17 de jan de 2018

💘💘💘 Das séries que amei... 💘💘💘

Eis uma série de livros que está guardada do lado esquerdo do peito. 💘💘💘 Estou falando da série "ELEMENTOS", escrita por uma das autoras que passou a fazer parte dos meus prediletos/as. o/ Quem me conhece sabe que sou de dramas  e, por tal motivo, não poderia deixar de expressar  a minha paixão. Brittainy C. Cherry é formada em artes cênicas, com especialização em escrita criativa pela Carroll University, em Wisconsin. Quando não está escrevendo, adora brincar com seus bichinhos de estimação. Ela mora com a família em Milwaukee, Wisconsin. A autora esteve aqui no Brasil em Dezembro de 2017, numa disputada sessão de autógrafos. Eu não pude comparecer devido a problemas pessoais. Abaixo deixarei quatro quotes (junto ao link da resenha), cada qual de um livro da série. Caso não consiga ler os quotes, e só clicar nas imagens para maior resolução. 💘💘💘





✔ Para conferir a resenha, clique AQUI.





✔ Para conferir a resenha, clique AQUI.




✔ Para conferir a resenha, clique AQUI.




✔ Para conferir a resenha, clique AQUI.

16 de jan de 2018

O meu problema é que sou intensa demais…

Para alguns isso tudo é drama, para outros é frescura, tem os que acham que eu só quero chamar atenção. Tem gente que nem se importa, não tá nem aí. Mas a verdade é que eu sou feita de excesso. Em excesso. 

Nasci assim, com umas células extras de intensidade no corpo. Sou oito ou oitenta, tudo ou nada, agora ou nunca. Se eu amo alguém, é dilaceradamente, com todo o meu coração. Mas se odeio alguém, é na mesma intensidade e fica estampado na cara a minha falta de simpatia. Quando eu estou feliz, é exageradamente, não consigo nem conter o sorriso que fica preso de orelha a orelha, mas se estou triste é com o mesmo exagero e aí eu choro como se o mundo fosse se desfazer. 

Eu sou tempestade, terremoto, furacão, então não me peça pra ser calmaria, garoa, sol de fim de tarde, porque eu não vou conseguir. Não aprendi a ser meio termo. Mais ou menos. Café com leite. Não consigo sentir nada em conta gotas, sabe? De pouquinho em pouquinho. Se eu sinto, é sempre muito, sempre grande. Não me pede pra engolir o que quer sair de mim, nem pra ignorar o que eu sou. Não me peça pra ser menos, porque eu só sei ser mais. Sou mais alma e coração do que corpo, e mesmo que muita gente não entenda isso, eu gosto de ser assim. 

É claro que viver transbordando o tempo todo tem o seu lado ruim. Às vezes a gente se machuca feio, quebramos a cara com tudo no chão, às vezes sangra um bocado dentro da gente e demora um tempão pra estancar. Às vezes a gente dá tudo o que tem e mais um pouco, porque não conseguimos fazer absolutamente nada pela metade, e não recebemos na mesma proporção. E aí parece que a dor dobra, se multiplica, aumenta. Mas sabe o lado bom disso? É que apesar de ser horrível no começo, quando passa, não sobra nada. Fica vazio, sem nenhuma marca, nenhuma cicatriz. Porque ser intenso é isso. 

Ser intenso é ter coragem de cair de cabeça mesmo sem ter certeza se lá embaixo vai ter alguém para nos apoiar. É ter pressa pra fazer dar certo e, vez ou outra, se dar conta de que o certo era o errado. É viver com frio na barriga, como se fosse sempre a primeira vez de tudo. É incendiar, pegar fogo, causar estragos. É não ter medo de gritar, de arriscar, de tentar. É não ter medo de viver. E fazer isso como se o mundo fosse acabar amanhã, afinal, hoje pode mesmo ser o nosso último dia, então que tenha muito drama, muita frescura, muita tentativa de chamar atenção. E que a gente chame! 

Eu quero ir embora com a certeza de que eu fiz tudo o que eu podia, de que eu tentei tudo, de que eu lutei por tudo e, principalmente, que aproveitei tudo. Mesmo que esse tudo, em alguns momentos, seja triste e solitário. Dizem que o meu problema é que sou intensa demais, exagerada demais, mas quer saber? Melhor ser assim, do que ser oca e sem graça. 

[Por]: Gabriela Freitas 
[Via]: ASTROBR

15 de jan de 2018

[CRÔNICA]: O REI E O MENSAGEIRO

Um Rei mandava cortar a cabeça dos mensageiros que lhe davam más notícias. Desta forma, um processo de seleção se estabeleceu: os inábeis foram sendo progressivamente eliminados, até que restou apenas um mensageiro no país. Tratava-se, como é fácil de imaginar, de um homem que dominava espantosamente bem a arte de dar más notícias. Seu filho morreu  dizia a uma mãe, e a mulher punha-se a entoar cânticos de júbilo: Aleluia, Senhor! Sua casa incendiou,  dizia a um viúvo, que prorrompia em aplausos frenéticos. Ao Rei, o mensageiro anunciou sucessivas derrotas militares, epidemias de peste, catástrofes naturais, destruição de colheitas, miséria e fome; surpreso consigo mesmo, o Rei ouvia sorrindo tais novas. Tão satisfeito ficou com o mensageiro, que o nomeou seu porta-voz oficial. Nesta importante posição, o mensageiro não tardou a granjear a simpatia e o afeto do público. Paralelamente, crescia o ódio contra o monarca; uma rebelião popular acabou por destituí-lo, e o antigo mensageiro foi coroado ReiA primeira coisa que fez, ao assumir o governo, foi mandar executar todos os candidatos a mensageiro. A começar por aqueles que dominavam a arte de dar más notícias.


[Por]: Moacyr Scliar 
[Via]: As Melhores Crônicas do Brasil

11 de jan de 2018

[Falando em]: A fera em mim — de Serena Valentino

Eu recebi essa lindeza para resenhar no blog "Uma leitura a mais", e, claro, aqui também (P.S.: Obrigada, Renata!). 💘💘💘 Esse é o conto de fadas que eu mais AMO (um clássico chamado A Bela e a Fera), e lê-lo por outra perspectiva, descobrindo como tudo aconteceu, é de encher os olhos e o coração. Confira agora a sinopse e o meu parecer sobre "A fera em mim", obra da autora Serena Valentino, publicado pela Universo dos Livros. 


Sinopse: Um príncipe amaldiçoado se isola em seu castelo. Poucos o viram, mas aqueles que conseguiram tal proeza afirmam que seus pelos são exagerados e suas garras são afiadas como as de uma fera! No entanto, o que levou esse príncipe, que já foi encantador e amado por seu povo, a se tornar um monstro tão retraído e amargo? Será que ele conseguirá encontrar o amor verdadeiro e pôr um fim à maldição que lhe foi lançada? Em A fera em mim, conheça a história por trás de um dos mais cativantes e populares contos Disney de todos os tempos  A Bela e a Fera!


"Porque a beleza existe no espírito de quem as contempla..." 

Uma história apaixonante!


No passado, o príncipe caçava feras selvagens por esporte e prazer. Ele mostrava-se superior a todos, sendo cruel até mesmo com os que o serviam. Gastava dinheiro dos impostos que recolhia com bebidas e mulheres, sempre ao lado do melhor amigo, Gaston. Acabou o noivado com Cerci, ao descobrir que ela era filha de um criador de porcos. Teve como castigo um terrível feitiço, feito pelas três irmãs/bruxas da ex noiva: Lucinda, Rubi e Marta.
Seus joelhos se curvaram quando seu mundo começou a ficar embaçado. Sua visão começou a ficar estreita até ele se encontrar na escuridão, envolvido em uma imagem do passado  de como era antes de se tornar um monstro. Antes de se tornar a fera. (Livro: A fera em mim, Pág.21)
(clique na imagem para maior resolução)

A transformação física era uma das consequências que o príncipe viria a sofrer, e para quebrar o feitiço teria de provar do amor verdadeiro, antes de completar 21 anos e previamente ao cair a última pétala de uma rosa que lhe fora destinada. Ele ficou noivo da princesa Tulipa Morningstar, a fim de quebrar o feitiço, algo que não deu certo.
O coração do príncipe estava acelerado, seu peito estava pesado, e era difícil de respirar. De repente, percebeu que tudo que as irmãs disseram estava se tornando realidade. (Livro: A fera em mim, Pág.93)
Eis que uma jovem garota desiste da própria vida para ter o pai em liberdade, pois ele fora preso no castelo por tal monstro. Entre divergências, a jovem Bela consegue enxergar a dor interna da fera, destinando-os em um novo e vigente sentimento. 
No entanto, se algum de nós estivesse lá, perto da lareira, e pudesse ver o olhar na expressão das irmãs, poderia notar que as bruxas temiam ao contrário. Por quê? Porque podiam ver o olhar no rosto de Bela. Conseguiam detectar sua compaixão pela Fera. Afinal, ele havia acabado de salvar a sua vida. As três irmãs resolveram que precisavam agir. (Livro: A fera em mim, Pág.154)
Agora cesso os comentários para não soltar mais spoilers.

A FERA E MIM não é uma história recontada. Trata-se de uma outra versão, onde somos apresentados às consequências que levou um príncipe a se tornar uma fera. Uma trama que tem inferência entre 'ação e consequência', ou se preferir, 'crime e castigo'. A autora conduziu a trama de forma singela e fruível, fazendo da leitura mais enternecedora. Eu sempre tive vontade de saber o motivo do príncipe se transformar numa fera  e, aqui, a trama mostra mais, até mesmo a amizade desde a infância do príncipe com outro personagem de grande importância, o Gaston.  

Apesar de ser uma sucessão corriqueira de acontecimentos e pouco relatada, a obra não deixou nada a desejar. Arrisco-me a dizer que, em partes, tornou-se mais interessante do que o clássico apresentado pela Disney. Eu amaria ver uma adaptação deste livro. o/ 

A história é narrada em terceira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação está excelente, com fontes e espaçamentos laterais maiores (o que contribuiu muito na leitura), adornada em papel Holmem Book (o amarelinho mais áspero); e a capa é linda de viver, estampando na frente o príncipe já enfeitiçado e atrás em sua essência, mostrando um belo rapaz. Por fim, para quem curte um instigante conto de fadas, eis essa belíssima pedida. 💘💘💘 


Livro: A FERA EM MIM
Autora: Serena Valentino
Gênero: Drama/Romance/Fantasia
Editora: Universo dos Livros
Ano: 2016
Páginas: 192

9 de jan de 2018

[Falando em]: A FORÇA QUE NOS ATRAI — de Brittainy C. Cherry

minha segunda leitura de 2018 não poderia ser melhor, afinal, trata-se do último livro de uma série que AMO, escrito por uma autora que tornou-se uma das minhas queridinhas. Eu ganhei esse presente de Natal da Renata Pereira, amiga e administradora do blog que sou colaboradora  Uma leitura a mais (P.S.: Obrigada, Re!). 💘💘💘 Confira agora a sinopse e o meu parecer sobre "A FORÇA QUE NOS ATRAI", último livro da "Série Elementos", escrito por Brittainy C. Cherry e publicado pela editora Record. Chega mais! o/



Sinopse: Graham e Lucy não foram feitos um para o outro. Mas é impossível resistir à atração que os une. Graham Russel é um escritor atormentado, com o coração fechado para o mundo. Casado com Jane, um relacionamento sem amor, ele vê sua vida virar de cabeça para baixo quando Talon, sua filha, nasce prematura e corre risco de morte. Abandonado pela esposa, ele agora precisa abrir seu frio coração para o desafio de ser pai solteiro. A única pessoa que se oferece para ajudá-lo é Lucy, a irmã quase desconhecida de Jane. Apaixonada pela vida, falante e intensa, ela é o completo oposto de Graham. Os cuidados com a bebê acabam aproximando os dois, e Lucy aos poucos consegue derreter o gelo no coração de Graham. Juntos, eles descobrirão o amor, mas os fantasmas do passado podem pôr tudo a perder. 


"Porque a atração pode tornar-se amor..." 

Um enredo apaixonante!

Lucille Hope Palmer (ou Lucy) é uma mulher de espírito livre e bom coração. O pai abandonou a família, ainda na infância. E antes da mãe falecer, quando já adultas, deixou para cada uma das filhas um presente: para a irmã do meio, Mari, ela deixou uma cadeira de balanço, a fim de tranquilizar sua mente acelerada; para a irmã mais velha, Lyric, deixou uma caixinha de música com uma bailarina, pois essa era sua paixão; e por último, para a caçula, Lucy, ela deixou...
O presente que ela me deixou foi o seu coração. Era uma pequena joia que ela usava no pescoço desde adolescente, e eu me senti honrada em recebê-la. "É o coração da nossa família", ela disse. "De um espírito livre para outro, para que você nunca se esqueça de amar intensamente, minha Lucille..." (Livro: A FORÇA QUE NOS ATRAI, Pág.8)

(clique na imagem para maior resolução)


Graham Russell é um famoso escritor, filho de um ícone da literatura, o escritor Kent Theodore Russel, um homem admirado por muitos e que fora um terrível pai, fazendo com que ele tornara-se um homem de alma insensível e desprovido de amor. Casado com Jane, uma advogada tão insensível e desprovida de amor quanto ele, descobre que será pai. E assim que sua filha nasce prematura, com poucas chances de sobreviver, é abandonado pela esposa. 
Graham era um monstro nascido das circunstâncias mais terríveis. Ele era dolorosamente lindo, de um modo sombrio. Suas palavras me mandavam ir embora, mas seus olhos me imploravam que ficasse. (Livro: A FORÇA QUE NOS ATRAI, Pág.136)
O destino faz com que o espírito livre de Lucy e a alma sombria de Graham entre em combate, revelando sabores e dissabores, conduzindo-os a um verdadeiro amor.
Tudo bem nós lidarmos com as coisas de maneiras diferentes. Ela deixava seu coração à mostra, e eu mantinha o meu preso com correntes de aço bem no fundo da alma. Sem hesitar, eu a abracei mais forte. A mulher que sentia tudo buscava apoio no homem que não sentia absolutamente nada. (Livro: A FORÇA QUE NOS ATRAI, Pág.148)
Agora cesso os comentários para não soltar spoilers

Ler um texto da Brittainy C. Cherry é ter a certeza de que irá se enveredar em intensidade. E este último livro da "Série Elementos" não foge a regra. Com o ingrediente de sempre o leitor é apresentado a uma ficção  diga-se de passagem  bem realística. 

A FORÇA QUE NOS ATRAI é leve como uma brisa e intenso como uma tempestade. Com uma narrativa singela apresenta uma situação complicada. A autora novamente criou uma trama linda e envolvente, com personagens que grudam na pele, fazendo do conteúdo mais verossímil. Assim como nos outros livros da série, os personagens secundários são de grande importância, tornando-se a cereja do bolo. Mas é indiscutível o contraste e amor que senti por Lucy e Graham, no calor da escuridão. O final é surpreendente, eu não imaginava aquilo, e posso dizer... FOI LINDO DE VIVER!!! 💘💘💘 Apesar de esse não ser o meu queridinho da série, ainda assim é MARAVILHOSO. Brittainy fechou a série de forma intensa e linda  e, agora, estou numa baita ressaca literária. o/

O enredo é narrado em primeira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação está excelente, com fontes e espaçamentos em bom tamanho, adornada em papel off-white; e a capa é belíssima, no mesmo padrão das outras capas da série, desta vez estampando o insensível e apaixonante Graham. Por fim, para quem gosta de uma trama envolvente e apaixonante, eis essa sensacional pedida. \o/\o/\o/


Livro: A FORÇA QUE NOS ATRAI
Série Elementos  Livro 4
Autora: Brittainy C. Cherry
Gênero: Drama/Romance
Editora: Record
Ano: 2017
Páginas: 308