22 de out de 2017

[Tradução]: Cyndi Lauper — True Colors

Eu não resisto! E sempre que me deparo com uma música que AMO, editada de forma formidável, compartilho aqui. o/ Saudades dos anos 80 e 90, uma época memorável, uma era em que sabiam fazer música. 💘💘💘


[Tradução]: True Colors
[Cantora]: Cyndi Lauper

21 de out de 2017

[GRATUITO]: CONTANDO A CANÇÃO ♪♫

TÁ GRATUITO!!! 

BORA BAIXAR, LER, AVALIAR, COMPARTILHAR. 🎧📕🎧 CONTANDO A CANÇÃO ficará gratuito até dia 25/10 (quarta-feira). A ideia era deixar Free sempre, mas a Amazon não permite isso. Portanto, após esse período, ele será vendido no valor mínimo permitido, ou seja, $1,99. E sempre que possível, colocarei gratuitamente. Bem-vindos ao universo da vívida partitura!!! 🎶🎶🎶


✔ Para baixar o livro em formato digital, clique AQUI.
✔ Adicione o livro em sua estante virtual no Skoob, clicando AQUI.

Ela não quer um grande amor, não por hoje.

Ela está de férias, deu folga para a cobrança constante de procurar alguém. Hoje ela não precisa de ninguém, talvez de um banho, uma cama, filme e comer sem culpa. Ela quer a liberdade do silêncio, de tirar o sutiã e soltar os pensamentos. Mas essa é ela hoje, talvez amanhã ela mude, talvez ela novamente busque aquele cara que ao fim não seja uma decepção. 

Ela é uma hoje e outra amanhã, ela quer algo hoje, mas amanhã talvez não queira. Ela sabe ser complicada, mas ela também sabe que o único tempo perdido é o tempo ao lado de quem não aprende a lidar com suas doidices. 

Às vezes bate uma solidão, uma saudade, uma noite mal dormida. Mas quer saber? Ela aprendeu que tudo isso se cura mais rápido do que um coração partido. 

18 de out de 2017

[Falando em]: Sob a luz dos seus olhos — de Chris Melo

Eu baixei esse livro em formato digital, gratuitamente, e já adianto: ADOREI A LEITURA! 💘💘💘 A propósito, há tempos queria ler algo da autora, especialmente este livro, pois vi muitos elogios sobre ele. Agora convido a todos para conferir a sinopse, vídeo/apresentação do enredo e o meu parecer de "Sob a luz dos seus olhos", obra da autora Chris Melo, uma publicação da editora Rocco - Selo Fábrica231.


Sinopse: Considerada a “Nicholas Sparks de saia” pelos fãs, por suas histórias românticas voltadas especialmente para o público jovem adulto, a paulista Chris Melo estreia na Rocco, pelo selo Fábrica231, com Sob a luz dos seus olhos. A trama conta a história de Elisa, que embarca para a Inglaterra decidida a começar sua vida adulta, levando na bagagem seus planos e sonhos para o futuro; e Paul, um artista tentando se encontrar e que vive intensamente cada momento. O que poderia ser apenas um encontro casual entre dois jovens tentando achar o seu lugar no mundo se transforma, pelas mãos de Chris Melo, numa profunda jornada de autoconhecimento, superação, perdão e recomeços protagonizada por duas pessoas comuns que experimentam o poder extraordinário do amor. Um presente para quem já é e para quem vai se tornar fã de Chris Melo. 




"Porque as mais lindas palavras de amor são ditas no silêncio de um olhar" 

Um enredo envolvente!


Lisa tem vinte e nove anos, trabalha como editora de uma revista e já publicou um livro. Em meio a rotina diária, ela recebe um e-mail que a deixa descompassada. 
Sei que talvez não seja compreensível o que para mim significa voltar a ter contato com essa parte da vida e com a pessoa que foi capaz de me virar de cabeça para baixo. (Livro: Sob a luz dos seus olhos, Cap.1)
No passado, durante um ano, Lisa fizera intercâmbio em Londres, sendo acolhida pela família Hendsen, ficando de frente com Paul. Este, por sua vez, é o filho caçula da Sra. Anne Hendsen, um rapaz lindo de olhos azuis, aspirante a ator e que, aos poucos, está conquistando espaço. 
 Quando você for famoso e nem se lembrar mais de mim, farei um leilão da capa do meu passaporte. O autógrafo valerá muito mais por estar em um objeto pessoal. Assina e coloca a data. (Livro: Sob a luz dos seus olhos, Cap.4)
Paul e Lisa se entregam ao amor, e passam a morar juntos. Ele, volta e meia está ausente, além de cada vez mais conhecido. E numa dessas ausências que Lisa descobre estar doente. Ela, por amor, volta ao Brasil, a fim de se tratar e não interromper o sucesso que Paul está alcançando. Seis anos se passam até que ele consiga um contato com ela, fazendo com que fiquem cara a cara.
 Sou uma pessoa de poucas certezas. Não tive tempo de fraquejar e isso me deixou mais arrogante, fechada e ansiosa. Às vezes me olho no espelho e não me reconheço. Uma parte de mim é o que me tornei, e não sei se tem volta. Por outro lado, tenho você, contrariando todas as probabilidades, estamos aqui, juntos. Se sou um pedaço seu, sem dúvida, essa é minha melhor parte. (Livro: Sob a luz dos seus olhos, Cap.15)
Agora cesso os comentários para não soltar mais spoilers

Com uma escrita singela e  diga-se de passagem  perfeita, fui apresentada a um enredo que apresenta uma bela lição. Confesso que não achei tudo aquilo que ouvi dizer por aí, pensava encontrar algo extraordinário, e acabei me deparando com uma trama cortês. 

Sob a luz dos seus olhos é um romance/drama envolvente e acolhedor. Acredito que para apreciadores de gênero (assim como eu), terá não só entretenimento, mas um conteúdo reflexivo e de grande relevância. Os personagens protagonistas são apaixonantes, tão como os secundários, que também ganham uma razoável parcela de ardor. A trama tem algumas reviravoltas instigantes. Contudo, o que de fato me enterneceu, foi o seu desfecho, com uma protagonista vivida, relatando o lado bom e ruim do amor. EU REALMENTE ACHEI LINDÍSSIMO!!! 💘💘💘 Agora, mais do que nunca, pretendo ler outros textos da autora. 

O enredo é narrado em primeira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação está boa, no padrão digital; e a capa é de encher os olhos, estampando uma Elisa doce, assim como a da trama. Por fim, para apreciadores de um enredo envolvente, eis essa boa pedida. 


Livro: Sob a luz dos seus olhos
Autora: Chris Melo
Gênero: Romance/Drama
Editora: Rocco  Selo Fábrica231
Páginas: 320
Ano: 2016

14 de out de 2017

"Fragmento do conto MPB"

Chora, rapaz, faz uma faxina no coração, baldes de saponáceo pra quando mentiste pra ela, rodo pra quando ficaste com a cantora, creolina pra quando cheiraste pó, DDT pra tua consciência em geral. Chora pra caralho, rapaz." 
(Fragmento do conto MPB  por Edson Coelho)

Verdade, verdade, verdade, ficção.

Quase toda história que ambiciona criar um clímax impactante precisa de um grande acontecimento, algo que nunca foi visto antes ou, se já foi visto, algo que nunca foi apresentado de uma forma em particular. Geralmente, esse impacto é racionalizado demais e ultrapassa os limites do que pode ser considerado verossímil. 

Alcançar esse tipo de impacto é difícil porque tal momento, inevitavelmente, exige do leitor um grande esforço para manter-se envolvido no universo da história e não julgar o que está sendo apresentado como implausível. 
A última coisa que desejamos, como escritores, é que nossos leitores pensem: “Ah não, pode parar! Isso nunca poderia acontecer!” 
A solução está na contextualização da história. Em muitos livros e filmes, o corpo da narrativa  começo, meio e um pouco do final  tem como foco apenas preparar o terreno para aquele grande momento de ficção no clímax. Noventa por cento do texto se dedica a criar um mundo onde esse grande momento ficcional poderia acontecer de uma forma acreditável. Como conseguimos esse mesmo efeito na nossa história? A resposta é verdade, verdade, verdade, ficção. 

Quando falo em verdade, me refiro à cenas plausíveis e personagens acreditáveis. Eles não precisam ser literalmente verdadeiros no mundo físico, mas a história precisa conter cenas, pessoas e conceitos que, dentro do universo do livro ou do filme, pareçam verossímeis. 

Um pobre veterano da Primeira Guerra Mundial pode, realmente, se reinventar como Jay Gatsby e, em poucos anos, se tornar um zilionário arrojado, que constrói uma mansão que se torna o epicentro da cena social dos anos vinte em Nova York? Sim, ele pode se a história é contada a partir da primeira página pelo amigo de Gatsby, Nick Carraway, que nos conta verdade, verdade, verdade, em cenas plausíveis sobre sua própria vida e sobre o mundo dos anos 20, até que, quando ele apresenta Gatsby, nós nem sequer percebemos o quanto a história nos exigiu aceitar informações pouco plausíveis. Nós nos entregamos. Nós acreditamos. 

De fato, não temos nenhuma dificuldade para acreditar nos dragões em Game of Thrones porque, no universo de ficção criado pelos escritores, essas criaturas podem, plausivelmente, existir e até mesmo interagir com os humanos. 

Como aspirantes a escritor, somos muitas vezes aconselhados a realizar pesquisas rigorosas, a meticulosamente prestar atenção aos detalhes. E devemos, de fato, fazer isso. Por exemplo, não escreva no seu texto sobre uma árvore genérica, seja específico e mencione que se trata de um pinheiro tarda. A razão pela qual esses detalhes são tão importantes é porque eles, utilizados como elementos em uma seqüência de outros fatos verdadeiros, constituem “verdade, verdade, verdade”, cujo papel é contextualizar o grande momento de ficção no clímax da história. 

Vendedores dizem “Faça o cliente dizer sim para coisas pequenas. Em seguida, ele vai dizer sim quando nós perguntarmos: Você está pronto para comprar?” 
Você, o escritor, também é um vendedor. Você está vendendo a sua história. 
Lembre-se, nós, seus leitores, queremos acreditar em você. Queremos dragões para conversar. Queremos que Rocky não desista de lutar contra Apollo Creed. Seu trabalho, senhor escritor, é nos seduzir, é nos levar para uma viagem a bordo do seu navio mágico. 

Se você está descrevendo um jantar em um restaurante fino, cujo clímax será um personagem usando um revólver 45 para explodir o cérebro do seu rival (ou seja, algo que nunca aconteceu de verdade), nós, seus leitores, precisamos que você contextualize a cena nos dando todos os detalhes sobre a toalha de mesa, o prato de sopa, etc. E precisamos de informações que nos ajudem a entender as convenções que você estabeleceu para o seu universo de ficção, para que essa cena da história seja coerente com o que você nos apresentou anteriormente. 

A maneira como os personagens falam, as roupas que vestem, a dinâmica emocional entre eles, tudo isso precisa passar um senso de coesão e consistência. Dessa forma, no final do jantar, quando o personagem sacar sua pistola automática e cravar seis balas no peito de seu rival, os leitores vão pensar: “Ah, faz sentido.” Porque os personagens se mantiveram fieis às regras básicas que você criou para eles. E porque eles usaram os talheres certos para comer cada prato do jantar. 

Verdade, verdade, verdade, ficção. Funciona. 

Steven Pressfield autorizou a publicação da tradução de Diego Schutt do texto original em inglês. 

12 de out de 2017

💘 Um conto de fadas 💘

Era uma vez um rei. Ele era casado com a rainha, claro, tão linda que não se podia descrevê-la. Ela acordava com um sorriso encantador todos os dias, o que comprovava sua realeza.

E a felicidade era triplicada, porque o rei e sua rainha haviam sido abençoados com três filhas de olhos verdes. Nenhuma beldade se comparava a essas, de olhos esmeralda: princesa Priscila, princesa Lilianne e princesa Lulu.

O coração do rei se encheu de alegria quando nasceu a primeira princesa, Priscilla. Era linda. Quem poderia ter mais sorte? Quando a segunda princesa, Lilianne, veio ao mundo, o rei chorou ante a imensidão de tal benção  duas princesas! Mas uma terceira? O rei não conseguiu entender o que tinha feito para merecer tantos tesouros e a responsabilidade de mantê-los seguros e amados. Logo começou a ter insônia de tão preocupado com as filhas, pois, apesar de ser um rei poderoso, não passava de um pai humilde que sabia que morreria se visse uma delas ferida ou infeliz. 

Por isso o rei fez lago que qualquer rei faria em tais circunstâncias: avisou que precisava de alguém para protegê-las dos morcegos gigantes e lagartos ardilosos que espreitavam do lado de fora dos muros do castelo. Mandou espalhar essa notícia por todo o reino e prometeu enormes recompensas. E quando todos os candidatos foram rejeitados, a aflição tomou conta de sua alma. Dia e noite o rei fazia preces aos céus.

Ele esperou com paciência  e depois com impaciência  uma resposta a seu urgente pedido. Vagava pelos corredores do castelo todas as noites, tomava leite quente e lia livros entediantes, chagando até a considerar poções que supostamente induziam o sono. A boa rainha massageava os pés do marido, mas de nada adiantava. Finalmente, quando a preocupação se tornou insuportável, o rei chorou e, enquanto se encontrava nesse estado, um anjo lhe apareceu.

 Meu nome é Abigail  disse o anjo.

 Conheço você  retrucou o rei, embora não soubesse como.  É você o protetor que procuro? Por acaso tem condições de ligar as princesas umas às outras com devoção? Por acaso é dono da magia necessária para curar corações partidos e desespero?

O anjo assentiu com reverência.

 Majestade, como posso vos servir?

 Ah, anjo, eu gostaria que você abençoasse minhas filhas e as guardasse do mal. Que as enchesse do meu amor e as protegesse na minha ausência. Faria isso por mim?

 Será uma honra.

O rei estudou o anjinho, que encheu de calma o seu coração.

 Venha  disse então , você precisa conhecer as princesas enquanto elas dormem, pois é quando sonham que se mostram mais puras.

Na primeira alcova, dormia a princesa Priscilla, as pernas cumpridas ocupando quase toda a acama. Ela tinha cílios longos e cheios e um nariz pequeno e arrebitado, além de uma expressão de paz em desacordo com os muitos pensamentos que a assolavam quando estava cordada. 

 Esta é a minha bela primogênita, prestes a se tornar uma mulher. Ela é brilhante e busca a perfeição, mas tende a ignorar a bondade  disse o rei.  Anjo, você precisa suavizar sua alma, pois ela se magoa com facilidade e esconde seu coração terno atrás de uma língua ferina. 

10 de out de 2017

↓↓↓ Falando em batalhas ↓↓↓

Todo dia eu enfrento os meus monstros internos, e ninguém sabe. Tem dias em que o cansaço me arranca lágrimas. Tem dias que a esperança me acolhe em riso. Temos que ser gentis uns com os outros, respeitar mesmo o que não conseguimos entender. Cada um sabe das batalhas que vence dentro de si."

[Via facebook]: Psiconlinebrasil

[Falando em]: Pedaços do Caos — de Jadson Ribeiro

Eu baixei esse livro em formato digital, gratuitamente. A propósito, assim que coloquei os olhos na capa, título e sinopse, me interessei. o/ Eu o li num curto prazo de tempo, pois trata-se de uma leitura leve, e de certa forma, divertida. Agora convido a todos para conferir a sinopse, book trailer e o meu parecer sobre "Pedaços do Caos", obra do autor Jadson Ribeiro. A versão que li foi independente, mas o livro está a venda em formato físico pela editora Estalo 


Sinopse: A vida de Donatello não tem sido nem um pouco fácil, todos os conflitos, as crises e as escolhas erradas, o mundo estava o consumindo. Tudo começou a ficar ainda mais estranho quando ele conheceu Valentina pela internet há algum tempo, a pouca ordem que existia desmoronou completamente. Num dia fora do comum, ele resolve abandonar a sua vida repetitiva para se tornar um andarilho e seguir numa viagem longa e inusitada para finalmente conhecer a sua amiga, mas nada sai como o esperado. Enquanto isso, Valentina, uma gamer viciada em jogos FPS, tenta enfrentar as inúmeras questões da vida adulta e da sua orientação sexual, quando uma morte em sua família acaba revelando segredos do seu passado e o caos torna a atingir a sua vida inevitavelmente. 







"Porque cada qual leva um caos dentro de si..." 





Um enredo divertido!

Donatello  ou Donnie  tem vinte e dois anos, estuda Letras, além de morar em uma república (na faculdade), dividindo as despesas com Natasha (sua amiga homossexual), Eddy e Petrus. Todos trabalham meio período, como atendentes de uma empresa de call center. Donnie sempre fora provido de atenção, fazendo de sua presença o mais presente, apaixonando-se por várias garotas que o dispensara com foras medonhos. Eis que ele conhece uma nova garota, que passa a ser sua amiga virtual e por quem começa a estimar amorosamente. 
Quando eu conheci a Valentina, isso me fez entender que o caos é muito mais interessante que a inércia constante de uma vida comum. Ela, tão diferente de mim, era a prova viva disso. (Livro: Pedaços do Caos, Cap.1)
Valentina mora em Manaus. Ela é viciada em jogos virtuais, ou melhor, em Battlefield, tendo um grupo de amigos que, ao lado dela, competem com outros grupos. E virtualmente conheceu Donatello, que passara a ser o seu grande amigo virtual. E mesmo quando ela o alerta que tem uma namorada, jogando um balde de água fria, Donnie insiste em sonhar com ela.
Donatello era um garoto complicado. Eu já conversava com ele há um bom tempo. Eu sempre costumo entender as pessoas rapidamente, já que elas costumam a ser tão iguais e normais. Porém, eu tinha certa dificuldade em entender o Donnie. Ele me fazia rir como ninguém e tinha tiradas tão rápidas quanto qualquer outra pessoa que já conheci. Eu só não entendia o que ele tinha visto em mim, ou em minhas palavras. (Livro: Pedaços do Caos, Cap.12)
Em meio a uma crise existencial, Donnie tem um ataque de fúria, demitindo-se do emprego e largando tudo para viajar e conhecer pessoalmente Valentina, pois ela acabara de perder a avó. Seus amigos decidem acompanhá-lo nessa aventura.
 Algumas pessoas simplesmente são tão grandes que não cabem dentro de uma casa, ou numa cidade. O único lugar onde elas se encaixam é no infinito. Donnie não está apenas procurando por uma garota, ele está procurando o seu lugar, o seu infinito. Vocês não podem prendê-lo, vocês não vão conseguir. E digamos que consigam, como acham que ele vai se sentir? (Livro: Pedaços do Caos, Cap.31)
Agora cesso os comentários para não soltar mais spoilers.  

Com uma narrativa simples e adornada em coração, o enredo me ganhou de cara, mostrando os medos e anseios de  digamos assim  jovens/adultos. Inicialmente fiquei um pouco perdida, pois a narrativa seguia de Donnie para Valentina sem indicação específica. Consequentemente isso ficou de lado, assim que tornei-me mais íntima da trama. 

Pedaços do Caos é um enredo YA (Young Adult), com uma pegada mais leve. No texto há  sexo, palavrões e drogas, porém tudo citado de forma singela, conduzindo o leitor a questionamentos rudimentares e, ao mesmo tempo, relevantes. Trata-se de um conteúdo que tem por finalidade levar uma mensagem  e SIM, ele conseguiu. A única coisa que me incomodou foi o fato de os personagens, apresentados com a faixa etária acima dos vinte anos, tenham algumas atitudes e pensamentos de um recente adolescente rebelde. Também achei que em alguns aspectos faltou aprofundamento. No mais, foi uma leitura divertida, deixando-me com vontade de ler algo mais do autor.

O enredo é narrado em primeira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação está excelente, em formato digital; e a capa, particularmente, AMEI! 💘💘💘 Por fim, para quem curte um enredo suave e agradável, segue a dica. 


Livro: Pedaços do Caos
Autor: Jadson Ribeiro
Gênero: Young Adult
Publicação  Digital (via Amazon)
Ano: 2016
Páginas: 200

9 de out de 2017

[Falando em]: INOCÊNCIA PERDIDA — de P. M. Mariano

Hoje apresento-lhes a resenha de um livro impactante, enviado pela minha mais nova parceira, a escritora Priscila Marcia Mariano  ou P. M. Mariano  (P.S: Obrigada, Priscila!). 💘💘💘 Trata-se de um enredo que leva como pano de fundo um tema pesado, ou seja, pedofilia/violência sexual, além de tantos outros agregados. Agora convido a todos para conferir a sinopse e o meu parecer de "INOCÊNCIA PERDIDA - A SAGA DE UM PINTOR (LIVRO 1)", o primeiro livro de uma trilogia, uma publicação da DRAGO EDITORIAL


Sinopse: Até onde vai a crueldade humana? Felipe sentiria na alma e no corpo que tudo não é apenas carinho e amor. Após descobrir que tinha uma família, viu que os anos passados no abrigo São Marcos, foram os melhores de sua vida. E que a felicidade que tanto desejava em família, era ilusória e, aos poucos, descobre que a vida não é tão simples, e que até mesmo entre famílias existem monstros. Aos onze anos sentia na pele a violência e a crueldade daquele que deveria amá-lo e protegê-lo. O que poderia fazer, se a vida de seu irmão dependia de ele aceitar os caprichos de uma mente doentia? Como fugir do monstro que vivia a seu lado? Esta é a história de um menino que tinha rosto de anjo, mas viveu um inferno na vida. 



"Porque o mal pode estar fantasiado de bem..." 


Um enredo para corações fortes!

Felipe, um garoto de onze anos, crescera sobre os cuidados de padres, no orfanato São Marcos. Um tanto peralta, aprontava umas e outras, tendo ao lado o inseparável amigo Daniel. Seu sonho era ter uma família que o amasse. E como numa dessas surpresas que o destino nos reserva, acaba por ficar de frente com um garoto idêntico a ele.


(clique na imagem para maior resolução)

Felipe havia acabado de sair do refeitório, tendo à mão um sanduíche e ia abocanhá-lo, quando deitou os olhos sobre Tobias. O gesto que antes ia fazer morreu num instante, para depois se deter, surpreso, diante do menino. Olhando-o, Felipe se via diante de um espelho. A única coisa diferente que havia entre eles, fora a roupa é claro, era o cabelo, curto era bem verdade, mas o do menino era mais claro do que o dele. (Livro: INOCÊNCIA PERDIDA, Pág.19)
Felipe acaba por descobrir que tem um irmão gêmeo, além de um pai. Tobias fora criado pelo avô  Fabio Orlando de Albuquerque , tornando-se parte da família, porém rejeitado por seu verdadeiro pai, um dos filhos de Fabio Orlando, chamado Carlos Fabio. Este, por sua vez, afastou-se da família, ao pedir que o pai fizesse uma escolha entre ele e o garoto que a família acolhera. O pai, sem pestanejar, sabendo do caráter do filho, escolheu Tobias. Carlos Fabio mudou-se para São Paulo, formou-se e tornou-se um rico empresário, além de casar-se com Marcele, com quem teve um filho, este chamado Natanael. 
Com o passado de Carlos exposto, a vida prosseguiu seu curso. Como era de se esperar e talvez incentivado por Marcele, o registro dos meninos foi feito, dando nome ao pai ausente. Para a certeza absoluta, a pedido de Fabio Orlando de Albuquerque, o teste de DNA acabou constatando em documento oficial para que ninguém pudesse contestar aquela verdade. Realmente, Felipe e Tobias eram filhos legítimos de Carlos Fabio de Albuquerque. Para surpresa de todos, Deus os havia unido... Só faltava a certeza de como essa união persistiria. (Livro: INOCÊNCIA PERDIDA, Pág.54)
Um pouco antes dessa reviravolta, houve um triste incidente na vida do casal: o filho, Natanael, fugira de casa. Ele nunca fora encontrado. Tendo em vista essa dolorosa situação, Felipe e Tobias, aparentemente, entram na vida do casal para preencher essa lacuna. O que Felipe não contava é que seu maior sonho tornara-se um pesadelo. Para proteger o irmão  Tobias , que é mudo, aceita as monstruosidades do pai, deixando-se ser abusado. 

(clique na imagem para maior resolução)

 Você não vai contar a ninguém o que estamos fazendo.  voltou a falar, agora com a voz rude, nervoso.  Se alguém descobrir.  Apertou os genitais do filho com mais força, fazendo-o gritar de dor.  Eu acabo com você e termino com seu irmão.  Sorriu atroz.  Ele é tão bonito quanto você... E silencioso. Não se esqueça disto... Felipe. (Livro: INOCÊNCIA PERDIDA, Pág.87)
Agora cesso os meus comentários para não soltar mais spoilers.  

Um, dois, três... Deixa eu respirar! Pois bem, foi desta forma que me senti com essa leitura. A propósito, eu já esperava isso, no momento que dei de cara com a capa, título e, claro, a sinopse. E tendo o drama como meu gênero predileto, essa foi mais uma belíssima surpresa. De antemão, afirmo: "Eu leio até mesmo a lista de compras da Priscila Marcia Mariano!". o/

INOCÊNCIA PERDIDA é um enredo ácido, impactante. Um drama indicado para leitores com o coração forte. Descrito de forma singela e verossímil, faz com que o leitor se compadeça com tal situação, mesmo porque sabemos que isso existe  até mesmo em grau ou circunstância maior. Felipe é uma criança como qualquer outra, arteiro e que sonha ter uma família feliz, e quando se vê numa sinuca de bico, deixa ser usado de diversas formas por aquele que deveria protegê-lo. EU CONFESSO, tive que estacionar a leitura algumas vezes, tamanha angústia que senti. Além do terrível pai, há um outro personagem que é tão maquiavélico quanto, chamado Humberto. O final teve reviravoltas bombásticas, a autora conduziu esse desfecho dando um soco atrás do outro, apresentando um garoto sofrido e rodeado por preconceitos, além do psicológico destruído. Nada obstante, estou ansiosa para conferir a sequência deste (espero que seja publicado o quanto antes). o/

O enredo é narrado em terceira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação está excelente, com espaçamentos e fontes em boa medida, adornada em papel pólen (o amarelinho); e a capa é bem bonita, condizendo com a trama, estampando um triste garotinho a caminhar. Por fim, se você gosta de enredos impactantes, excelentemente escrito e editado, eis essa maravilhosa pedida. S2



Livro: INOCÊNCIA PERDIDA
(A SAGA DE UM PINTOR  LIVRO 1)
Autora: P. M. Mariano
Gênero: Drama
Editora: Drago Editorial
Ano: 2016
Páginas: 316

8 de out de 2017

Escrever para Vender: A Persuasão na Prática

Chega até a ser engraçado… (pra não ser trágico!). Você tem uma excelente ideia ou até já possui um produto ou serviço fantástico… Mas as pessoas simplesmente não estão comprando a sua mensagem… E pode ser duro ler isso agora, mas segure firme: Não há nada errado com elas. O primeiro passo é tomar responsabilidade. Elas não estão comprando porque a sua mensagem não está conectada com o que elas desejam. 

As pessoas não estão se sentindo parte da história que você está contando para elas… E a regra #1 ao escrever para vender é ter um conhecimento profundo sobre quem é a pessoa que está do outro lado da sua mensagem. Quem você deseja alcançar? Quais são as principais dores e pesadelos deles? Como você pode se conectar com eles? Continue lendo esse conteúdo, pois eu vou revelar pra você como influenciar (não manipular) pessoas a tomarem decisões que sejam convergentes com o que você deseja. Eu vou te ensinar 6 poderosos gatilhos mentais que irão fazer com que seu conteúdo feche muito mais vendas. 

Tudo começa com uma BOA escrita
A escrita é o ponto de partida para todas as demais mídias. Você quer vender mais produtos? Escreva. Você quer gravar vídeos melhores? Escreva. Você quer preparar uma palestra incrível? Escreva. Você quer criar e ensinar por meio de um curso online? Escreva. Você quer melhorar sua comunicação? Escreva. Você quer atrair mais seguidores para suas redes sociais? Escreva. Você quer ter um podcast de sucesso? Escreva. Você quer escrever um livro ou eBook memorável? Escreva. Tudo começa com a escrita. A clareza da sua mensagem. A velocidade e qualidade de entrega dela. E talvez você saiba que escrever é importante, mas você tem dificuldades para criar uma rotina, um hábito para escrever. 

A Persuasão na Prática 
Robert Cialdini escreveu o melhor material sobre persuasão. Seu livro, Influência: a psicologia da persuasão, mostra como podemos desenvolver a nossa habilidade de comunicação ao ponto de conseguir exercer influência nas decisões alheias. Você pode acreditar que usamos o raciocínio lógico e coletamos o máximo de informações possíveis antes de tomar uma decisão. Mas a verdade é que seu cérebro é preguiçoso! Sim, ele gosta de ir pelo caminho mais fácil e rápido. Pegar um atalho. Em suas pesquisas, Cialdini identificou 6 princípios básicos que direcionam nossas decisões e ações. São eles: Reciprocidade Escassez Autoridade Comprometimento e Consistência Conexão Prova Social.

1) Gatilho Mental da Reciprocidade
As pessoas estão dispostas a retribuir algo que foi feito por elas. Na verdade, se sentem quase obrigadas a devolver um favor. Quando ganhamos um presente, automaticamente ficamos com a sensação de “dívida” com a pessoa que nos presenteou. E se devemos algo para alguém, acabamos ficando mais propensos a dizer sim para qualquer pedido feito por aquela pessoa. Quando o garçom traz sua conta no restaurante e lhe oferece balinhas de brinde, você pode pensar que ele está sendo apenas generoso, certo? Bom, não exatamente. Uma série de estudos feitos em restaurantes, comprovou um aumento de até 3% no valor das gorjetas quando o cliente ganhava algum tipo de brinde. Se esse mesmo brinde fosse oferecido, mas em dobro, o aumento da gorjeta não dobrava, mas sim quadruplicava, alcançando algo em torno de 14% de aumento. Isso porque temos uma tendência natural a querer retribuir àquilo ou àquele que nos gera valor de alguma forma. 

Como usar o princípio da Reciprocidade  
O marketing de Conteúdo se baseia no princípio da Reciprocidade. As pessoas adoram coisas gratuitas. E você, quando produz conteúdo de qualidade e disponibiliza para seu público de forma totalmente gratuita, está fazendo justamente isso. Também tenha certeza que aquilo que você está dando realmente tem valor e seja feito de forma direcionada, quase personalizada. Quem consome seu conteúdo se sentirá compelido a retribuir de alguma forma, seja deixando um comentário, curtindo e compartilhando sua publicação ou cadastrando-se na sua lista de emails. E futuramente, comprando produtos seus. Mas a melhor parte é que todos ganham neste tipo de relação!  

5 de out de 2017

[Falando em]: BIG LITTLE LIES — SÉRIE

Hoje trago a resenha de uma série que está dando o que falar, baseada no best-seller de Liane Moriarty. Eu não li o livro, mas já conhecia um pouco do enredo. Da autora eu li apenas "O SEGREDO DO MEU MARIDO" (para conferir a resenha, clique AQUI). 💘💘💘BIG LITTLE LIES (PEQUENAS GRANDES MENTIRAS) é um drama/romance que fala sobre o cotidiano de três mulheres, cada qual com seus segredos. Trata-se de uma produção da HBO, que começou a ser filmada em janeiro de 2016, porém foi lançada em fevereiro de 2017. Agora convido a todos para conferir a sinopse, trailer e o meu parecer. Vem junto! o/



Sinopse: Big Little Lies conta a história de três mães que se aproximam quando seus filhos passam a estudar juntos no jardim de infância. Até então, elas levam vidas aparentemente perfeitas, mas os acontecimentos que se desenrolam levam as três extremos como assassinato e subversão.





"Porque uma pequena mentira pode conduzir a uma grande tragédia..." 


Uma série sensacional! 💘💘💘

Com um elenco maravilhoso somos apresentados ao dia a dia de três mulheres  Reese Witherspoon (Madeline), Shailene Woodley (Jane) e Nicole Kidman (Celeste)  três mães que residem em Monterey, na Califórnia. Jane, por sinal, acabara de se mudar para a cidade, e ao levar o filho para o primeiro dia de aula, oferece carona para Madeline e sua filha, pois seu carro quebrara no meio do caminho. E já de cara elas criam um laço de amizade. Chegando na escola é apresentada à Celeste e seus gêmeos  e, a partir daí, nasce um trio de mães amigas, cada qual com seus segredos. Contudo, ao final do primeiro dia de aula, professora e pais se reúnem para saber qual criança machucou a filha de Renata (Laura Dern), a mais dondoca da cidade. A corda, como sempre, quebra para o lado mais fraco, onde o filho de Jane é acusado. E mesmo apreensivas, Madeline e Celeste continuam apoiando Jane.

BIG LITTLE LIES (PEQUENAS GRANDES MENTIRAS) é um grito no escuro. Em doses homeopáticas somos apresentados a vida de cada personagem. Uma pequena mentira conduz a uma grande tragédia, interligando todos e mostrando ao telespectador que nem só de aparência se vive. Madeline, Jane e Celeste guardam segredos que podem acabar não só com suas reputações. Não posso deixar de mencionar a cereja do bolo, ou seja, o terrível personagem Perry, interpretado pelo ator Alexander Skaarsgard (o Eric Northman da série True Blood). Ele é aquele tipo de vilão que amamos e, ao mesmo tempo, queremos que seja castigado por seus pecados. Trata-se de um enredo dramático com uma pitada sarcástica de humor, marca registrada da autora. Com roteiro, fotografia, atuações e trilha sonora impecável, fui conduzida a uma avalanche de sentimentos  e quando me dei conta, já estava no final. A propósito, o capítulo final me fez ter um treco, fiquei de queixo caído e apaixonada. 

De todo conteúdo, fiquei sabendo (através de uma amiga que leu o livro e assistiu a série), que a única coisa que não existe no livro é o segredo de Madeline. Contudo, achei sensacional adicionarem essa pimenta no enredo. Por fim, da autora já sou fã, mas tenho que parabenizar a todos: HBO, atores, roteiristas, direção... Tudo! De 1 a 10 dou nota 1.000!!! EU MEGA INDICO ESSA SÉRIE!!! Para quem é chegado num excelente drama, com muitas reviravoltas, é um prato cheio. 💘💘💘 P.S: Há boatos de que haverá uma segunda temporada da série.



Série: BIG LITTLE LIES 
(PEQUENAS GRANDES MENTIRAS)
Inspirada no livro de mesmo título, da autora Liane Moriarty
Gênero: Drama
Produção: HBO
Direção/Roteiro: David E. Kelley
Temporada 1  7 episódios
Ano:2017

2 de out de 2017

LEGIÃO URBANA — AS FLORES DO MAL

Senhor, é mais forte do que eu! Ouvir Legião Urbana me dá dessas, ou seja, uma vontade louca de editar um vídeo ou escrever sobre suas letras. Enfim, segue mais uma linda canção da banda. 💘💘💘 Vem conferir! ♪♫♪♫


P.S: Vídeo editado por Simone Pesci

1 de out de 2017

[Lidos]: Setembro de 2017

Olá, amores!
Como foram de leituras?! Bom, eu me enveredei em poucas leituras, pois estou finalizando um projeto, além de estar tendo algumas aulas sobre editoração de um livro. Mas, já de antemão, digo: "As minhas leituras de setembro foram show de bola". Agora convido a todos para conferir. Bem-vindos! 💘💘💘


(clique na imagem para maior resolução)

[Clique no título abaixo para conferir a resenha]: