15 de jul de 2018

[Crônica]: Amor Transdérmico

"O amor transdérmico flui repentino. Faz-me esperar tua presença só mais um pouco minha vida inteira..."


Foi um baque surdo e seco. O olhar tectônico, a intensidade sísmica reverberando artérias em meu peito. O aveludado toque, envolvido no vórtice harmônico presente em tua pele, a eternidade que tua voz consegue compor com tuas mil notas musicais. 

O amor transdérmico flui repentino. Fez-me esperar tua presença só mais um pouco minha vida inteira. Teu eterno breve instante eterniza meu instantâneo te sonhar. 

Um tanto meu querer em ti pensar. Até voar, como que nuvens repousassem obedientemente em minhas mãos. Partículas de sua personalidade condensando sonhos em realidade térmica. O amor transdérmico emite pontos luminosos, o sinfônico ressoar de teu brilho dançando cronometradamente em minha pele. 

E assim, velozmente rimada, suavemente contemplada, a frequência do teu timbre preenche as oitavas em meus céus. Me tempera sono e sonhos, e me reside eternamente adoçando meu respirar. 

[Texto Via]: Corrosiva

12 de jul de 2018

Serviços Editoriais


[Falando em]: Razão Para Ser Louca — de Ana Costa

Eu recebi essa lindeza em parceria com a autora Ana Costa (PS.: Obrigada, Ana!) 💘💘💘. Trata-se do seu mais novo lançamento  Razão Para Ser Louca  um livro com contos e crônicas. A propósito, já li e resenhei o primeiro trabalho da autora (para conferir a resenha, clique AQUI). Agora confira a sinopse e o que eu achei deste lançamento, uma publicação do grupo editorial  Scortecci.


Sinopse: “Razão Para Ser Louca” é o novo livro da escritora Ana Costa, após o sucesso de “Volta, se houver motivo para voltar”, ganhador do prêmio Troféu Literatura 2017. No Razão para Ser Louca, 41 contos e crônicas se alternam entre vivências pessoais e anedotas kafkianas; situações cotidianas e extraordinárias; viagens e permanências; encontros e desencontros; impressões e expressões; medos e coragens; e encantamentos e desilusões. Todos narrados no estilo peculiar de Ana Costa, uma prosa direta, franca, e salpicada de muita emoção e, sobretudo, humor. Lembranças da infância; experiências de uma mãe de adolescente; amores europeus; vivências em Paris; cartas da avozinha querida; cargas mentais; bizarrices; e excentricidades também aparecem no livro, entre muitas outras razões para sermos loucos.


"Porque de louco, todo mundo tem um pouco..." 

Uma grata e animada surpresa!

Por se tratar de um livro de contos/crônicas, antes de dizer o que achei, deixarei abaixo três quotes.

(clique na imagem para maior resolução)

Enfim, na medida em que a vida passa, questiono mais e mais. E hoje a metade de minha alma, aquela que é anarquista, acordou com uma vontade danada de sentar com Deus e entender seus mistérios. Por várias razões, sobretudo, porque Ele poderia ter sido menos gozador quando formatou a espécie humana. (Livro: Razão Para Ser Louca, Pág. 33)
É assim, caro leitor, geralmente os doidos fazem coisas incompreensíveis na visão dos ditos normais, e em contrapartida, os ditos normais também fazem coisas incompreensíveis na visão dos doidos. As forças se convergem, ou seja, somos todos igualmente doidos. Afinal de contas, de acordo com Machado de Assis "de médico e louco todo mundo tem um pouco". Cada um a seu nível, cada um com sua loucura. É daí que vem a graça. (Livro: Razão Para Ser Louca, Pág. 111)
Como o tempo não para, quando me dei conta já era  hora de retornar. Voltei compreendendo que o mundo está cheio de razões para ser louca, basta ter maturidade para encará-las  viajar é uma delas. O amor também. (Livro: Razão Para Ser Louca, Pág. 122)
Com uma narrativa envolvente e — diga-se de passagem — para lá de engraçada, marca registrada da autora, fui conduzida a um amontoado de acontecimentos.


 (clique na imagem para maior resolução)


RAZÃO PARA SER LOUCA é uma sequência de contos divertidos e, ao mesmo tempo, reflexivos. Como já era de se esperar, eu me identifiquei com os pensamentos da autora e a cada virar de página pensava: "O que será que ela aprontou agora?!" Trata-se de relatos do cotidiano, narrados de forma singela e levando consigo uma verdadeira e cômica mensagem. A autora, por mais uma vez, está de parabéns!!! Além de inteligente e carismática provou novamente ser uma excelente contadora de histórias. Tenho por mim que quando a conhecer pessoalmente não conseguirei segurar o riso... Essa é a sensação que a leitura nos deixa, com ensinamentos e uma mente maquinando sobre todo tipo de assunto. Por fim, para quem curte uma leitura rápida, instigante e animada, eis essa excelente pedida. EU. MEGA. RECOMENDO. o/

Os contos/crônicas são narrados em primeira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação está ótima, com bons espaçamentos e excelente tamanho de fonte, adornado em papel pólen (o amarelinho); e a capa é singela e instigante, estampando o título da obra e o nome da autora.


Livro: RAZÃO PARA SER LOUCA
Autora: Ana Costa 
Gênero: Contos/Crônicas
Ano: 2018
Páginas: 141

10 de jul de 2018

[Falando em]: Hannibal — Série (Temporada 3)

Eis o desfecho da terceira e última temporada desta série formidável, uma cacofonia de empatia e, claro, falta dela (para conferir as resenhas de temporada 1 e 2, clique AQUI e AQUI).

OK! Se antes eu precisei de um balão de oxigênio, agora preciso de uma infinidade deles!!!"

E já de antemão afirmo que amei todas as temporadas, mas essa... PQP! Ainda estou sem palavras!!! Confira agora a sinopse, o trailer da terceira temporada legendado e o que eu achei dessa sequência. Vem junto! o/


Sinopse: Depois de ter escapado com sucesso do FBI, Hannibal Lecter passeia pela paisagem europeia, com Bedelia Du Maurier ao seu lado. Mas os velhos hábitos e os gostos opulentos do Dr. Lecter ainda estão presentes quando ele estabelece uma nova identidade e vida em Florença, na Itália, trabalhando no museu Palazzo Capponi. Vislumbres do passado ajudam a entender o seu relacionamento com Bedelia, uma relação que não fica claramente definida como amiga ou inimiga.




FICHA TÉCNICA
HANNIBAL (TEMPORADA 3)
Ano de produção: 2015
Dirigido por: Adam Kane Guillermo Navarro,  Marc Jobst, Michael Rymer,  Neil Marshall,  Vincenzo Natali
Duração: 585 minutos
Classificação: 16 anos
Gênero: Policial/Suspense
País de Origem: Estados Unidos da América
Elenco: Caroline Dhavernas, Gillian Anderson, Hugh Dancy, Laurence Fishburne, Mads Mikkelsen, Aaron Abrams, Eddie Izzard, Fortunato Cerlino, Gina Torres, Glenn Fleshler, Joe Anderson, Mason Verger,  Julian Richings, Kacey Rohl, Katharine Isabelle, Lara Jean, Mía Maestro, Nina Arianda, Raúl Esparza, Richard Armitage, Rutina Wesley, Scott Anderson, Scott Thompson, Tao Okamoto, Tom Wisdom, Vladimir Jon Cubrt, Zachary Quinto.






MINHAS CONSIDERAÇÕES:




Após o final da segunda temporada  diga-se de passagem  para lá de tempestuosa, com um massacre animalesco, o espectador é inserido em um novo contexto, em que Dr. Lecter Hannibal escapa da polícia e ao lado da sua sabe-se lá o quê (amiga/inimiga) Bedelia, passa a morar em Florença, na Itália, e a trabalhar em um museu. Além dessa nova perspectiva temos um novo contratempo na vida de Will e os seus, um contratempo que aparece a partir do episódio 8 e se chama "Dragão Vermelho". Ok, eu não me recordo em totalidade de "O Silêncio dos Inocentes" e de suas sequências, mas ao ouvir o relato de uma amiga sobre tal final, pude constatar, sem sombra de dúvidas, que a série se sobressaiu além das expectativas.

HANNIBAL, TEMPORADA 3 é um espetáculo abissal, uma interlocução mais profunda de mentes doentias Vs empatia enraizada. A meu ver, em totalidade: roteiro, fotografia, atuações, foram um espetáculo à parte, sempre instigantes e com conteúdo. O que retratou a temporada, sendo a cereja de bolo foi o novo psicopata Francis Dolarhyde (interpretado pelo ator Richard Armitage), e que se intitula como fã de Hannibal e o Dragão Vermelho, que é nada menos que um personagem perturbado e incisivo ao querer concluir suas metas. Hannibal, contudo, continua a manipular por todos os lados, entre perseguição e captura, e manipulando principalmente Will... Há uma relação de amor de Lecter para/com Will... E essa relação é amplificada em seu capítulo final, com uma das cenas que mais me fez perder o fôlego. Apesar de ter ficado com o coração na mão, compreendi onde o roteiro quis chegar, e digo que o final não poderia ser menos que aquilo: épico e sensacional!!! Não posso dizer mais, pois certamente soltarei spoilers. Mas, de antemão, digo que estou numa baita ressaca, morta de saudades da série. Graças aos céus teve apenas três temporadas, sem encher linguiça e com um desfecho memorável. Para você que curte um suspense policial daqueles, eis essa belíssima pedida.


8 de jul de 2018

[Vídeo]: A Fábula da Corrupção

Eu me deparei com essa fábula e por ter gostado muito dela, não poderia deixar de postá-la aqui. Vem junto conferir. o/ 


Sinopse: Em um armazém de beira de estrada, um homem vive em paz com seus animais de estimação: o cão vigia a casa, o gato caça os ratos e o jumento é o meio de transporte. No porão da casa habitam vários ratos que vivem roubando comida em quantidades tão pequenas que não prejudicam o negócio, mas a chegada de um rato estranho acaba com a harmonia do mercadinho. Curta-metragem financiado via edital com temática "Luta contra a corrupção: compromisso de todos", pela Controladoria-Geral da União (CGU) e Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC).




[Via YouTube]: CARTUNARIA