29 de out de 2015

[Falando em]: O Despertar da Espécie — de Marcia Rubim

Ler mais um livro desta série é um imenso prazer. Afinal de contas, sou fã do enredo e também amiga da escritora. \o Aliás, quero agradecer a minha moréca e parceira de editora, a Marcia Rubimpela troca de exemplares. 

Eu acompanho a série desde o início e sempre ansiei em saber como seguiria a trama, já que se trata de quatro livros. Este, por sinal, é o terceiro, e posso adiantar, eu simplesmente amei! S2 Para quem ainda não conhece a obra, sugiro que conheça um pouco mais do primeiro livro clicando AQUI e também um pouco do segundo livro clicando AQUI. Agora vamos de sinopse, book trailer que eu tive o prazer em editar e a resenha de "O Despertar da Espécie", uma publicação da editora Tribo das Letras.


Sinopse: Diante do desafio de construir um lar feliz ao lado da tão sonhada família conquistada, o casal Stephanie e Richard enxerga no futuro um mar de dificuldades e incertezas a serem enfrentados, jamais imaginando que o maior perigo de todos viria do passado. Mortes. Desconfianças. Mágoas. Depressão. De um segundo para o outro, tudo pode mudar. O que fazer quando se descobre que existe uma lei soberana sobre a espécie, capaz de anular o mais poderoso de todos os sentimentos? É possível se manter imparcial numa guerra, sabendo que pessoas que amamos estão em lados opostos? Torça. Vibre. Apaixone-se. Descubra as consequências de um amor em chamas com o terceiro livro da série Adeus à Humanidade.

"Quando a sombra do passado marca o amor a fogo."





P.S: Vídeo editado por Simone Pesci

Antes de mais nada, tenho que avisar que fazer essa resenha sem soltar spoilers dos livros anteriores (e um pouco deste) é impossível. Portanto, esteja ciente que se continuar a ler essa resenha, haverá SPOILERS.

O Despertar da Espécie chega de forma única, abordando nada mais que o amor em família, pois entre o primeiro e o segundo livro tivemos um grande progresso: do fruto proibido entre uma humana e um vampiro nasceu a paixão; da paixão nasceu o amor; do amor aconteceu a entrega; da entrega a renúncia à humanidade; da renúncia à humanidade ao laço matrimonial; do laço matrimonial a uma verdadeira família; de uma verdadeira família também vieram filhos legítimos; filhos estes que obviamente não são apenas humanos, pois em algum momento de suas vidas despertarão para uma nova espécie, ou seja, se tornarão vampiros.
Doze anos se passaram desde que nos casamos, e nada mudou. Até parece que eu conseguiria me encantar por outro ser que não fosse ele... O problema é que a paixão vampiresca é assim mesmo: a chama não acabava nunca,  e só o que ela fazia era cada vez mais inflar em progressão geométrica. Ele intimamente tinha certeza da infinitude dos meus sentimentos, mas achava que os outros tinham que perceber isso também. Tal como aconteceu com o nosso filho, contive o impulso de rir da cara azeda que Richard fazia. (Livro: O Despertar da Espécie, Pág.18)
Os anos passaram e depois de tantas dificuldades e transtornos, Stephanie e Richard vivem em um outro país (fora do Brasil), junto com os filhos, Rico e Vitória, que ainda são crianças. No início da trama, nos deparamos com uma família feliz, seguindo os dias e noites de forma mais humana possível. Os filhos sabem a origem dos pais e também sabem que em algum momento terão que despertar para uma nova espécie, tornando-se também vampiros. Rico fica contente com a ideia. Porém, Vitória, nem tanto. A questão é que mesmo com todo entendimento familiar, há momentos os quais eles são questionados, especialmente no colégio em que os filhos estudam, pois como qualquer criança, os pimpolhos deixam escapar coisas corriqueiras do dia a dia, coisas essas que fogem da normalidade.
 Pode deixar que a levo para a enfermeira  ofereceu sua professora, Norah.
 Ah, não... Quero o meu pai!  choramingou Vitória, num inglês tão impecável que dava até para me orgulhar numa hora tão imprópria.


 Querida, a enfermeira Megan vai cuidar direitinho do seu machucado, pode confiar.  insistiu Norah.


 Meu pai é melhor. Ele lambe o meu machucado e para de doer na hora. (Livro: O Despertar da Espécie, Pág.30)


Desta forma, Stephanie e Richard sempre usam seus poderes, hipnotizando e apagando lembranças daqueles que possam causar algum risco para a família Hacket. O problema é que a luta é diária... Agora os filhos já estão adultos e se deparam com uma humanidade que está por um fio. Rico sempre festivo e possessivo como o pai, e Vitória, ou Vitty  como é acostumada a ser chamada por todos em casa  se dedica aos estudos e também vive um grande dilema, pois está apaixonada pelo amigo do irmão. Ambos mentem para todos, dizendo que Richard e Stephanie são apenas parentes e não seus pais, pois seria estranho ter pais aparentando ter a mesma idade que os filhos. Rico também está apaixonado (ou pensa que está). No entanto, essa paixonite é o gatilho a ativar para uma grande tragédia. E de uma hora pra outra o amor da matriarca e do patriarca (e também de toda a família) é jogado ao léu, colocando todos em grande risco, deixando-os à merce do improvável, causando dor e sofrimento, destruindo o laço matrimonial entre eles e também até mesmo a unida e amorosa família.

Em algum recôndito perdido no cérebro, a preocupação com o paradeiro de Rico acendia, porém o torpor que se apossou do meu corpo dominou. Minhas pernas tremiam e pareciam não mais conseguirem se mover.  Eu olhava ininterruptamente para a minha aliança, dividida entre dois pensamentos: o de jogar fora o símbolo da promessa de amor eterno com toda fúria pela janela e o de retê-la, como se nela contivesse alguma magia capaz de anular o que havia visto e ao acordar em breve fosse constatar que tudo não passou de um pesadelo. (Livro: O Despertar da Espécie, Pág.187)
Daí por diante a trama tem uma grande reviravolta, adornada com cenas de perder o fôlego. Contudo, cesso os meus comentários para NÃO soltar mais SPOILERS.

E por mais uma vez a Marcinha apresentou um enredo cativante, que me prendeu do início ao fim, deixando-me ansiando sempre por mais, querendo, por  fim,  saber o desfecho final. Aliás, assim como os livros anteriores, fiquei satisfeita com o desfecho, e digo mais: estou ansiosa para saber o que virá no último livro, que como a própria escritora me disse, será aos olhos do Richard e se chamará "Renascer Para a Eternidade".

O livro é narrado em primeira pessoa, sempre aos olhos da Stephanie, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; sua diagramação é simples e bonita, com fonte e espaçamentos na medida certa, as páginas são em pólen, ou seja, amarelas; e sua capa é linda de viver, estampando uma Stephanie inquisidora, com um olhar de uma vampira que está disposta até mesmoarriscar sua eternidade para proteger aqueles que ama. Por fim, se você ainda não conhece essa série e aprecia o gênero, eis uma excelente pedida. \o


Livro: O Despertar da Espécie (Série  Adeus À Humanidade)
Escritora: Marcia Rubim
Gênero: Romance/Fantasia
Editora: Tribo das Letras
Ano: 2015
Páginas: 335

25 de out de 2015

[Falando em]: Melby — de Manuela Titoto

E novamente apresento-lhes a resenha de um nacional! \o/ Desta vez vou falar de "Melby", obra da autora Manuela Titoto. Aliás, eu recebi essa maravilha como parceria da editora Tribo das Letras - Selo Métrica. P.S: Obrigada, Nam! S2 Até então eu desconhecia a obra e autora, foi então que iniciei uma procura pela internet, o que deixou-me instigada para iniciar a leitura. Aliás, essa é uma das leituras que incluo na lista das que mais gostei este ano. \o Portanto, confiram a sinopse, book trailer e resenha de Melby.


Sinopse: A cidade de Melby, cujo sol reina a maior parte do ano, é apenas lembrada por sediar a consagrada Universidade de Melby. Laura Paggen é uma das poucas moradoras da cidade que frequenta a universidade local. Ela divide com seu professor Anderson Smith a empolgação de ter naquele ano, como parte do corpo docente, o físico indicado ao prêmio Nobel, Sayid Munladde. Em segredo com o governo norte-americano, ele saiu da Arábia Saudita com o intuito de ministrar aulas e formular mais de suas teorias. No dia de sua chegada, várias figuras importantes de Melby, incluindo Laura e seu professor, se encontraram para recebê-lo, mas, quando o saudita se aproximou, o professor Smith teve certeza: aquele não era Sayid Munladde! Com apenas sua aluna para acreditar nele, o físico, que é o único que realmente conhecia o árabe pessoalmente, arrasta a jovem para desvendar esse mistério. Laura e Smith embarcam em um enigma muito mais profundo do que se poderia imaginar, que nos embevece a cada página. Um livro cheio de tramas que envolve de tal maneira que você não conseguirá largá-lo até chegar ao ponto final.


"A pior mentira é aquela que só você pode ver."






Trata-de de um suspense investigativo, e posso dizer, ele me pegou de jeito já no prólogo. \o
Despertou e abriu os olhos. Dessa vez, estavam desvendados. Livres, iam de um lado para o outro ininterruptamente, bola de tênis frenética, tentando captar tudo.  O suor que descia da testa encharcava o rosto. A cabeça já estava sem o saco. "Ainda bem", pensou ele. A boca, no entanto, continuava tapada, muda por uma fita isolante, como antes havia pensado e que agora já podia comprovar com os próprios olhos, ainda que de relance. (Livro: Melby, Pág.10)
Um enredo onde os personagens secundários são tão protagonistas quanto! 
SIM! Pela sinopse achei que toda a trama seria em volta de Laura Paggen, o professor Anderson Smith e o físico Sayid Munladde. E SIM, de certa forma é! No entanto, em certo momento, eles passam a ser os antagonistas, fazendo com que os personagens secundários, ou seja, o irmão de Laura, um médico recém-formado chamado Matheus e sua melhor amiga, Rachel, junto de outros personagens que se tornam tão importantes quanto, passem a investigar muitos acontecimentos misteriosos.

Laura é uma estudante que sente grande apreço por seu docente, o Professor Smith, como todos costumam chamá-lo. Ela é moradora de Melby, uma cidade que perdura em um calor escaldante, e vive para os estudos, ansiando em tornar-se como o seu mestre. O professor, por sua vez, também nutre tamanho apreço por ela, pois admira seu esforço e vontade em ser tão boa quanto ele. Sendo assim, em um momento único, ela pede para participar da recepção, ou seja, a chegada de um novo integrante que só tem a agregar para/com o corpo docente da faculdade em que estuda, sendo essa, a Faculdade Melby.

Assim que participa da recepção do físico Sayid Munladde, se envolve num emaranhado de acontecimentos. Afinal, o seu professor é amigo íntimo do físico e o conhece como ninguém. No mesmo instante que ele chega, se dá conta de que aquele que está à sua frente, não é o verdadeiro Sayid. Desta forma, informa Laura sobre essa sua certeza e relata a ela que os dois, juntos, tinham uma teoria da qual se caísse em mãos erradas, o mundo estaria perdido. Dentre incertezas, Laura começa à ir mais a fundo nessa história e de repente, em uma noite, presencia o assassinado do suposto sósia de Sayid. Então, inicia-se uma série de acontecimentos. Porém, em um destes acontecimentos, Laura é prejudicada, quase perdendo sua vida.
O acaso é algo mesmo interessante, passa batido por algumas pessoas que simplesmente seguem em frente sem saberem e sem nem sequer pensarem a respeito do impacto causado pelo tal.
Laura Paggen não sabia, nem poderia saber, mas naquele dia estava de encontro marcado com uma coincidência tétrica. Uma coincidência fatal. (Livro: Melby, Pág.63) 

Desta forma, Matheus, Rachel, o professor Smith e outros personagens dão seguimento à trama, que torna-se uma sinuca de bico, com acontecimentos corriqueiros, onde um passo falso pode ser fatal, deixando todos à deriva, correndo risco e também fazendo-os suspeitos. Agora cesso os meus comentários para não soltar spoilers.
 É pra você usar essa noite. Bem aqui no seu brinco fica a escuta, onde eles ouvirão e poderão falar com você a todo momento que precisarem e caso percebam algo fora do normal. Você pode responder normalmente quando eles fizerem uma pergunta, porque eles estarão ouvindo. (Livro: Melby, Pág.212)
A história é narrada em terceira pessoa, sendo assim, temos o ponto de vista de muitos personagens e de toda a trama. O enredo é muito bem amarrado, sem pontas soltas e prendeu-me do início ao fim, ansiando por mais a cada virar de página, querendo enfim saber o que havia acontecido com Sayid e qual seria o final de todos os envolvidos. O final fechou de forma única e plausível, dando verossimilhança ao conteúdo, surpreendendo-me e deixando-me satisfeitíssima.

A narrativa e diálogos são de fácil compreensão, em alguns momentos com palavras rebuscadas que dão todo o charme ao enredo, tornando-o ainda mais atrativo. Sua capa é linda, estampando um Sayid em Melby, remetendo toda a originalidade da trama; sua diagramação é simples, porém de extremo bom gosto, com espaçamentos e fontes na medida certa, e nas laterais, o leitor vai se deparar com fórmulas das quais são a peça-chave de todo conteúdo, as folhas são em pólen, ou seja, amarelas. Por fim, para quem é apreciador de um enredo daquele que te prende do início ao fim, fazendo com que se perca no imaginário e querendo também desvendar os mistérios, essa é uma magnífica pedida. Eu, como apreciadora deste gênero, super indico a leitura. E digo mais, tornei-me fã da Manu e leria até mesmo a sua lista de compras. \o

Livro: Melby
Autora: Manuela Titoto
Gênero: Romance/Policial
Editora: Tribo das Letras, selo Métrica
Ano: 2015
Páginas: 326

**Como disse uma vez meu ídolo, Kurt Cobain:

"É melhor queimar do que apagar aos poucos."




Eu clamei a Deus uma mente e coração menos insanos, mas a minha fé mostrou-se abalável, me tornando o fiel mais descrente do mundo.
Livro: Dezesseis - A Estrada da Morte
Autora: Simone Pesci 
Gênero: Romance
Editora: Tribo das Letras
Ano: 2015
Páginas: 318

**A VENDA NO EMAIL: simoniass@hotmail.com
(...) ou clicando AQUI.

[QUOTE]: Dezesseis - A Estrada da Morte

Minha respiração ofegante se misturava com sua euforia contagiante. O motor continuava rugindo alto, fazendo-me sentir bem com aquele vislumbre de liberdade, fugindo da polícia, ao lado de um cara que me fazia perder a cabeça. Johnny já não estava no mesmo grau de excitação de antes, o que me deixou apreensiva, pois imaginava que o efeito da droga estava surtindo de outra forma, manifestando sua disforia. Seu rosto se contraía numa musculatura tensa e confusa, transparecendo estar incomodado com alguma coisa.

 Você está bem?  perguntei preocupada.

Ainda acelerando o Opala, respondeu:

 Do amor, conheço os sintomas... E também os hematomas!  disse, olhando-me de soslaio.

Estranhei o seu comportamento. Contudo, tive a certeza de sua disforia, pois aquele era mais um dos efeitos contrários da droga que ele ridiculamente usara, apenas para provar sua coragem.

 Onde você pensa que está me levando?  perguntei confusa, não identificando o caminho.

Ele, por sua vez, estava ainda mais desconexo, com o seu sorriso entorpecente de canto.

 Baby, estou levando-a para casa.  disse, parecendo debochar da minha cara.

Continuei em silêncio. Estava com medo de tirar sua atenção, pois o seu semblante transparecia certa confusão, e só de pensar no risco que corríamos, eu me petrificava de medo. 

 Chegamos, anjo!

Encarei-o com fúria, indagando-o com o olhar, ansiando pelo seu parecer de onde estávamos. Ele apenas fitou-me com querer, e aguardou o que viria a seguir.

 Você pode me dizer onde estamos?  perguntei alterada.

Notei seu semblante satisfeito, e por alguns segundos esqueci-me de todos os problemas, pois o seu lindo sorriso safado me ausentava de qualquer sentimento de raiva. Ele me encantava e me enlouquecia.

 Chegamos em casa, amor! Na minha casa, em nossa casa.  disse em tom de deboche, mais uma vez.

Fiquei perplexa com sua ousadia.

 Você está louco ou o quê?

 Estou louco de amor por você, Ana...  revidou com outro entorpecente e sedutor sorriso de canto.

[Dezesseis - A Estrada da Morte, Cap. 7]

Inspirado na canção “Dezesseis”  da banda brasileira Legião Urbana  este é um enredo de amor recheado com muitas aventuras.

**A VENDA NO EMAIL: simoniass@hotmail.com
(...) ou clicando AQUI.

22 de out de 2015

[Texto]: EU TE PERDI

Eu te perdi. Sei por que, como e quando.









Tentei ser o que você queria. Busquei por uma mistura daquilo que eu almejava, com quem você queria que eu fosse. Em alguns momentos, tive sucesso. Na maior parte do tempo, consegui ser o que eu sonhava e te comprava para que acreditasse que eu era quem você imaginava.

É claro que eu sabia que não iria a lugar algum. Mas enquanto pude me enganar, as coisas caminharam. Eu só não sabia se ainda enganava os outros, muito menos você.

Foram tantos planos, tantas vontades e expectativas que eu não sabia qual a primeira a cumprir para te satisfazer, para te mostrar que sua escolha tinha sido certa. Em tão pouco tempo nos conhecemos, nos apaixonamos (será mesmo?), e nos casamos que eu parecia uma criança em loja de espelhos. Só me via sorrindo pra tudo.

Durante algum tempo o sonho até deu certo. É claro que eu nunca estava satisfeito. Eu queria o mundo, eu queria você, eu seria o mundo para você. Não tomei nenhuma decisão precipitada ou mal pensada. Tudo foi planejado, nada para se arrepender, nada do que se envergonhar. Até para se vender é preciso ter dignidade. E me vendi barato para você, em troca de alguns carinhos e alguns momentos especiais.

Foi preciso que a realidade aparecesse com cores e cheiros que eu sempre evitei ou que nunca tinha visto antes. A cor da morte, o cheiro do fracasso, e a visão daquilo que existia e que eu tentava ignorar.

Você não foi embora logo. Aliás, você demorou a acreditar, ainda ficou um tempo também em busca de uma explicação. Mas nessa hora nós já estávamos em extremos, você buscando a vida, querendo respirar, sair do afogamento; eu buscando a morte, a interrupção do pensamento, da respiração. Eu procurava a falta de existir.

Não tenho raiva da vida, não tentei acabar com ela por decepção ou vergonha, e sim porque percorri todos os caminhos que achei.

Se eu continuar andando, tenho certeza que haverá outras bifurcações, mas não tenho mais tesão em escolher e correr para ver o que acontecerá. Sigo andando, como que esperando o que tiver que vir. 

Encontrar alguém será mero acaso. E se for alguém disposto a me acompanhar, terei medo. Quem há de querer o mesmo destino, o vazio?

Então vou andar até definhar em vontade de amar, em vontade de não viver, em vontade de não ter mais vontade alguma.

Via: Blog Tudo Sobre Tudo

21 de out de 2015

[Falando em]: Dona dos meus olhos — de Bruna Pizzol

E novamente trago a resenha de um nacional. Aliás, eu recebi este livro mês passado, em parceria com a editora Tribo das Letras, e desde já agradeço a Nanda Gomes. P.S: Obrigada, Nam! S2. Agora vamos de sinopse, book trailer e resenha de "Dona dos meus olhos", primeira obra da autora Bruna Pizzol, uma publicação da editora Tribo das Letras.


Sinopse: A rodoviária para todos é o lugar de embarques e desembarques, beijos de despedidas, abraços para matar a saudades, todos com a certeza que ao subirem no ônibus a única coisa que lhes aguarda é o destino final indicado em sua passagem, porém às vezes uma partida pode ser uma chegada. Guilherme diante do fim do seu noivado acredita nunca ter sentido amor e que jamais encontrará alguém que realmente valha a pena se jogar no desconhecido sentimento que ele nunca viveu. Ana Clara precisa recomeçar a sua vida, decide ir atrás de seu sonho e esquecer tudo que aconteceu no seu passado. Em uma manhã comum na rodoviária do Tietê o destino se encarrega de traçar na vida dos dois um encontro e uma paixão desenfreada nascerá, mas existem feridas e cicatrizes que precisam ser amadurecidas para que só assim eles estejam prontos para as surpresas que o destino ainda guarda para os dois.




Do conto de fada ao real! 
Uma história que poderia acontecer até mesmo com você!!!

Ana Clara é uma jovem do interior que resolve mudar para São Paulo. Ela carrega consigo uma triste história do passado, e ao chegar em São Paulo para morar com sua prima, a qual ela não mantém um bom relacionamento devido à uma trágica fatalidade, se vê perdida num conflito interno, culpando-se sempre por tal fatalidade. 

Guilherme é um lindo e independente homem, engenheiro bem sucedido e com uma carreira garantida, levou um baita pé-na-bunda de sua ex-noiva. Porém, ao invés de se entristecer, sentiu-se aliviado, pois era nítido que o relacionamento não caminhava bem, mas sim por um notório comodismo, por ambas as partes. Desde então mora sozinho em seu apartamento, o mesmo que adquiriu para viver ao lado de Cris, sua ex-noiva.

O enredo inicia-se em uma manhã de segunda-feira, quando Guilherme segue para a rodoviária do Tietê (em São Paulo), a fim de buscar seu irmão, Gustavo, que por meses ficou fora, viajando. 
Sabe aquelas cenas de filmes e novelas quando a mocinha e o mocinho se olham pela primeira vez e tudo passa em câmera lenta para eles? Os movimentos dos olhos, da boca, a respiração apressada, mas que pode ser transmitida muito vagarosamente, o sorriso tímido de ambos e a mocinha abaixa seu olhar envergonhada?  Pois é... Nada disse aconteceu comigo! (Livro: Dona dos meus olhos  Pág.17) 
Desta forma, Guilherme e Ana Clara se cruzam em uma cafeteria da rodoviária  e o interesse é eminente. Contudo, quando Guilherme se aproxima de Ana tentando puxar conversa, é tratado por ela de forma grosseira, afinal, ela ainda está assustada, pois acabou de chegar na cidade. Ele, por sua vez, apesar de atraído por ela, sente-se ofendido. Desta forma, afasta-se dela e resolve aguardar o seu irmão, que, por sinal está atrasado, pois houve um problema com o ônibus na estrada. Ana se arrepende de tê-lo tratado mal, e minutos depois segue em sua direção para se desculpar  e por minutos, até que seu irmão Gustavo chegue, ambos trocam amenidades em uma agradabilíssima conversa, sentindo de imediato tamanha afinidade e interesse.
Estava na hora de saber que tipo de sentimento ele estava nutrindo pela minha garota e por mais que doesse, ele merecia saber a verdade, agora eu não sei se doeria mais nele ou em mim. Afinal eu nunca quis magoar o meu irmão, muito pelo contrário, tudo que eu faço por eles é sempre querendo o bem, mas dessa vez meu coração falava mais alto e eu precisava agir, ou essa situação ficaria cada vez pior. (Livro: Dona dos meus olhos  Pág.55)
SIM! Gustavo (o irmão desencanado e mochileiro) se interessa logo de cara por Ana. No entanto, se dá conta de que não deveria interferir naquela visível afinidade entre Guilherme e ela. Assim, ele deixa o caminho livre para que o irmão viva um grande amor. No entanto, a paz deixa de reinar em alguns momentos, especialmente quando Cris (a ex-noiva) retorna, e também com Michelle, a recepcionista de onde Guilherme trabalha (que insiste em investir nele), insistem em atordoar a vida do casal, chegando até colocar a vida de Ana em risco... Agora cesso os meus comentários para não soltar spoilers.
 Ana, você é a dona dos meus olhos, eu não enxergo mais ninguém a minha frente, você mantém meu coração vivo, minha mente funcionando, você é a minha razão de ser grato por tudo, pelos momentos ruins  e principalmente pelos momentos bons, que, diga-se de passagem,  foram todos com você. (Livro: Dona dos meus olhos  Pág.265) 
Eu me encantei logo de cara por Guilherme, pois descobri muitas afinidades com ele, especialmente o excelente gosto por Rock 'n' Roll. S2 Também amei sua família superdivertida. O final da trama me surpreendeu, pois fugiu do óbvio e  diga-se de passagem  foi um dilacerante e lindo final. Em alguns momentos achei que a autora poderia ter trabalhado melhor a trama, dando ênfase nos pontos estratégicos dos quais a carga emocional e romântica precisava, deixando assim de se ater aos detalhes do dia a dia, o que a meu ver não me agrada muito. Não posso deixar de parabenizar a Bruna pela linda playlist, e ressaltar a ênfase que ela deu nos diálogos com canções do Nando Reis (e tantas outras). Aliás, uma das canções que é citada no livro foi a que deu origem ao enredo. S2

O texto é narrado em primeira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão. Contudo, tenho que ressaltar que curti mais os capítulos finas, que foram narrados por Ana, pois eles carregavam consigo uma melhor estruturação e carga emocional, não baseando-se no dia a dia. Sua diagramação é simples e atrativa, com espaçamento e fontes na medida certa, envolta em papel pólen, ou seja, o amarelinho e sua capa estampa a face de um Guilherme que me acompanhou durante toda a leitura. S2 Por fim, para quem curte um enredo romântico, eis uma boa pedida. \o

Livro: Dona dos meus olhos
Autora: Bruna Pizzol
Gênero: Romance
Editora: Tribo das Letras
Ano: 2015
Páginas: 342

20 de out de 2015

[Tribo das Letras]: Bienal do Livro de Pernambuco 2015

Que lindeza! Olha a Tribo das Letras na Bienal de Pernambuco 2015. Que time maravilhoso este do qual faço parte, sinto-me honrada. Dezesseis - A Estrada da Morte está ao fundo, junto de tantos outros títulos maravilhosos. Confiram a entrevista com alguns dos autores da casa, feita pelo canal Leitor Cabuloso.

18 de out de 2015

[Promo]: DAEDM, no blog-parceiro "Uma leitura a mais"

Yes! Está rolando mais uma promoção com um kit de "Dezesseis - A Estrada da Morte". Neste kit, segue 1 exemplar autografado + marca páginas (também assinados) + Cd playlist. E aí, vai ficar de fora? Venha participar! \o

**Para participar da promo, clique AQUI.

**Confira a resenha feita pelo blog parceiro 
"Uma leitura a mais", clicando AQUI.

17 de out de 2015

[Quotes]: Entre o Céu e o Inferno

Uma leitura para corações fortes! Meu primeiro baby, e, por sinal, meu queridinho. Nele, coloquei todas as minhas alegrias e tristezas e escrevi algo que sempre ansiei em ler. Drama e romance são dois gêneros que muito curto e escrevê-lo foi algo dolorido e prazeroso. Eu tive (e tenho até hoje) muitas alegrias com este enredo, algumas pessoas ainda me procuram pedindo o livro físico, e espero um dia poder rodar mais livros... Por fim, cada um tem um pouco de Céu e Inferno dentro de si. Espero que o Céu prevaleça nos corações de todos. Sempre! [Entre o Céu e o Inferno]

(clique em cima das imagens para maior resolução)



**A VENDA EM FORMATO EBOOK, CLICANDO AQUI.

[AVISO]: EBOOK, DEZESSEIS

Amores,

Sobre o livro "Dezesseis - A Estrada da Morte" em formato digital, eu ainda não tenho autorização para publicá-lo neste formato. EM BREVE contarei o motivo! Aliás, já faz um tempinho que estou louca para contar uma novidade. \o/

Sobre eventos em que eu participe como autora, vamos lá... Desde os primórdios até hoje em dia, eu tive alguns convites, porém, por motivos óbvios, ou seja, a minha timidez e desalinho, acabo não participando. Desculpem-me!

Estarei no mês que vem (como leitora) no "2° Encontro Literário Leitura & Cia e Coruja Literária", que vai acontecer dia 08/11/15 (domingo), das 15 às 19h na "Livraria Martins Fontes", localizada na Av. Paulista, n.509 - SP. Portanto, se alguém quiser adquirir 1 exemplar de Dezesseis, basta me avisar que eu levo (isso se eu ainda tiver exemplares para a venda). Será um prazer conhecê-los. E-mail para contato: simoniass@hotmail.com

Abraços mega literários,

Simone Pesci

15 de out de 2015

[Quotes]: Dezesseis - A Estrada da Morte

Gosta de viver fortes emoções e uma linda história de amor? Então cai dentro, conheça Dezesseis - A Estrada da Morte, um enredo inspirado na canção Dezesseis              da banda brasileira Legião Urbana.

(clique em cima das imagens para melhor resolução)
 

 

 

 


**O livro está a venda no email: simoniass@hotmail.com
(...) ou clicando AQUI.

14 de out de 2015

[Falando em]: O Lado Feio do Amor — de Colleen Hoover

Desde que li a sinopse deste livro, me interessei. Tal minha surpresa quando ganhei ele de presente da  minha moréca-amiga, Juny Moura. P.S: Obrigada, Juju! Aliás, estou numa baita ressaca literária, coisa que é difícil acontecer comigo. s2 Agora confira a sinopse, tradução da canção/tradução que foi feita para o livro, com cenas do teaser trailer liberado dias atrás e resenha de "O Lado Feio do Amor" (Ugly Love), obra de Collen Hoover, uma publicação da editora Galera.


Sinopse: Quando Tate Collins se muda para o apartamento de seu irmão, Corbin, a fim de se dedicar ao mestrado em enfermagem, não imaginava conhecer o lado feio do amor. Um relacionamento onde companheirismo e cumplicidade não são prioridades, e o sexo parece ser o único objetivo. Mas Miles Archer, piloto de avião, vizinho e melhor amigo de Corbin, sabe ser persuasivo... apesar da armadura emocional que usa para esconder um passado de dor, o que Miles e Tate sentem não é amor à primeira vista, mas uma atração incontrolável. Em pouco tempo não conseguem mais resistir e se entregam ao desejo. O rapaz impõe duas regras: sem perguntas sobre o passado e sem esperanças para o futuro. Será um relacionamento casual. Eles têm a sintonia perfeita. Tate prometeu não se apaixonar. Mas vai descobrir que nenhuma regra é capaz de controlar o amor e o desejo.


**Tradução da canção de Griffin Petersoncom 
participação de Nick Bateman, o modelo
que interpretará Miles no cinema. S2
P.S: Vídeo editado por Simone Pesci

"Porque até mesmo o amor tem o seu lado feio"






Tate Collins é uma jovem de 23 anos que decide se mudar e concluir seu mestrado em enfermagem em outra cidade. Sem sua independência financeira, à procura de emprego, resolve ir morar com o seu irmão superprotetor, Corbin. Aliás, ele é piloto de avião e mora num prédio onde praticamente todos os moradores são pilotos. Ela vem de uma família onde até mesmo o seu pai praticava com amor este ofício, e assim que chega em seu novo lar, ainda na porta do apartamento, se depara com um homem visivelmente embriagado (e apagado) no chão. De imediato liga para o irmão que está trabalhando e o avisa do ocorrido. Ele instrui para que ela procure ajuda do vizinho, Miles, que é seu melhor amigo. Porém, é neste momento que ela se dá conta que é o tal vizinho que está apagado na porta do apê  e a pedido do irmão, resolve colocá-lo para dentro do apartamento, até que ele se recupere no dia seguinte.

Miles é um homem de 25 anos, lindo e excelente piloto, que vive às sombras de um passado doloroso. Assim leva os dias, à mercê de tristes lembranças que o impede de viver um novo amor. Acontece que quando ele coloca os olhos em Tate, sente aquilo que há tempos está adormecido e que já sentiu um dia... Seu coração bate de forma descompassada, o desejo louco de tê-la em seus braços o deixa desconexo, porém, envolto numa máscara de proteção, ele demonstra desinteresse. Contudo, com o tempo, o interesse entre ambos é nítido, deixando-os num devaneio insano e loucos de desejo. 
 Você se preocupa demais  afirmo, com um sorriso forçado.  Será que ajudaria se tivéssemos regras?
Ele me observa silenciosamente antes de dar um passo para trás.
 Talvez  diz ele.  Nesse momento só consigo pensar em duas.
 Quais?
Seus olhos fixam-se nos meus por vários segundos.
 Não me pergunte sobre o meu passado  fala, com firmeza.  E nunca espere de mim um futuro. (Livro: O Lado Feio do Amor, Pág.94)


É neste combate de sentimentos que ambos  Tate & Miles  resolvem fazer um acordo, curtindo o momento apenas sexualmente, ou seja, transando. Ele exige que ela não pergunte nada do seu passado e não espere nada do futuro. Porém, o amor tem suas armadilhas, e até mesmo um coração dilacerado pode voltar a palpitar de forma descompassada. É o que acontece com os dois. Contudo, aos poucos, eles vão vivenciando o amor de forma única, envolto em sentimentos que ora está mascarado pelo medo e ora escancarado entre olhares desejosos.

Viro o rosto em direção ao seu no instante em que alcança a minha boca. Agarro sua camisa e o puxo para mim, sabendo exatamente o que estou fazendo comigo mesma. Sei que esta vez não vai terminar de um jeito mais bonito do que as outras, mas continuo querendo com a mesma intensidade. Senão com mais. (Livro: O Lado Feio do Amor, Pág.214)
Assim a batalha entre o agora e o nunca se inicia, alegrando e ferindo, deixando dois corações em demasiado contentamento e preocupante desentendimento. Ela anseia em saber sobre o passado dele; ele mascara suas feridas achando que desta forma será menos doloroso. A partir daqui cesso os meus comentários, pois apesar de parecer clichê, afirmo que é um lindo drama, cheio de romance, com personagens cativantes  e até mesmo os antagonistas são apaixonantes. Confesso! Eu queria ler um pouco mais sobre os personagens secundários, pois me apaixonei por Corbin (o irmão superprotetor de Tate) e também por Rachel (a ex de Miles), além de Cap, um senhorzinho de 83 anos que se torna um grande amigo da protagonista. 
A diferença entre o lado bonito e o lado feio do amor é que o lado bonito é bem mais leve. A pessoa se sente como se estivesse flutuando. Ele ergue a pessoa. Carrega-a consigo.
As partes bonitas do amor fazem você ficar acima do resto do mundo. Elas deixam a pessoa acima das coisas ruins, e a fazem olhar para todo o resto lá embaixo e pensar: Caramba. Que bom que estou aqui em cima.
Às vezes, as partes bonitas do amor se muda de volta para Phoenix.
As partes feias do amor são pesadas demais para se mudarem de volta para Phoenix. As partes feias do amor não são capazes de erguer uma pessoa.
Elas puxam você para
B
  A
     I
       X
          O
elas prendem você lá embaixo
Afogam você.
Você olha pra cima e pensa: queria estar lá em cima.
Mas você não está.
O amor feio se torna você.
Consome você.
Faz com que odeie tudo.
Faz com que perceba que todas essas partes bonitas sequer valem a pena. Sem o bonito, você nunca vai correr o risco de sentir isso.
Nunca vai correr o risco de sentir o feio.
Então você abre mão dele. Abre mão de tudo. Nunca mais que amar novamente, não importa o tipo de amor, porque não vale a pena sentir o amor feio de novo por nenhum tipo de amor. (Livro: O Lado Feio do Amor, Páginas 290 e 291)


Concluir essa resenha foi difícil, pois foi a minha melhor leitura do ano.  S2 Quem me conhece sabe que gosto de ser tocada pelo âmago, e este enredo me tocou ao extremo. Trata-se da história de um coração partido, mas engana-se quem acha que é apenas um coração partido por uma amor mal resolvido. Afinal, existem várias formas de amor, e o personagem central desta trama, ou seja, o Miles, foi um dos mais humanos em sentimentos que me deparei nos últimos tempos... Assim como Tate, que me fez sentir seus anseios e minha própria pele. Não posso deixar de mencionar Rachel, o primeiro amor de Miles, que também me ganhou de cara, sendo tão humana em sentimentos quanto Tate e Miles. Preciso dizer aqui que as cenas de amor/sexo foram de extremo bom gosto e lindas de viver, além de super excitantes. Eu pirei geral! \o E o final, pelamorrrrrrrr... Uma lição sem igual, onde o perdão e o recomeço são pano de fundo. A escrita de Coolleen Hoover é envolvente, daquelas que não queremos parar de ler. 


O livro é narrado em primeira pessoa, com capítulos intercalados por Tate e Miles entre passado e presente, com narrativa e diálogos de fácil compreensão, adornada de sentimentos; a capa é linda e de encher os olhos, e condiz com a trama, algo que eu me perguntava sempre quando a olhava e que, mas pro final da leitura, me fez ter a certeza de sua perfeição; e sua diagramação é simples, adornada em papel offset (páginas brancas que eu não curto muito), além de fontes em tamanho pequeno, o que dificultou um pouco a leitura, detalhes que se tornam irrelevantes diante da magnitude que a obra se tornou para mim. Por fim, para você que é curte uma APAIXONANTE trama, eis uma excelente pedida. Eu me tornei fã de Colleen Hoover e leria até mesmo a sua lista de compras. \o >>> Agora só resta aguardar essa lindeza nas telonas, espero que o filme seja tão lindo quanto o livro. S2


Livro: O Lado Feio do Amor (Ugly Love)
Autora: Colleen Hoover
Gênero: Romance Americano
Editora: Galera
Ano: 2015
Páginas: 336

11 de out de 2015

[Quote]: DAEDM, Cap.19

— Johnny, como é que eu posso me abrir com você, se nem ao menos consegue cumprir com suas promessas?  falou desanimada  Este seu jeito...  ponderou seu comentário.

 Qual jeito?  perguntei sem entender nada.

 Explosivo e impulsivo! Eu poderia adjetivá-lo de tantas outras formas, mas deixarei apenas estes dois, que por sinal, são os que mais me preocupam.

 Apaixonado e boa pinta também podem fazer parte desta lista, não é mesmo?  doei-lhe um sorriso de canto.

 O que eu faço com você, João Roberto?  tocou meu rosto com carinho.

 Com o João Roberto eu sinceramente não sei, essa parte eu deixo para Dona Lourdes, agora com o Johnny, tenho muitas ideias...  meu sorriso malicioso se fez presente.

 A coisa é séria! Estou em pânico, Johnny.  disse com os olhos preocupados.

 Pânico por que, anjo? Por causa de um racha? Eu já faço isso há um tempinho e estou vivinho da silva.

Ana balançou a cabeça em desaprovação, parecendo estar mais chateada do que antes.

 Às vezes eu me esqueço de que estou lidando com um garoto de dezesseis.  disse em contrapartida.

 Está me chamando de criança?  perguntei curioso.

 Johnny, você precisa parar de fazer essas coisas, se quiser ficar comigo!

 Quais coisas, anjo? Seja mais direta.

 Os rachas, a maconha, seu temperamento, as bebidas.

 Opa! Por você eu deixaria de beber, eu ficaria rico num mês, eu dormiria de meia pra virar burguês.  brinquei, citando o trecho de uma canção que eu muito gostava.

 Johnny, isto não é uma música do Barão Vermelho!  repreendeu-me.

(Livro: Dezesseis - A Estrada da Morte, Cap.19)


**A venda no email: simoniass@hotmail.com
(...) ou clicando AQUI.

[Sorteio]: Duas Primaveras do Mato Por Livros

Amores,

O blog parceiro Mato Por Livros está fazendo aniversário, e junto a outros blogs, estão presenteando os leitores com quatro maravilhosos KITS, sendo que em um destes KITS temos 1 exemplar de Dezesseis - A Estrada da Morte. E aí, vocês vão ficar fora dessa? É claro que não! Então venham! \o Participem.


**Para participar, basta conferir o post 
e seguir as regras clicando AQUI.

9 de out de 2015

[Falando em]: Amor Infinito (de J. M. Alvarez)

É com imensa alegria que resenho este livro. Afinal, trata-se da obra de um querido leitor-amigo que tornou-se um amado amigo-autor. Aliás, eu pude conferir parte deste enredo, ou seja, os primeiros onze capítulos betando-o, na época em que o autor ainda estava escrevendo.

Uma vez, ao ler o meu primeiro romance, o JM disse que eu não parecia uma autora iniciante, mas sim uma tarimbada contadora de histórias. Hoje tenho orgulho em dizer que a recíproca é mais que verdadeira, pois desde o início tive essa mesma impressão dele. Antes de mais nada, quero agradecer a ele pelo belíssimo presente, pois este era um dos livros físicos que eu tanto ansiava em ter na minha estante. \o Agora confiram a sinopse, book trailer que eu tive o prazer em editar e a resenha de "Amor Infinito", uma publicação da editora Tribo das Letras.


Sinopse: No ano de 2327 Yara e seu namorado Felipe descobrem que a joia que ela tem como herança de família na verdade é um pen drive, nele havia um diário que conta uma misteriosa história de amor. O diário conta a história de Germano, um jornalista do Rio de Janeiro, que ao realizar um trabalho em Nova Iorque conhece Elisabeth, por quem se apaixona perdidamente e acredita ser a mulher de sua vida. Entretanto uma forte ligação, muito além de sua compreensão, o aproximou de forma surpreendente de Bárbara, uma grande amiga. Um homem dividido entre dois amores e um segredo escondido pelo tempo. Voltando ao passado, Germano encontra a resposta para desvendar o mistério que influência sua vida, de Elisabeth e Bárbara tantos anos depois, revelando assim o segredo que os conduz àquele Amor Infinito.


P.S: Vídeo editado por Simone Pesci


"Quando apenas uma vida não é suficiente para o amor" 





Uma grata e maravilhosa surpresa! 
Diferente de tudo o que estou acostumada a ler, deparei-me com um enredo onde o amor transcende o tempo, e por sinal, é narrado em três épocas distintas, sendo estas: o ano de 1870, 2060 e também o ano de 2327.

A história começa em 2327, com Yara e Felipe, que são dois tripulantes no espaço, sedentos de desejos. Com cenas quentes, adornadas pela gravidade, conhecemos o início de uma relação. Tal qual neste universo nada paralelo, depois de um tórrido deleite de amor, Felipe fica intrigado com um pingente em formato de coração que Yara carrega consigo. Eis que o moçoilo pede para que ela empreste este pingente, para que desta forma ele faça uma pesquisa  e mesmo a contragosto, pois essa é uma joia que ela herdou de família, resolve entregá-lo a fim de descobrir sua origem. Aliás, no plano espacial, Felipe é um dos melhores e mais eficientes pesquisadores. Assim, ele descobre que o pingente é nada mais que um pen drive, onde o mesmo carrega a história de vidas passadas de Yara.
 A maior parte do que está gravado neste pen drive é um diário escrito por seu antepassado. E tem também algumas fotos dele e de pessoas, que tiveram importância em sua vida, depois você verá. (Livro: Amor Infinito, Pág.22)
 Como o diário foi narrado em primeira pessoa, claro, eu criei uma figura holográfica para seu "vovô". Mas isso não me agradou, pois ficou muito impessoal. Então, usei as fotos que estão armazenadas no pen drive, e programei o holograma para ter o mesmo rosto e corpo que ele tinha quando gravou este diário. (Livro: Amor Infinito, Pág.23)
Desta forma, Yara fica frente a frente com Germano, um de seus antepassados, que a partir daí começa a narrar toda a história de sua família, principalmente sobre seu amor incondicional por Elisabeth e também sobre o seu carinho afetuoso por sua amiga Bárbara, isso tudo em 2060. Aos poucos, muitos fatos são revelados, chegando a interligar-se até mesmo antes desta época, ou seja, partindo para 1870, mostrando a ela o motivo deste grande amor e também daquela afetuosa amizade.
 Que dia é hoje?
 Dia 4! 
 Qual o mês?
 Março, esqueceu?
 E qual é o ano?  disse por fim, mas já com medo da resposta.
 Ai, meu pai! Não me diga que esqueceu o ano também, homem?
 Estou com dor de cabeça, confuso... e não consigo lembrar nada de antes de acordar...
 Ora, senhor meu marido, até a pequena Maria Fernanda sabe que nós estamos em 1870! (Livro: Amor Infinito, Pág.215)

A partir daqui cesso os meus comentários, pois este é aquele tipo de enredo que qualquer deslize, eis um grande spoiler

Eu gostei por demais da criatividade do autor, nos transportando para dentro de uma história bem construída, sem pontas soltas, adornada de sentimentos, com personagens adoráveis e cativantes (até mesmo os secundários que acabam nem sendo tão secundários assim). Aliás, eu me apaixonei por um personagem em especial, sendo este Isaura, a mãe de Germano. Não posso deixar de citar aqui a emoção que senti ao me deparar com o nome do meu primeiro romance, ou seja, "Entre o Céu e o Inferno", em um dos capítulos. Além de ver o meu nome estampado nos agradecimentos. S2

Amor Infinito é um enredo que fala daquele tipo de amor que ultrapassa as barreiras do tempo, nos apresentando o porquê de muitas questões que, às vezes, é a razão de tudo.

A narrativa é intercalada em primeira e terceira pessoa, sendo que em 2327 é em terceira pessoa e nos outros dois anos, ou seja, em 1870 e 2060 em primeira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão. Porém, o leitor terá uma trama com mais narrativa do que diálogos, pois trata-se de um personagem narrando fatos do passado; a diagramação é linda e de muito bom gosto, separando alguns trechos com o pen drive em formato de coração e também no início de cada capítulo, o leitor dará de cara com um dos personagens (que não vou dizer, vocês tem que descobrir) ao fundo da página; as folhas são de pólen, ou seja, amarelas, e tanto as fontes quanto os espaçamentos estão perfeitos. Contudo, o que me chamou atenção logo de cara foi a belíssima capa, com a protagonista da trama estampando-a de forma única, dando ainda mais imaginação para o leitor que desta obra degustar... O autor, JM, e a Tribo das Letras estão de parabéns! \o/ \o/ \o/

O livro não termina por aí, pois após o epílogo, o autor presenteou o leitor com mais cinco capítulos, dando a certeza de que teremos muito mais desta maravilhosa trama. Por fim, para você que aprecia um fascinante enredo, eis uma belíssima pedida.

Livro: Amor Infinito
Autor: J. M. Alvarez
Gênero: Romance
Editora: Tribo das Letras
Páginas: 294
Ano: 2015