18 de jul de 2015

Poema do Abandono — por Mizael Souza


Você que derramou tantas lágrimas por alguém que te deixou








Que disse que te amava e depois te abandonou.
Você se sentiu traído, como objeto foi usado
E depois de se desgastar, perdeu a graça e foi trocado.


Você se anulou tanto que perdeu a própria identidade
Abriu mão de todos os sonhos e da própria felicidade
E por fim terminou vazio como uma bolha no mar do nada
Desprezado, triste e aflito, com a alma amargurada.

Você semeou o amor, mas colheu apenas indiferença
De quem que não te valorizou e te tratou com total descrença
Agora você está só e sentindo a tua alma ferida
Rasgada pelas mentiras que enfeitaram a tua vida.

Você tenta achar explicações e se culpa sem parar
Promete para si mesmo que nunca mais vai conseguir amar
Enterra-se na melancolia de um quarto sombrio e escuro
Afundando-se numa depressão que não vai te deixar seguro.

Você está equivocado, porque não é assim que se faz
Entregar-se a essa tristeza não vai te devolver a paz
Erga a cabeça e entenda que a vide seguirá sempre em frente
E sempre haverá outra chance de tentar ser feliz novamente.

Não enterre de vez a tua vida na cova da amargura
Não viva como um defunto apodrecendo numa sepultura
Olhe-se no espelho e reconheça o teu valor
A vida não pára, continua e haverá tempo para um novo amor.

Esqueça todo o passado e nas suas feridas se fortaleça
Perdoe a quem te ofendeu antes que você adoeça
Você é muito maior do que isso, o erro não está em você
Tenha sua consciência tranquila para lutar e vencer.

Deus já tem te preparado a melhor das opções
Se hoje nada foi a contento, Ele tem as suas razões
Espere com paciência e no tempo certo virá
A pessoa certa para a sua vida e vocês irão se amar.

(Poema do Abandono — por Mizael Souza)


**Para adquirir o livro de poemas do Mizael, com o título
"Até Onde o Amor Pode Alcançar", clique AQUI.

Nenhum comentário

Postar um comentário