4 de jun de 2019

[Lidos]: Maio de 2019

Olá, lovers!
Como foram de leituras?! Bom, o mês de maio foi, para euzinha, de muito entretenimento literário. Eu me encontrei em cinco leituras: duas delas em parceria, outra um presente de uma amiga/vizinha e, por fim, dois achados em formato digital, cada qual com sua dosagem de entretenimento, amor, magia e muito mais. Agora convido a todos para conferir as minhas "leituras de maio". Vem junto! o/


[clique no título para conferir a resenha]:

26 de mai de 2019

[Falando em]: Para Onde Vão Os Suicidas? — de Felipe Saraiça

Confesso, iniciei a leitura desse livro devido ao título e essa capa arrasadora. A propósito, baixei o e-book gratuitamente, em um dia que a editora deixou todos os seus títulos disponíveis para download. Esse é o meu primeiro contato com um texto do autor e já de antemão, afirmo: "Eu leio até mesmo a lista de compras do Felipe!" o/ Confira agora a sinopse e o que eu achei de "Para Onde Vão Os Suicidas?", obra do autor Felipe Saraiça, uma publicação da editora Pen Dragon.  



Sinopse: Era dezembro quando Angelina nasceu. Uma noite gélida, de ventos fortes e relâmpagos que iluminavam todo o quarto do hospital. Quase que em silêncio, ela foi retirada do ventre de sua mãe que, também em silêncio, não mais respirava. A enfermeira, tão jovem e sonhadora, não sabia como lidar com vida e morte lado a lado. Seu pai, de modo mecânico e robótico, a balançava, não conseguindo contemplá-la. Seus olhos não mudaram de direção nem mesmo quando a menina iniciou seu pranto. Lá fora, a chuva caía forte, embaçando os vidros das janelas, e pintando todo o céu de cinza. Ele não chorava, apenas embalava lentamente sua filha, num ritmo quase que fúnebre, enquanto perguntava a si mesmo se seria egoísmo preferir que a criança tivesse perdido a vida e não sua noiva. 


"Porque, nem sempre, há de se temer a morte..." 

Um enredo maravilhoso! 💘💘💘

Angelina é uma garota com distúrbios suicidas. Sua mãe, ao tê-la, morrera no parto. A garota, por sua vez, sentiu-se culpada por tamanha tragédia, o que fez de sua vida uma sucessão de tristezas, tendo um pai ausente, uma madrasta distante e uma irmã mais nova a qual ela ama muito. Em meio a tais intempéries, ela tenta o suicídio.
— Angelina, você está presa entre o mundo e o submundo. Eu sou a única que pode trazer-lhe a vida ou a morte. Por isso, lhe proponho um desafio: para que você realize o seu desejo e chegue ao seu destino, terá que impedir com que outras pessoas cometam suicídio. Você terá que salvá-las. Caso contrário, ficará com o corpo preso em aparelhos de respiração e sua família permanecerá presa à esperança de que você poderá acordar um dia. (Livro: Para onde vão os suicidas?, de Felipe Saraiça)
(clique na imagem para maior resolução

Entre a vida e a morte, Angelina é visitada por Ixtab, a deusa dos suicidas, além de ser informada que para conseguir o que almeja, ou seja, a morte, terá que ajudar outros supostos suicidas a não cometer tal desatino. Sua missão é resgatar a vida de Otávio, Heloíse, Eloáh e Dante. Em meio a essa tarefa, por algumas vezes, ela se depara com a morte e a sua foice.
— Não há como evitar a morte sem conhecê-la.   
Angelina piscou algumas vezes e mexeu nos cabelos.   
— Então você quer que eu conheça você melhor, é isso?   
Ela se aproximou novamente e apoiou-se na foice.   
— Não é como se fôssemos sentar e tomar algumas xícaras de chá, mas te apresentarei a vida aos meus olhos. (Livro: Para onde vão os suicidas?, de Felipe Saraiça)

Dentre tal desafio, Angelina se vê de frente com questões das quais sentira falta em vida.
— Cada um dos escolhidos tinha em si algo que você precisa. Essa corrida não era para salvá-los apenas, mas para salvar você também.   
Angelina deu um passo para trás.   
— Me salvar?   
— Sim. A Morte quis lhe dar sensações que você nunca teve em vida. Somente ao preencher o que lhe faltava você poderia dar o que faz falta para eles. (Livro: Para onde vão os suicidas?, de Felipe Saraiça)

Agora cesso os comentários para não soltar mais spoilers

Bom, começo essa resenha dizendo que tal leitura me trouxe um turbilhão de sensações, uma trama que me sensibilizou do início ao fim. 

PARA ONDE VÃO OS SUICIDAS? é uma história bem tecida, que aborda com sensibilidade o suicídio, sem fazer apologia ao mesmo... Uma trama cheia de mensagens subliminares, uma composição adornada em coração, com um "que" poético e personagens cativantes. Eu, particularmente, fui jogada para dentro do enredo, e me senti mais que uma espectadora... Eu me senti na pele de Angelina e, por muitas vezes, me vi angustiada. Ao contrário do título  digamos assim  forte, a trama traz ao leitor questionamentos importantes. Eis uma história bem construída e adornada de coração, uma avalanche de sentimentos adversos, com personagens que grudam na pele, cada qual aparecendo na medida exata, enfatizando um tema que, ainda hoje, é tabu para muitos. Eu esperava um outro final, mas compreendi perfeitamente a mensagem que o autor quis exprimir. Acho que, mesmo não sendo como eu queria, foi concluído com perfeição... E muita emoção. O autor tem uma escrita fluida e extremamente envolvente, eu devorei a obra em questão de horas. Não há muito mais o que dizer sobre o livro, apenas para que você, que curte um enredo que transborda sentimentos, dramático, sobrenatural e de tamanha delicadeza, se aventure nessas páginas. Eu não me contive, e além de avaliá-lo com 5 estrelas, eu o favoritei. Agora me vejo assim, numa baita ressaca literária. 💘💘💘

A trama é narrada em terceira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação está excelente, no padrão digital; e a capa é belíssima, a meu ver, estampando Angelina como o símbolo da morte, com a famosa face estampando a caveira mexicana. Por fim, para você que curte uma história linda e de arrasar corações, eis essa maravilhosa pedida.


Livro: PARA ONDE VÃO OS SUICIDAS?
Autor: Felipe Saraiça
Gênero: Drama/Sobrenatural
Editora: Pen Dragon
Ano: 2017
Páginas: 192

23 de mai de 2019

[Falando em]: Lendárias, O Oráculo — de Cristy S. Angel

Hoje trago para vocês a resenha de uma sequência que estava ansiosa para ler, de uma nova parceira. A propósito, dias atrás concluí a leitura de "Lendárias, A Legião", o primeiro de uma série de quatro livros (para conferir a resenha do livro 1, clique AQUI). Agora, em um novo cenário, trago o meu parecer do livro 2, ou seja, "Lendárias, O Oráculo", obra da autora Cristy S. Angel, uma publicação da editora Pen Dragon. Vem junto conferir! o/


Sinopse: A líder lendária é levada as terras do norte a mando do rei. Subjugada, ela é obrigada a conviver com os humanos no castelo. O comandante Lian não imaginava que os piores medos de Kahlan se tornariam realidade. Atormentado por culpa, ele decide partir em busca do oráculo secretamente com a ajuda das bruxas. Enquanto procura uma forma de se libertar de sua terrível maldição. Kahlan descobre que o rei guarda mais segredos do que esperava. Algo obscuro gira em torno de Vanmarah. Com a ajuda do capitão Felipe, Kahlan precisa descobrir como salvar a todos no castelo. Uma traidora, um encapuzado, uma passagem secreta e uma rainha misteriosamente doente. O que você faria por quem ama? O que estaria disposto a sacrificar por sua liberdade? Conheça o mundo de Aurorya em uma aventura repleta de mistérios, magia e criaturas demoníacas. 


"Porque há de se quebrar uma maldição..." 

Uma sequência contagiante!

Kahlan (a líder bruxa lendária) fora levada por Lian (o comandante dos Legionários) para Vanmarah, a mando do rei Augustus. E o que ela mais temia acontece... 
— A partir de agora eu serei seu mestre e você fará minha vontade e pelo seu sangue, eu te conjuro, L'bonier, para que seja minha subjugada! (Livro: Lendárias - O Oráculo, Pág.20)
(clique na imagem para maior resolução)

Kahlan fora subjugada pelo rei, tendo que, por fim, morar no castelo e cumprir suas ordens. Obedecendo aos comandos de Augustus é ordenada para que traga suas amigas lendárias para o castelo. Em meio ao caos que se torna os seus dias, ficando à merce de tamanha maldição, se vê cumprindo as ordens terríveis do rei.        
— E se eu disser que tem um meio de libertá-la? (Livro: Lendárias - O Oráculo, Pág.66)
Lian, com um  peso na consciência e arrependido por ter destinado a líder Lendária a ser subjugada pelo rei, descobre que há uma maneira de libertá-la da maldição... Para isto terá de seguir, junto com as lendárias e a legião, a procura do oráculo e, assim, consultá-lo.
 O que quer saber? Mas pense bem no que vai me perguntar, pois só responderei uma pergunta  o oráculo parou de se balançar, se levantando e se aproximando de Lian. (Livro: Lendárias - O Oráculo, Pág.157) 
Agora cesso os meus comentários para não soltar mais spoilers.

Se em "Lendárias, A Legião" eu o avaliei com 4 estrelas... Tenho que ressaltar que "Lendárias, O Oráculo" estou avaliando-o com merecidas 5 estrelas, pois é notável a evolução da autora para/com a história, onde me encontrei num texto melhor desenvolvido, com uma trama para lá de instigante e personagens que grudam na pele (P.S.: Parabéns, Cristy!).

LENDÁRIAS, O ORÁCULO é um velejar mágico, onde uma maldição se faz presente, fazendo da protagonista vítima da maleficência e egocentrismo de um rei. Nessa sequência o leitor é induzido a um novo cenário e situações, um conglomerado de descobertas (algumas um tanto difíceis de digerir). Kahlan, mesmo à mercê dos anseios do rei, mostra-se a bruxa forte e de opinião, especialmente tratando-se de Lian e um segredo do qual nem ele mesmo sabe pertencer e que ela, mesmo obstruída, se convalesce. Trata-se de uma trama recheada de aventuras e reviravoltas de perder o fôlego... Um enredo extranatural, com elementos sedutores e um final que,  novamente, porém numa carga menor, carrega consigo um plot twist daqueles. O enredo é narrado em três partes; os personagens secundários aparecem mais nesse livro, cada qual com sua dosagem exata, dando aquela pitada a mais na trama. Quanto a Kahlan e Lian, agora, mais do que nunca, continuo shipando eles e, claro, aguardando a sequência com o livro 3. Se eu fiquei com um gostinho de quero mais?! SIM OU COM CERTEZA?! hahaha >>> Por fim, para quem curte uma trama recheada de aventuras, com grandes descobertas e reviravoltas mirabolantes, indico essa leitura. \o/\o/\o/

A trama é narrada em terceira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação está boa, com espaçamentos e fontes em bom tamanho, adornada em papel pólen (o amarelinho); e a capa é bem bonita, no padrão do primeiro livro da série, estampando, novamente, ninguém menos que Kahlan.


Livro: LENDÁRIAS, O ORÁCULO #2
Autora: Cristy S. Angel
Gênero: Aventura/Fantasia
Editora: Pen Dragon
Ano: 2017
Páginas: 178

19 de mai de 2019

[Falando em]: Lendárias, A Legião — de Cristy S. Angel

Já faz muito tempo que estava de olho nessa obra, e quando a autora abriu novas parcerias, não pestanejei e me inscrevi. Por fim, fui uma das escolhidas e recebi um pacote recheado de carinho: com o primeiro e segundo volume dessa série, marca páginas do livro, outros dois marca páginas com o símbolo das Lendárias, ou seja, a flor-de-lis, e, claro, as dedicatórias (P.S.: Obrigada, Cristy!) 💘💘💘. Agora convido a todos para entrar no universo de Aurorya e conferir a sinopse, book trailer e o que eu achei de "Lendárias, A Legião", obra da autora Cristy S. Angel, uma publicação da editora Pen Dragon. Vem junto! o/ 


Sinopse: Em sua busca pela libertação de uma maldição, Kahlan, a líder das lendárias, é capturada pela legião em uma emboscada para ser levada ao rei das terras do norte. Na jornada, repleta de perigos e segredos através da floresta negra, têm seus poderes removidos por um bracelete mágico. Enquanto isso, o restante de seu clã guerreiro terá de decidir se partirá em sua busca ou se desvendará um novo mistério no forte das bruxas. Nesse meio tempo, a jovem e encantadora Líder é levada como prisioneira pelo comandante da legião, o belo Lian Ruthven, mas o que ambos não sabem, é que seus destinos estão mais ligados do que poderiam imaginar. 



"Porque há de ser corajosa e forte..." 

Uma trama instigante!

Kahlan é uma jovem bruxa, líder do clã Lendárias. Ela fora capturada por Lian, um belo comandante de olhos amendoados e seu clã, intitulado como A Legião, amando do rei do norte, Augustus. Em seu braço fora colocado o bracelete de Endora, que lhe priva de seus poderes, e o mesmo só pode ser tirado pela mesma pessoa que o colocou, ou seja, por Lian.
Um pequeno deslize (apenas um) e foi o bastante para o comandante a derrubar e colocar o bracelete de Endora em seu pulso. Não havia adornos nem beleza nele, era um pedaço de couro e metal, porém, reprimia os poderes de uma bruxa a deixando enfraquecida e perdendo a sua força. (Livro: Lendárias - A Legião, Pág.18)
(clique na imagem para maior resolução)  

Seu destino é o castelo de Vanmarah, e, enquanto a líder das Lendárias e A Legião percorrem uma longa jornada, as outras bruxas (companheiras de Kahlan), ficam na dúvida se a segue ou se procura por saber quem, ou melhor, o porquê ela fora capturada. 
 Os espíritos ancestrais estão inquietos, um mal está se erguendo, Kahlan. Uma escuridão se aproxima como no tempo da grande guerra e você deve se preparar.
 O que quer que eu faça?  perguntou com a voz embargada.
 Deve confiar nele.  a rainha olhou para Lian que dormia tranquilamente. (Livro: Lendárias - A Legião, Pág.98)

Dentre a longa viagem até o castelo de Vanmarah, a Lendária e os integrantes da Legião passam por algumas intempéries, correndo grande risco e sentindo-se ameaçados. Kahlan e Lian, mesmo como  digamos assim  inimigos, sentem uma empatia acolhedora e um inicial interesse. Ela, por sua vez, desconfia estar sendo levada ao Rei para ser subjugada e, por fim, ser obrigada a obedecê-lo.
Não chore, seja corajosa, seja forte!
Kahlan repetia para si mesma a frase de sua mãe, toda vez que um medo tentava dominá-la, e isso lhe dava coragem de enfrentar o que quer que fosse no seu caminho. (Livro: Lendárias - A Legião, Pág.122)

Agora cesso os comentários para não soltar mais spoilers.

Mais uma vez digo que foi um prazer sair da minha zona de conforto, afinal, quem me conhece sabe que o gênero que mais leio é, de fato, drama e romance. Porém, desta vez, estou aqui para falar da aventura que foi ler esse livro. Eu devorei a obra em menos de 48 horas, e já dianto que foi uma grata surpresa. 

LENDÁRIAS — A LEGIÃO é o primeiro de uma série de quatro livros (dois deles já foram publicados), onde a trama central baseia-se na jornada de dois clãs, em busca da verdade. Trata-se de uma história adornada em fantasia, com bruxas, elfos, criaturas monstruosas e, principalmente, uma trama instigante e bem amarrada. Kahlan, mesmo sem os seus poderes, mostra-se uma guerreira forte, além de ter um humor sarcástico que é uma pitada a mais para a trama. Lian também é marcante, como comandante, e, ainda assim, sua humanidade que transborda. Em certo trecho descobrimos uma nova condição que implica Lian, uma condição a qual nem ele mesmo sabe e que, provavelmente, no segundo livro, será explorada. Não posso deixar de citar um dos personagens secundários que também ganhou o meu coração: Scott é o nome dele... imediato e melhor amigo de Liam. A história, em si, é de pegar o leitor (ao menos me pegou por completo), com um "que" humorístico e, em verdade, muitas aventuras. O final deixa um plot twist daqueles, fazendo o leitor ainda mais curioso com a sequência. A escrita da autora é singela e entorpecente; a trama tem uma base boa e bem planejada; e os personagens (mesmo os secundários) são aqueles que, aos poucos, ganha o seu coração. O enredo é dividido em cinco partes, com capítulos curtos (graças aos céus, odeio capítulos longos). Por fim, para quem curte o gênero fantasia, eis essa excelente pedida. Eu, tão breve, iniciarei a leitura do segundo livro que foi enviado, LENDÁRIAS — O ORÁCULO

O livro é narrado em terceira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação está boa, com espaçamentos e fontes em excelentes medidas, adornada em papel pólen (o amarelinho); e a capa é muito bonita, estampando ninguém menos que a nossa corajosa e linda, Kahlan. 


Livro: LENDÁRIAS  A LEGIÃO #1
Autora: Cristy S. Angel
Gênero: Aventura/Fantasia
Editora: Pen Dragon
Ano: 2016
Páginas: 212

[Nova Parceira]: Cristy S. Angel

Olá, lovers!
Já faz algum tempo que não venho com uma nova parceria. Pois bem, eis que me inscrevi para parceria com a autora Cristy S. Angel e sua série "LENDÁRIAS", e, por fim, fui aceita (P.S.: Obrigada, Cristy!) 💘💘💘 A propósito, esse é o meu primeiro contato com um dos textos da autora... Eu já concluí a leitura do primeiro livro e tive uma grata surpresa (o próximo post será o da resenha). Agora convido a todos para saber um pouquinho mais sobre essa minha nova parceira.





Biografia:

Cristiane, gaúcha, idade bruxa desconhecida e humana não comentada, pseudônimo Cristy S. Angel. Nascida em Porto Alegre, é mãe de dois meninos, e Jogadora de MOBAS e RPGS Online, mas o seu favorito é o card game HS. Apaixonada por comida Italiana, ama chocolate e café. O seu primeiro contato com a leitura foi através das HQs do tio patinhas que sua mãe comprava quando podia, e do conto da Bela adormecida ilustrado. O primeiro livro que leu foi da série vagalume, que a professora de português entregava toda semana para ler e fazer resumo da leitura. O seu favorito da série era “A Arvore que Dava Dinheiro”. Nesta época começou a escrever contos, mas nunca quis publica-los. Foi somente depois de ler Instrumentos Mortais de Cassandra Clare que, realmente se apaixonou pela literatura fantástica. Conhecendo vários outros títulos do gênero. O favorito é Trono de vidro, da Sarah J. Maas. Hoje Cristy é Potterhead, caçadora de sombras, campeã, tributo, divergente, elemental, e Lendária .


P.S.: E aí, curtiram?! 
Logo menos teremos resenha de LENDÁRIAS  A LEGIÃO 
LENDÁRIAS  O ORÁCULO