.

3. Auto-análise 
“Sim, sou ciumenta. Descontroladamente ciumenta. E sempre achei que meu marido soubesse disso. Mas poucos segundos antes de puxar o gatilho, percebi na sua expressão que talvez ele não soubesse.” Inicie sua história com a reflexão de um personagem sobre uma de suas qualidades ou defeitos.

4. Caracterizando o protagonista 
“Tenho noventa anos. Ou noventa e quatro. Tenho quase certeza.” Inicie apresentando alguma característica curiosa sobre o personagem principal da sua história, mostrando aos seus leitores algum aspecto essencial sobre sua personalidade.

6 de ago de 2015

[SEMANA #DAEDM]: DIA 5

Olá, pessoal!

Estamos na reta final dessa semana maravilhosa de divulgação do meu mais  novo filho literário: "Dezesseis - A Estrada da Morte". E hoje, trago para vocês, uma entrevista super legal, com perguntas feitas pelos blogs-parceiros-participantes. Aliás, afirmo que amei responder todas as perguntas. Aproveito também para avisar que se alguém tiver interesse em fazer alguma outra pergunta, sinta-se a vontade em fazê-la nos comentários deste post. Espero que todos curtam as perguntas e respostas. Agora vamos ao que interessa.


Bem-vindos à estrada da morte! \o/


ENTREVISTA 

1. Suelen Fernandes (Blog - Era uma vez... o Livro): “Como surgiu a ideia de escrever um livro baseado na música Dezesseis da banda brasileira Legião Urbana?” 
Simone: Antes de mais nada, agradeço por estarem me ajudando com a divulgação. Obrigada! Sejam todos bem-vindos à estrada da morte! Bom, eu sempre fui fã da banda Legião Urbana, e sempre que escuto uma canção deles, penso: — Por que não? Afinal de contas, suas letras são intensas e de fundo poético, narradas como se fosse um filme. Na verdade, tudo aconteceu em uma tarde de terça-feira (não me lembro a data), eu me sentei em frente ao computador e dei play em uma pasta de músicas que levava como título: Rock Nacional. Minutos depois, escutei a canção Dezesseis e senti um desejo enorme em dar vida a João Roberto — o Johnny — e seu Opala metálico azul. 


 2. Michelle Ladislau (Blog – As Leituras da Mila): Qual foi sua reação ao ver seu trabalho recompensado e finalmente publicar por uma editora? 
Simone: Estou muito feliz, pois Dezesseis será publicado por uma casa editorial que eu já tenho dentro do coração há tempos, ou seja, a Tribo das Letras. O meu primeiro livro, “Entre o Céu e o inferno”, foi uma publicação independente por opção, e não me arrependo de forma alguma. Agora, com Dezesseis, foquei na questão de divulgação e, é claro, reconhecimento, pois é nítido que quando se tem uma casa editoral, seu trabalho é levado mais a sério. Eu digo isso por experiência. 


3. Fernanda Braga (Blog – Mato Por Livros): Sabemos que muitos leitores só gostam do famoso The Happy End! E suas histórias são cheias de emoção, drama, lutas, lágrimas, mas também muitos sorrisos, e sempre muito amor. Qual a maior dificuldade em escrever histórias com tanta intensidade? 
Simone: Eu sou toda coração e intensidade! Não é a toa que os gêneros que mais curto são “drama e romance”. Não vejo dificuldade alguma em escrever algo intenso, me dou bem com isso... Falar do cotidiano e do coração é algo que me dá prazer. Sempre tenho como propósito tocar o âmago do leitor, assim como gosto de ser tocada quando leio algum texto. Emoções, dramas, lutas, reviravoltas, lágrimas, sorrisos e amores fazem parte do jogo da vida. Isso é divino! 


4. Gabriela Sumariva (Blog - Morada dos Livros): Como foi viver a história de João Roberto e colocá-la no papel? 
Simone: Foi mágico! Lembro-me da época que a canção foi lançada, eu ouvia em “modo repeat”. Por inúmeras vezes pensava como seria legal ter um livro ou um filme desta canção. Aliás, quase tudo da Legião Urbana de fato se tornaria um deleite para os olhos e para o coração. Suas letras carregam magia! Foi sensacional criar João Roberto em detalhes, eu vivi tudo, como se eu mesma fosse o próprio Johnny. A letra da canção está no enredo, de forma que toque o coração do leitor, especialmente se o leitor for fã da banda e curtir a música. 


5. Angélica Félix (Blog – A Libri): Como foi o processo criativo e quanto tempo você demorou para escrever Dezesseis? 
Simone: Por incrível que pareça, eu jamais marco datas (nem no início e nem no término de um enredo). O meu foco sempre foi escrever por prazer, sem datas e metas. Não me recordo quando comecei e terminei de escrever “Entre o Céu e o Inferno” e isso também aconteceu com “Dezesseis”. A única coisa que posso dizer é que demorei oito meses para escrever meu primeiro livro, e uns onze meses para escrever o segundo. Isso é só uma referência. Agora, quanto ao processo criativo, eu respiro música... Assim, tudo que escrevo tem um fundo musical, e de uma forma ou de outra, insiro o que escuto no contexto. 

6. Natalia Mota (Blog – Imagine Book): Você esteve consciente do que escreveria em Dezesseis, ou algumas ideias vieram com o decorrer da escrita? 
Simone: Sempre estive ciente de que colocaria a letra da canção na narrativa ou em diálogos. O enredo carrega grande carga emocional, pois quem conhece a letra da canção, sabe o final. E, para isso, tive que criar algo digno de um filme, condizendo com um coração partido de dezesseis anos. O leitor terá além de romance e disputas, muitas descobertas dilacerantes. E o final... Ahhh, o final! Cesso meus comentários por aqui. rs 

7. Renata Pereira (Blog – Uma leitura a mais): A gente vê tantos novos autores a cada dia querendo se firmar no mercado editorial. Todo mundo fala que é muito complicado publicar no Brasil, se auto publicar é mais complicado ainda. Sem editora, com editora... conta um pouco desse processo de “sou escritora, vou ter coragem e seguir em frente.” 
Simone: Particularmente sinto prazer em editorar meus próprios textos, ou seja, estar à frente da revisão, capa, diagramação, tirar orçamento com a gráfica, dar “O.k.” para que os exemplares ganhem vida em formato físico. A diferença de estar em uma casa editorial é única e exclusiva: divulgação e reconhecimento. Por fim, muitas vezes o autor independente é visto como incapaz, pelo fato de não publicar por uma editora. Acredito que essa é a maior dificuldade. De qualquer forma, independente ou não, é essencial que tenha comprometimento e profissionalismo em todos os sentidos, seja na criação/construção do enredo e também em sua editoração. De resto, basta seguir em frente. 

8. Tania Bueno (Blog – As Faces da Leitura): Agora estou ouvindo Dezesseis, fazer um flashback para os meus dezesseis e pensar nos dezesseis da galera de hoje é muito interessante! Como na canção, Renato Russo dá um conselho: “que isto sirva de aviso pra vocês”, mas a galera sabia que não foi um acidente e sim uma opção em estar na estrada da morte e seguir numa viagem além, por causa de um coração partido. Minha pergunta é: quando você escreveu Dezesseis, se inspirou na música e fez um flashback para os seus dezesseis? E para quem você escreveu esta primorosa obra? Que mensagem pensou ou pensa em transmitir? 
Simone: “Dezesseis – A Estrada da Morte” é nada mais que a letra da canção, dentro de um contexto com muito amor, descobertas e reviravoltas. SIM, eu fiz um flashback para os meus dezesseis, porém, não foi tão atrativo como o enredo do livro. Aliás, eu procuro escrever aquilo que já tenho conhecimento de causa, e, principalmente, aquilo que sonho (acordada ou dormindo), desde os primórdios até hoje em dia. O enredo foi escrito para tocar corações, alguns dos trechos estão bem próximos a letra da canção. No entanto, há muitas outras coisas que foram inseridas na trama para dar verossimilhança ao conteúdo. Penso em transmitir verdade e amor nos meus textos, e com Dezesseis não foi diferente. Essa é sempre a mensagem! 


Agradeço aos blogs parceiros por participarem desta linda semana de divulgação. Também quero agradecer a cada um que separou um tempinho para conferir as postagens: curtindo, comentando, compartilhando (de forma positiva ou não)... São vocês que fazem valer a pena! João Roberto e sua trupe estão chegando! Obrigada! Obrigada! Obrigada! Bem-vindos à estrada da morte! 

                                                                                                        Simone Pesci

Blogs participantes:
• Imagine Book 
• A Libri

5 de ago de 2015

[SEMANA #DAEDM]: DIA 4

Chegamos ao 4º dia, e hoje teremos algo que eu amo de coração e que é fundamental na minha vida. Aliás, o meu primeiro livro "Entre o Céu e o Inferno" foi adornado por isso, ou seja, música. SIM, estou falando da playlist de "Dezesseis - A Estrada da Morte". Porém, houve uma diferença no processo de criação de ambos textos. Afinal de contas, em #EOCEOI as canções são apenas citadas no início dos capítulos, sem ligação direta com enredo, apenas mostrando que é pano de fundo, e, de certa forma, ligada ao contexto. Durante a escrita eu escutava a canção respectiva ao capítulo em "modo repeat" até que o finalizasse. Contudo, com #DAEDM foi diferente.

Deixe-me explicar... 

Bom, escolher cada canção foi tão especial como quando escolhi as canções para a playlist de "Entre o Céu e o Inferno". Porém, desta vez, todas as canções estão inseridas no contexto, seja na narrativa ou em diálogos. Quando vocês lerem "Dezesseis - A Estrada da Morte" vão perceber isso. Houve uma pesquisa em cima disso, porque eu precisava de canções que tivessem sido lançadas até o ano de 2008 e não depois deste período. No entanto, restrinjo meus comentários, assim não dou spoilers.

Deixarei abaixo um vídeo com trechos de todas as canções (com apenas 12 segundos de cada canção). Aliás, as músicas estão na ordem exata que foram inseridas no enredo. E, por fim, deixarei também os nomes das canções e sua autoria.

Bem-vindos à estrada da Morte! \o/
P.S: Vídeo editado por Simone Pesci


[PLAYLIST]: DEZESSEIS – A ESTRADA DA MORTE

LEGIÃO URBANA – DEZESSEIS 
TRIBALISTAS – VELHA INFÂNCIA 
INXS – BEAUTIFUL GIRL 
PATO FU – POR PERTO 
JANIS JOPLIN – PIECE OF MY HEART 
BEASTIE BOYS – NO SLEEP TILL BROOKLIN 
THE BEATLES – STRAWBERRY FIELDS FOREVER 
PAULINHO MOSKA – PENSANDO EM VOCÊ 
DEAD KENNEDYS - CALIFORNIA UBER ALLES 
BON JOVI – THANK YOU FOR LOVING ME 
CAPITAL INICIAL – FOGO 
LEGIÃO URBANA – L’AVVENTURA 
DAVID BOWIE – STARMAN 
MARISA MONTE – MAIS UMA VEZ 
ENGENHEIROS DO HAWAII – REFRÃO DE BOLERO 
THE CLASH – SHOULD I STAY OUR SHOULD I GO 
BARÃO VERMELHO – POR VOCÊ 
CROWDED HOUSE – BETTER BE HOME SOON 
THE ROLLING STONES – WILD HORSES 
WHITESNAKE – HERE I GO AGAIN 
PAPAS NA LÍNGUA – EU SEI

E aí, gostaram? Espero que sim!
Eu, particularmente, sou apaixonada 
por todas canções desta playlist. \o
P.S: Amanhã tem mais, pessoal. 

Blogs participantes:
• Imagine Book 
• A Libri

4 de ago de 2015

[SEMANA #DAEDM]: DIA 3

Olá, amores!

Chegamos ao terceiro dia de divulgação de "Dezesseis - A Estrada da Morte". \o/ E hoje, apresento-lhes aqueles que me inspiraram para/com os personagens principais. Aliás, por mais uma vez, a inspiração foi "Made in Brasil". Estes três rostinhos já são conhecidos de telenovelas aqui no Brasil, eu sou apaixonada por dois deles, sendo estes: Guilherme Leicam (João Roberto) e Isabelle Drummond (Ana Cláudia). Toda vez que os vejo na Tv, suspiro. É certo que as características do texto não sigam as caraceterísticas (em detalhes) dos avatares. Porém, na mente do escritor vale tudo. \o Espero que na mente de vocês também. o/

Sejam bem-vindos à estrada da morte!


APRESENTANDO JOÃO ROBERTO, ANA CLÁUDIA E SAMUEL




João Roberto (Johnny):








Ele era provido de uma beleza além do normal, no estilo James Dean, com um corpo que exibia músculos na medida certa e sem exageros, pele branquinha, cabelos curtos e desgrenhados na cor castanho claro, olhos estonteantes de cor azul-piscina, e covinhas que provavelmente, ao sorrir, deixavam as garotas doidas. Sua face era de traços fortes, no formato quadrado e uma das sobrancelhas quase sempre ficavam arqueadas, deixando-o ainda mais atrativo. Notei que ele tinha uma tatuagem em formato de tribal que se iniciava em seu pescoço e ia até lá sabe onde.

Ator inspiração para Johnny: 
Guilherme Leicam





Ana Cláudia: 






Estonteantemente linda em seu jeans surrado e seu suéter rosa... Deparei-me com aquela que me fez perder o fôlego. Um anjo de pele branca como a neve, olhos castanhos escuros, lábios delicados e finos, e cabelos compridos e lisos, também na cor castanho, um pouco abaixo dos ombros.

Atriz inspiração para Ana: 
Isabelle Drummond










Samuel (Samy):

















Samuel era o oposto, com um corpo que exibia músculos demais, um pouco mais alto que Johnny, com a pele bronzeada, cabelos castanhos cortados bem rente ao couro cabeludo e olhos penetrantes que mostravam uma zanga além do normal.


Ator inspiração para Samy: 
Thiago Amaral










Blogs participantes:
• Imagine Book 
• A Libri

3 de ago de 2015

Perguntas irritantes para quem ama livros (e suas merecidas respostas)

Porque eu me deparei com este artigo, e não poderia deixar de postá-lo aqui. Afinal de contas, sempre tem um ou outro me fazendo uma pergunta deste gênero. E posso dizer (...) minha vontade é de responder exatamente igual ao texto abaixo. Tolerância zero!!! Confiram o artigo:

--------- xxx ---------

Ler é uma aventura. Você não descobre apenas novas histórias, personagens e universos. Você também descobre que tem gente que não entende essa paixão. Volta e meia, nossos pobres leitores são importunados com comentários deselegantes e perguntas inconvenientes.

Para começar o fim de semana com o pé direito chutando o pau da barraca, o Estante Blog separou alguns dos comentários mais irritantes ouvidos por leitores do mundo afora. E para não deixar barato, preparamos também umas respostas “tolerância zero” que a gente gostaria de dizer quando a lei da boa vizinhança recomenda calma e chá de camomila. Confira.

P – Você não tem vida social muito ativa, não é?
– Tenho, sim. Essa semana eu fui em festas em Nárnia, Oz e no Distrito 13. Só tinha gente legal. Pena que você não foi convidado.

P – Você tá lendo… de novo?
R – Você tá interrompendo… de novo?

P – Ficção não é de verdade! Pra que perder tempo com isso?
R – Tem razão. A realidade é muito mais interessante. Me fale sobre o seu dia.

P – Isso não é saudável. É fugir da realidade!
R – Verdade. Saudável é ficar criticando a vida dos outros.

P – Mas você já não leu esse livro?
R – Mas você já não comeu naquela churrascaria?

P – Você está lendo Harry Potter. Você curte bruxaria?
R – Sim. Estou procurando um feitiço para fazer gente inconveniente sumir.

P – Mas você precisa mesmo de mais livros?
– Sim. Mais livros e mais silêncio e paz para lê-los. Me ajuda?

P – Por que você continua lendo esse livro que te faz chorar?
R – Se eu parasse tudo que me dá vontade de chorar, não estaríamos tendo essa conversa.

P – Se você gosta tanto de livros, por que não escreve um?
R – Se você gosta tanto de carros, por que não constrói um?

**Qual foi a coisa mais irritante que já disseram sobre seu hábito de leitura?
Deixe seu comentário e participe da conversa. 

Via: Estante Blog

[SEMANA #DAEDM]: DIA 2

É  tão maravilhosa essa semana de divulgação, pois durante este período, posso apresentar um pouco daquilo que me dediquei com afinco e coração. Seguimos com o segundo dia, e nele teremos cinco quotes escolhidos a dedo para você leitor.

Para quem ainda não sabe, o enredo foi inspirado na canção Dezesseis da banda brasileira "Legião Urbana". Portanto, teremos: adrenalina, romance, dentre tantas outras coisas legais que foram criadas de forma simples, porém, com todo cuidado do mundo. O livro será lançado na Bienal 2015, pela editora Tribo das Letras. Tá chegando! \o/ Entrem de cabeça neste enredo recheado de aventuras e emoção. Sejam bem-vindos à estrada da morte!

(clique em cima da imagem para maior resolução)





Blogs participantes:
• Imagine Book 
• A Libri

2 de ago de 2015

[SEMANA #DAEDM]: DIA 1

E foi em uma tarde de terça-feira (não me lembro quando), que me sentei em frente ao PC e dei play numa pastinha de Rock Nacional. Sempre ansiei em ler um enredo desta canção. Foi quando veio uma louca vontade dentro do peito em dar vida à João Roberto — o Johnny — e seu Opala metálico azul. Pois bem, eis que surge Dezesseis - A Estrada da Morte, meu segundo filho, que será publicado pela Editora Tribo das Letras e estará na Bienal 2015. Agradeço de coração ao Décio Gomes, por ter capitado com maestria a alma da obra, dedicando-se e aguentando meus pitacos (arruma isso, arruma aquilo - rs). Ficou simplesmente sensacional! Estou mega, ultra, max feliz! \o/ Agora, iniciamos a "Semana - Dezesseis", junto a 8 blogs parceiros! E no dia 1, apresento-lhes a capa aberta, sinopse e vídeo preview da obra. Sejam todos bem-vindos à Estrada da Morte!

Sinopse: João Roberto, conhecido por todos como Johnny — O Rei dos Pegas — acabara de completar “Dezesseis”. Estereotipado como “rebelde sem causa”, levava uma vida desregrada, ao lado dos amigos, mostrando-se o cara legal e o maioral. Desejado por muitas garotas, sempre vencia os rachas que participava. Porém, ele não contava com um sobressalto do destino... Assim, apaixonou-se por Ana Cláudia, uma linda e doce garota que se tornaria sua salvação, bem como sua perdição. Dentre tantos conflitos e percalços para ficar ao lado de seu grande amor, Johnny entra de cabeça em uma disputa com destino à estrada da morte.

Inspirado na canção “Dezesseis” — da banda brasileira Legião Urbana — este é um enredo de amor recheado com muitas aventuras.

Apaixone-se, retorne no tempo, relembre seus “Dezesseis”... e seja, você também, um “rebelde sem causa”...

(clique em cima da imagem para melhor resolução)
Capa: Décio Gomes

Vídeo editado por: Simone Pesci

Blogs participantes:
• Imagine Book 
• A Libri