26 de jan de 2018

[Falando em]: A Rainha dos Condenados — de Anne Rice

Essa obra foi enviada pela Renata Pereira para resenhar no blogue "Uma leitura a mais— e, claro, aqui no meu bloguito. (P.S.: Obrigada, Re!). PASMEM, mas eu nunca li nada da autora Anne Rice, apenas assisti (anos atrás) a adaptação de "Entrevista Com o Vampiro", o primeiro livro dessa série. 💘💘💘 Agora convido a todos para conferir a sinopse e o meu parecer sobre "A Rainha dos Condenados, As Crônicas Vampirescas - Livro 3", uma publicação da editora Rocco


Sinopse: Lestat, o roqueiro diabólico, o perversor apresentado em "Entrevista com o vampiro", lança sua autobiografia e um disco terrível. Pior: não contente, resolve ainda promover um show em que o tema principal é proibido: a verdadeira origem dos vampiros e todo o peso da maldição que os acompanha. Em "A Rainha dos Condenados", a escritora americana Anne Rice retoma os personagens que a tornaram famosa e faz o livro de maior suspense e densidade de suas Crônicas Vampirescas. Aqui, há vampiros para todos os gostos. Jovens e delinquentes, como Baby Jenk, da Gangue das Garras, românticos como Armand e Daniel, estudiosos como Jesse, que investiga para a organização conhecida como Talamasca, a história desses seres estranhos, imortais misturados entre mortais, para quem sangue, sexo e morte são elementos indissolúveis do dia-a-dia. Reunidos em torno de Lestat, eles respondem ao chamado de sua música quase hipnótica e correm, ao longo da narrativa de Anne Rice, um perigo difícil de evitar. É que o som de Lestat desperta Akasha, a mãe dos vampiros, a encarnação da força maléfica feminina, disposta a escolher os justos, entre os vampiros, através de um banho de sangue. 


"Porque a eternidade é um relógio sem ponteiros" 

Um grito no escuro!

Dividido em três partes e apresentando outros personagens: o leitor ficará de frente com o x da questão, ou melhor, de frente com o presente e o passado de vampiros poderosos (outros nem tanto). 
 Que os espíritos testemunhem, pois deles é o conhecimento do futuro, do que seria e do que eu desejo: Você é a Rainha dos Condenados, é o que você é! O Mal é o seu único destino. Mas em seu maior momento sou eu quem vai derrotá-la. Olhe bem meu rosto. Sou eu quem vai derrubá-la! (Livro: A Rainha dos Condenados, Pág.167)
(clique na imagem para maior resolução)


Enkil e Akasha foram os primeiros vampiros, regentes do Vale do Nilo. Já Lestat, um vampiro mais novo e destemido, famoso por suas canções e tendo uma infindável quantidade de fãs (humanos e vampiros), tem como objetivo despertar com suas letras/músicas "A Rainha dos Condenados", ou seja, Akasha.
Rádios tagarelavam sobre o culto do demônio, massacre, incêndios e combustão instantânea, alucinações coletivas. Falavam de vandalismo e juventude enlouquecida. Mas era uma cidade grande, apesar de sua pequenez geográfica. A mente racional já tinha encapsulado e ignorado a experiência. Milhares de pessoas não prestaram atenção. Outras modificavam na lembrança, lenta e detalhadamente, as coisas impossíveis que tinham visto. O Vampiro Lestat era um roqueiro humano e nada mais; seu show foi cenário de uma previsível, embora incontrolável, histeria. (Livro: A Rainha dos Condenados, Pág.288)
Lestat consegue despertar Akasha, tendo-a como companhia permanente, conduzindo-os a um novo propósito, onde perdura poder e sofrimento. 
 Venha, meu príncipe  ela sussurrou. Silêncio novamente. Ela ergueu as mãos e segurou meu rosto. Seus olhos negros cresceram, o rosto branco ficou  de repente dócil, quase suave.  Se você quer mesmo ver, vou mostrar-lhe os que ainda estão vivos, aqueles cujo nomes vão virar lenda, junto com o seu e o meu. (Livro: A Rainha dos Condenados, Pág.303)
Agora cesso os comentários para não soltar mais spoilers.  

De início fiquei um tanto confusa, creio que pelo fato de não ter lido os livros anteriores e pouco saber sobre os personagens. Em devido momento pensei em desistir, mas ao virar as páginas achei a trama pra lá de instigante. Apesar de intercalar histórias de diversos vampiros, a PARTE 3 converge com tais personagem, dando sentido ao propósito final. A escrita da autora é perfeita, e mesmo o carro-chefe sendo a  narrativa (não sou chegada em histórias permeadas em narrativa detalhadas), fiquei ansiando pelo desfecho final.

A RAINHA DOS CONDENADOS  AS CRÔNICAS VAMPIRESCAS é uma trama de poder, onde a força inumana anseia em criar uma nova era. Não há mais o que falar, qualquer palavra dita se tornará um spoiler. No entanto, aviso de antemão: "VALE A PENA CONFERIR!" Se possível, leia os volumes anteriores, pois creio que terá um entendimento melhor do conteúdo. Dizem por aí que este terceiro volume é o mais complicado e, em certas partes, insosso. De qualquer forma, EU AMEI! 💘💘💘

A trama é narrada parte em primeira pessoa; parte em terceira pessoa, com narrativa e diálogos às vezes rebuscados, porém de fácil compreensão; a diagramação me incomodou um pouco, pois além de ser em papel off-set (o branquinho), a fonte para leitura está pequena, além das laterais bem próximas da borda; já a capa é bem bonita, estampando ninguém menos que Akasha — A RAINHA DOS CONDENADOS. **Observação: Após ler o livro fui conferir a adaptação de 2002... E PQP, QUE MERDA FOI AQUELA?


Livro:  A RAINHA DOS CONDENADOS
AS CRÔNICAS VAMPIRESCAS, LIVRO 3
Autora: Anne Rice
Gênero: Sobrenatural
Editora: Rocco
Ano: 1988
Páginas: 586

Nenhum comentário

Postar um comentário