14 de jan de 2019

[Falando em]: Em Suas Mãos — de Bianca Briones

Já faz algum tempo que baixei esse e-book gratuitamente, porém só agora resolvi lê-lo. Como já era de se esperar, me encantei com o enredo, afinal, trata-se de uma obra da Bianca Briones, autora da série "Batidas Perdidas" (para conferir a resenha do livro 1, clique AQUI). Agora convido a todos para conferir a sinopse e o que eu achei de "Em Suas Mãos", uma publicação independente. Vem junto! o/ 


Sinopse: "Luiza é uma advogada bem-sucedida que busca crescer mais a cada dia, sem abandonar seu principal objetivo: ajudar pessoas. Ela sabe o quanto precisou lutar para conquistar sua posição e valoriza muito sua vida profissional. André é um paisagista apaixonado pela natureza e pela vida. Apesar das mágoas causadas por um casamento fracassado, ele ainda acredita que o amor está por aí, esperando para germinar, como as sementes de suas flores. Luiza se fechou para o amor. André tem o amor na ponta dos dedos. Quando seus caminhos se cruzam, cabe a Luiza escolher se deve se abrir e a André aceitar ou não a proposta que vai mudar a vida de ambos para sempre. Mas antes ele precisa decidir até que ponto iria para salvar sua família. 'Em suas mãos' conta a história de um amor improvável e ao mesmo tempo destinado a acontecer." 


"Porque amar é estar em suas mãos..." 

Uma história apaixonante!

Na infância Luiza sofrera com o relacionamento dos pais, e tudo piora quando o patriarca resolve abandonar a família. Os anos passaram, e agora, com trinta e dois anos, independente, sequer cogita relacionar-se com alguém, e vive para o seu trabalho, advogando. 
— Ah, ele vai deixar uma marca em você. E vai tentar ser seu herói e se surpreender quando perceber que você já é sua própria heroína. — Não posso negar que sou mesmo. — E vai te fazer enfrentar seus medos. (Livro: Em Suas Mãos, Cap.7)
(clique na imagem para maior resolução)

André tem trinta e quatro anos, ex dono de um bar e, agora, tornara-se um paisagista. Depois da traição da sua ex mulher, ele decide não relacionar-se tão cedo. Porém a vontade de novamente amar continua a pairar sobre ele. 
E quando penso que acabou, André me olha por um instante, cheio de significado, acaricia meu rosto e me beija como se quisesse curar todas as feridas do meu coração. (Livro: Em Suas Mãos, Cap.27)
Em meio a — literalmente — tropeços, ambos acabam por se envolver. Contudo, devido a alguns infortúnios, Luiza acaba por acreditar que André não quer nada mais do que sexo casual.
— Além de ainda querer que você receba tudo que merece, não vou pedir nada. Tenho tudo o que preciso exatamente aqui. (Livro: Em Suas Mãos, Cap.34)
Agora cesso os comentários para não soltar mais spoilers.

Com um ritmo de uma novela, ou seja, mais ligeiro, somos levados a uma história enternecedora e cheia de coração, marca registrada da autora. 

EM SUAS MÃOS é uma narrativa leve e encantadora, onde os protagonistas nos mostram que para todo mal há um remédio. E eles — Luiza e André — usam na dosagem certa desse antídoto, o amor. A autora, mais uma vez, nos presenteia com um lindo enredo, onde personagens principais e secundários nos dão uma lição de vida. Por ser um spin-off temos a participação pequena, mas de grande valia de personagens de outros livros (morri de amores com o  Rafael e a Vivi). Trata-se de um romance lindo que nos faz refletir sobre a vida. Apesar de ser uma leitura rápida, como eu já disse e repito, é adornada de coração, mostrando os sabores e dissabores que acometem os personagens. O final é fofo, fiquei com um gostinho de quero mais. Por fim, para quem curte um excelente drama/romance, eis essa boa pedida. 

A trama é narrada em primeira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação está boa, no padrão digital; e a capa é bonita, estampando Luiza e André.


Livro: EM SUAS MÃOS
Autora: Bianca Briones
Gênero: Drama/Romance
Publicação  Independente
Ano: 2016
Páginas: 180

Sobre as tempestades...


12 de jan de 2019

[Falando em]: YOU — SÉRIE (Temporada 1)

Já faz alguns dias que maratonei a série YOU/VOCÊ, um drama/suspense americano, produzido pelo canal Lifetime e distribuído pela Netflix (em 26 de Dezembro de 2018). A trama é baseada no livro homônimo escrito por Caroline Kepnes (NÃO, EU NÃO LI O LIVRO), mas confesso que fiquei doidinha para conferir. o/ Pois bem, antes de dizer o que achei da série, confira a sinopse, trailer e ficha técnica. Bem-vindos ao universo sociopata de Joe!!! hahaha



Sinopse: Guinevere Beck (Elizabeth Lail) é uma aspirante a escritora, que vê sua vida mudar completamente ao entrar em uma livraria no East Village, onde conhece o charmoso gerente, Joe Goldberg (Penn Badgley). Assim que a conhece, Joe tem certeza de que ela é a garota dos seus sonhos, e fará de tudo para conquistá-la — usando a internet e as redes sociais para descobrir tudo sobre Beck. O que poderia ser visto como paixão se transforma em uma obsessão perigosa, uma vez que Joe não vai medir esforços para tirar de seu caminho tudo e todos que podem ameaçar seus objetivos. 




FICHA TÉCNICA 
Título Original: You (Temporada 1) 
Duração: 449 minutos
Número de Episódios: 10
Ano produção: 2018 
Estreia: 26 de Dezembro de 2018 
Distribuidora: Netflix 
Dirigido por: Sera Gamble, Greg Berlanti 
Elenco principal: Elizabeth Lail, Penn Badgley, Luca Padovan, Zach Cherry, Shay Mitchell e John Stamos. 
Classificação: 16 anos 
Gênero: Drama, Suspense 
Países de Origem: EUA 


"Porque de louco todo mundo tem um pouco..." 

MINHAS CONSIDERAÇÕES:

Antes de começar a falar sobre o que eu achei da série, deixa eu dizer uma coisa: SOCORROOOOOOO!!! SIM, essa é uma das tantas palavras que posso expressar perante um conteúdo  diga-se de passagem  assustador. Em dias onde as redes sociais é tão visada, há este alerta, onde a era digital é um perigo e tanto, principalmente quando podemos ser o alvo de uma situação/pessoa. Trata-se de uma história de amor, ou melhor, a história de um sociopata apaixonado. Com uma abordagem instigante somos conduzidos ao dia a dia de Joe (um gerente de livraria), e Beck (uma aspirante a escritora). Ele, por sua vez, mostra-se altruísta e empático, mas a verdade é que não passa de um louco egocêntrico. Já Beck é uma sonhadora e romântica, um pouco destrambelhada das ideias, além de safadenha. Entre obsessão e atração somos introduzidos ao universo deste casal.

YOU/VOCÊ é um tiro no escuro, entre tensão e descontração faz do enredo um prato cheio para o espectador. Em um ritmo instigante somos levados aos pensamentos e, principalmente, as consequências de uma mente desarranjada. Joe, mesmo com o seu transtorno de personalidade, transmite atração (NÃO ME JULGUEM! Ao menos foi assim que me senti - rs). Desta forma, entre passado, presente e momentos de reflexões do protagonista, somos introduzidos em uma mente doentia, onde fatos são distorcidos e a verdade imposta não é tão verdadeira. Para todos os seus atos, sejam eles bons ou ruins, Joe encontra uma explicação, colocando em risco a vida de qualquer pessoa que vá contra os seus pensamentos/ideias. Os personagens secundários são de grande importância, tornando-se a cereja do bolo, mostrando ao espectador dois lados de um protagonista: o obsessivo fatal e, acreditem, uma boa alma, que é capaz de se virar nos trinta para ajudar até mesmo um garotinho com uma difícil vida. E o final... Ah, o final... Entre reviravoltas e tensão, temos uma ponta solta daquelas para a sequência, que, por sinal, já foi confirmada pela Netflix, porém ainda sem data de estreia. Se eu gostei?! NÃO, EU NÃO GOSTEI! EU MEGA, ULTRA, MASTER AMEI!!! E estou louca para conferir a segunda temporada, que já foi confirmada pela Netflix, porém sem previsão de estreia. Por fim, para você que curte uma trama pra lá de intrigante e que mexa com o seu psicológico, eis essa excelente pedida! o/

10 de jan de 2019

"O tempo traz a poda"

A poda é necessária para a planta se fortalecer e equilibrar o luto ensina e amadurece. 

Ensina que existe tempo para tudo, e que alguns ramos irão se soltar durante a vida, modificando o vigor da espécie; 

Ensina que os mais fortes são aqueles que se adaptam justamente como dizia Darwin; 

Ensina que alguns galhos são supérfluos, ainda que não haja compreensão no momento; 

Ensina a modificarmos nossa tendência de produzir mais folhagem que frutos a buscarmos novas alternativas, ter coragem, humildade. 

Enquanto tivermos sorte, permanecermos jovens, belos e bem nascidos o acaso nos protegerá, mas permaneceremos mais selvagens folhagem e vegetação. 

E não descobriremos quem realmente somos. 

O tempo traz a poda. E a cada tesourada descobrimos que algumas feridas nunca se curam e você terá que se ajustar a uma forma de vida completamente nova. 

Mesmo que seu coração tenha sido quebrado em mil pedaços, uma hora você perceberá que é capaz de amar de novo e, se tiver sorte, amará melhor. 

Já perdi amigos, me separei de pessoas insubstituíveis, sofri decepções absurdas, descobri que ninguém é perfeito. Fui feliz, me atirei de cabeça, confiei demais, me frustrei na mesma proporção, tive dúvidas, morri de arrependimento. 

Fui podada pela vida, aparada em minhas arestas, corrigida em minhas estruturas. Descobri novos arranjos, me equilibrei com as perdas e decepções, formulei novos caminhos. Aprendi que continuamente sofremos um processo de renovação natural como as plantas. Faz parte da vida, do processo de nos tornarmos melhores com o tempo, extraindo os ramos ruins e mantendo os bons… 

Aprendendo a perdoar, a pedir perdão; a entender que o tempo leva pessoas especiais e deixa algumas nem tão perfeitas assim; que o coração é capaz de amar de novo, mas antes deve permitir-se chorar e enterrar o amor antigo bem fundo para que ele não ressuscite de tempos em tempos; aprendendo a valorizar o presente, a entender que tudo é passageiro os bons e maus momentos; aprendendo que algumas pessoas simplesmente não percebem o mundo como você, e que isso não as torna mais cruéis. Aprendendo a ter compaixão, a separar seus medos antigos dos atuais. 

O tempo molda as pessoas de formas diferentes, e alguns endurecerão ainda mais com o passar dos anos. Nem todo mundo aprende, não importa quantos tombos leve. E você não pode basear sua vida por essas pessoas. 

A vida é muito curta e o roteiro só depende de você. É assim que você se mantém vivo. Decidindo ser melhor a cada dia, se permitindo chorar, se autorizando ter raiva, se justificando por estar sem forças. Mas ainda assim acreditando que uma hora, de alguma maneira que seria impossível, você não se sentirá assim. Não vai doer tanto… 

[Por]: Fabíola Simões 

9 de jan de 2019

[Lidos]: Dezembro de 2018

Olá, lovers!
Demorei um pouco, mas cheguei. A propósito, como vocês foram de leituras?! Eu, na verdade, fui abaixo da meta, devido algumas coisinhas que tinha para fazer. Mas, ainda assim, trago as minhas três leituras do último mês do ano, ou seja, Dezembro de 2018. E já adianto que foram três livros nacionais. 💘💘💘 Vem junto conferir! o/

(clique na imagem para maior resolução)

[clique no título para conferir a resenha]: