21 de jun de 2018

[SERVIÇOS EDITORIAIS]: CAPAS A PRONTA ENTREGA

Segue algumas capas para e-book a pronta entrega, o valor é apenas R$50,00. Eu estarei sempre atualizando essa postagem com novas capas, e caso você tenha interesse, favor entrar em contato citando o número da capa para o e-mail: simoniass@hotmail.com


                                        CAPA 1                                                           CAPA 2
  


                                        CAPA 3                                                         CAPA 4
 


                                        CAPA 5                                                         CAPA 6
 


                                      CAPA 7                                                 CAPA 8 - VENDIDA
 


                                      CAPA 9                                                          CAPA 10
 


                                       CAPA 11                                                        CAPA 12
     


                                        CAPA 13                                                       CAPA 14
 


                                      CAPA 15                                                        CAPA 16
 


                                      CAPA 17                                                       CAPA 18
 


                                       CAPA 19                                                       CAPA 20
 


                                      CAPA 21                                                        CAPA 22
 


                                     CAPA 23                                                         CAPA 24
 


CAPA 25

[Falando em]: Desconcertos — de Ricardo Tagliaferro

Eu recebi essa lindeza em parceria com o autor Ricardo Tagliaferro. A propósito, quero agradecer o autor pela confiança e parceria. 🌷🌷🌷 Esse é o meu primeiro contato com um de seus textos e já adianto que: "Eu leio até mesmo a lista de compras do Ricardo!" o/ Confira agora a sinopse e o que eu achei de DESCONCERTOS, uma publicação independente. 


Sinopse: Desconcertos é uma coletânea de contos que retratam a vida normal de pessoas comuns em seu cotidiano rotineiro. Um homem bem-sucedido, mas infeliz; um fotógrafo abandonado por sua maior inspiração; um violinista com vontade de largar tudo; um padre desacreditado; e alguns outros relatos de quem decidiu viver à sua maneira. Histórias fictícias que muito bem poderiam ser reais... e talvez até sejam. O que difere a vida dessas pessoas da nossa é o infortúnio. Não se assuste caso se depare com um caso em que se identifique. A vida é nada mais do que isso: viver. 


"Porque somos todos eternos desconcertos..." 

Um belíssimo grito no escuro!

Por se tratar de uma coletânea de contos, cada qual com sua particularidade, antes de dar o  meu parecer deixarei abaixo três quotes da obra. 

(clique na imagem para maior resolução)

Ela, agora casada, seguia radiante para o fim já esperado. Ele, conformado, seguiu o caminho oposto, talvez obscuro, que o condenava. Duas vidas divididas pelo poder do livre arbítrio. Dentre todas as grandes escolhas, optou por ser padre, mas, se pudesse, teria escolhido não celebrar o casamento do amor de sua vida. (Conto: Enlace, Pág. 31)
Na manhã seguinte não havia ele, não havia ela, havia apenas as ondas libertadoras. Para os dois, as coisas mais importantes no final de suas vidas eram o mar e amar. (Conto: A Ilha, Pág. 79)
Ele encontrou dentro de casa a felicidade que tanto procurava fora, e fora castigado com o abandono. Não pela mulher com quem escolhera viver até o fim da vida, e sim pela própria mente, que o enganou, fazendo-o acreditar que, às vezes, tentamos plantar algo na terra do outro sem saber que a nossa terra, de todas, é a mais fértil. (Conto: Cotidiano, Pág. 115)
(clique na imagem para maior resolução)


DESCONCERTOS é um farfalhar de sentimentos adversos, um retrato real da vida. O título da obra condiz com o seu propósito, apresentando contos singulares, cada qual adornado em sabores e dissabores. Há em cada conto um traçado melancólico, com infortúnios dos quais muitos são fadados. Trata-se de uma leitura rápida e de fundo reflexivo. Eu, como uma boa admiradora de textos que conduzem o coração, ADOREI!!! ♥♥♥ Por fim, para quem é apreciador (a) de uma breve leitura e recheada de sentimentos, eis essa belíssima pedida. o/

Os contos são narrados em primeira e terceira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação está excelente, com bom espaçamentos e fontes um pouco maiores (o que facilitou ainda mais a leitura), adornada em papel pólen (o amarelinho); e a capa é singela e bonita, estampando o título da obra e o nome do autor.


Livro: Desconcertos
Autor: Ricardo Tagliaferro
Gênero: Coletânea de Contos
Publicação  Independente
Ano: 2018
Páginas: 138

19 de jun de 2018

[Novo Parceiro]: Ricardo Tagliaferro

Olá, amores!
Hoje venho com uma belíssima novidade, o mais novo autor parceiro aqui da blog. A propósito, eu já conheço o Ricardo Tagliaferro das redes sociais, porém nunca havia lido nada dele. E falando nisso, já dei início com a leitura de seu recente lançamento  DESCONCERTOS , uma coletânea de contos que retrata a vida das pessoas em seu cotidiano, e posso afirmar que estou adorando. 💘💘💘 Agradeço o autor e aviso que logo menos teremos resenha da obra aqui. Agora convido a todos para conhecer um pouco mais do autor. Vem junto! o/







Biografia: 


RICARDO TAGLIAFERRO nasceu em Pindamonhangaba em 1992 e estreou na literatura em 2014 aos 22 anos. É amante de fotografia e enologia, além de um eterno apaixonado pela produção editorial. É autor de 100 cartas de uma saudade e 18 anos de solidão, romances que o projetaram no mundo literário. Participou de antologias poéticas no Brasil e em Portugal, além de participar como autor e organizador das coletâneas de poesias Depois das 11 e Café e Prosa. Desconcertos é sua estreia em um mundo que sempre admirou: o das histórias curtas, mas isso não o fez abandonar o drama exacerbado e o convite à reflexão, fatores que o norteiam em todas as suas obras.


P.S.: E aí, curtiram?! 
Logo menos teremos resenha de DESCONCERTOS. 
Fiquem ligados!!!

[Serviços editoriais]: Capas para e-book

Olá, lovers!
Segue mais seis capas de e-book a pronta entrega. Lembrando que o preço é acessível, e caso alguém tenha interesse, entrar em contato dizendo o número da capa no e-mail: simoniass@hotmail.com


                                      CAPA 20                                                        CAPA 21
 



                                     CAPA 22                                                          CAPA 23
 



                                     CAPA 24                                                         CAPA 25
 

"A história de cada um"

Viver, como talvez morrer, é recriar-se: a vida não está aí apenas para ser suportada nem vivida, mas elaborada. Eventualmente reprogramada. Conscientemente executada. Muitas vezes, ousada. (Lya Luft) 
Nem é preciso que revelem o quanto a dor dilacera, o peito arfa e os dias não escoam. Diviso a tortura em cada olhar. Não, essencial isso não é, mas sei o quanto é necessário que cada de um de nós conte sua história. 

Levantou-se P., portanto, mãos trêmulas, cultuando a luz da sala: 

 Eu sonhava que o momento seria eterno e que, de tão incomensurável, poderia adquirir o dom de voar e seduzir a amplidão; saberia enxergar lágrima doce em cada melodia de canções favoritas. Porém, da calmaria passei rapidamente para o sopro de fúria, e agora preso aqui estou, sem mais reconhecer os limites da minha ira. Essa é a minha indignada história. 

Mais doce, constrangida, todavia decidida, foi a vez de E.: 

 Eu vivia em um mundo de opostos; subia constantemente em escadas de enganos que me conduziam a lugar nenhum. Diria que a minha vida é composta de vários capítulos, sem começo ou fim, mas tentei, a todo custo, dar conclusão a um deles. Fui ineficaz. Essa é a minha covarde história. 

 Pois eu não tenho rimas!  Excedeu-se J.  Meus versos são ausentes, sem época, mas aliviam a solidão que me gasta por dentro. Fui e sou assim, sempre assim, e segui caminhos ocultos, procurando acolhimento para as dúvidas da alma. E estou aqui a transformar meu universo, em um perpétuo recomeço. Essa é a minha inacabada história. 

Era a vez de Z., ele sabia: 

 Não tenho mais memória do que fui, escondo-me do que é real, prefiro ser absorvido por quimeras; não quero que me provem nada, pois não quero entender nada, nem que a mim julguem. Para mim, as conversas se esvaem pelos cantos, então, pretendo continuar aqui dentro, na antessala de mim. Essa é a minha crua história. 

L. abriu um pedaço de folha amassada do bolso, ergueu-se o mais suprema que pôde, mas leu em voz miúda, como se ninguém lhe fizesse companhia: 
 Sou nuvem, dona do céu, mas já fui somente gota na pedra. Sou vaga, sou verso, sou estrada rara. 
E gritou: 

 Essa é minha história! 

Um estrondo rouco fez todos se voltarem para a janela: tempestade a chegar. Esse grito veio através das cortinas, na ânsia das horas passando. O silêncio me consentiu avançar à frente de todos: 

 Minha história é essa: amei mais do que chorei, gritei muito mais do que calei, fugi tantas vezes, mas entrei muitas outras na batalha, sem armaduras. E como me feri! Nem sempre me curei. Tirei as dores da alma e as guardei na mala, e é quando a abro que me fortaleço. 

Depois disso, cada um deles se fechou em si mesmo. Notei o saudosismo nos olhares, a brisa de espera que vinha da sala, vento morno de saudade. A reunião terminara. Retornaram às respectivas alas, e eu ainda fiquei lá mais um pouco, esperando pelo temporal, que não veio. 

[Via]: Papo de Fran