8 de abr de 2018

[Falando em]: Outlander, A Viajante do Tempo — de Diana Gabaldon

Apaixonada e fã incondicional da série (SIM, EU ASSISTI A SÉRIE ANTES DE LER O LIVRO), me senti maravilhada em ter essa lindeza em mãos. 💘💘💘 Eu recebi o livro em parceria com a editora Arqueiro, para resenhar no blog "Uma leitura a mais" e, claro, aqui também. Confira a sinopse, trailer legendado da primeira temporada da série, além do que achei de "Outlander, A Viajante do Tempo", obra da escritora Diana Gabaldon. Vem junto! o/


Sinopse: Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros. Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro das Terras Altas, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo pelo escocês. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente?





"Porque se queres prever o futuro, estuda o passado..." 


Uma trama apaixonante! 💘💘💘

Durante um longo tempo, Claire e Frank Randall ficaram separados: ela atendendo aos feridos e ele como combatente da Segunda Guerra Mundial. Ao término da guerra, o casal decide viajar em uma segunda lua de mel para Inverss (na Escócia), tendo as Ilhas Britânicas e suas lendas como companhia. Frank é um historiador e professor, o que faz com que ele e a esposa bisbilhotem um suposto ritual de bruxas. No dia seguinte, Claire resolve visitar tal círculo de pedras sozinha, e como mágica é transportada para 1743.
Parecia inconcebível, mas todas as evidências indicavam que eu estava em algum lugar onde os costumes e a política do final do século XVIII ainda vigoravam. Eu teria imaginado que tudo não passava de algum tipo de espetáculo à fantasia, se não fosse pelos ferimentos do jovem a quem chamavam de Jamie. (Livro: Outlander - A Viajante do Tempo, Pág.69)

(clique na imagem para maior resolução)

Claire se vê dois séculos antes, dando de cara com Black Jack Randall (antepassado do seu marido), igualmente em aparência, porém um terrível oficial da cavalaria inglesa. Ela é socorrida por um dos membros do clã Mackenzie, e acaba por ajudar nos ferimentos de Jamie, um jovem e ousado escocês. Ainda perdida, tentando entender o que está acontecendo, é levada ao Castelo Leoch, sendo apresentada a todos e servindo aos enfermos. Ela é questionada sobre sua origem e para não ser capturada por Black Jack, a fim de tornar-se legalmente escocesa, casa-se com Jamie.
 Eu a aceito, Claire, como minha esposa...  Sua voz não tremia, mas sua mão sim. Segurei seus dedos com mais força. Nossos dedos rígidos apertavam-se como tábuas num torno de bancada.  ... amar, honrar e proteger... nos bons e nos maus momentos...  As palavras vinham de longe. O sangue esvaía-se da minha cabeça. O corpete com barbatanas era infernalmente justo e, embora eu sentisse frio, o suor escorria pelo meu corpo por baixo do cetim. Esperava não desmaiar. (Livro: Outlander - A Viajante do Tempo, Pág.237)                                      
(clique na imagem para maior resolução)

Claire e Jamie passam a enfrentar muitos obstáculos entre reinos e clãs, e mesmo envolvidos em tantos percalços, ficam mais íntimos e se apaixonam. A paixão acaba por se tornar amor, tornando o sentimento vigente o obstáculo maior, pois Jamie está sendo caçado pelo reino inglês, enquanto Claire é acusada de bruxaria. 
 Tudo que já lhe disse a meu respeito é verdade  disse, assentindo loucamente como se quisesse me acalmar.  Tudo. Eu não tenho família, não tenho ninguém, não tenho nenhuma história, porque eu ainda não aconteci. Sabe quando eu nasci?  perguntei, erguendo os olhos. Sabia que os meus cabelos estavam desgrenhados e meus olhos estatelados, mas não me importava.  No dia 20 de outubro, do ano da Graça de 1918. Você me ouviu?  insisti, porque ele piscava para mim, paralisado, como se não prestasse atenção a nenhuma palavra do que eu dizia.  Eu disse mil novecentos e dezoito! Quase daqui a duzentos anos! Está me ouvindo? (Livro: Outlander - A Viajante do Tempo, Pág.486)   
Agora cesso os comentários para não soltar mais spoilers.

Dividido em sete partes (com 752 páginas), EU ME APAIXONEI MAIS POR ESSA SÉRIE. Adianto que a adaptação teve algumas alterações, nada que tenha alterado a trama. Pelo contrário, apenas acrescentou, tornando o conteúdo mais espetacular.   

OUTLANDER, A VIAJANTE DO TEMPO é um lindo romance. Trata-se de uma história intercalada entre presente e passado, sussurrando uma anedota do que há de acontecer no futuro. Entre guerras, lutas de clãs, amores e desafetos, eu me senti íntima dos personagens, cada qual com sua particularidade. O que eu falei até agora é pouco: a trama é adornada com um enredo excelentemente construído, com personagens e situações que grudaram na minha pele. E mesmo que eu tenha assistido a adaptação antes, nada alterou, pois o amor que sinto pela história expandiu-se. Jamie e Claire tornaram-se mais especiais, assim como alguns personagens secundários. Não há mais o que dizer, a não ser reiterar para você, amante de um magnífico romance com alta dosagem de risadas, ESSA SENSACIONAL PEDIDA. Se eu gostei?! NÃO, EU NÃO GOSTEI! EU HIPER, ULTRA, MAX AMEI!!! 💘💘💘 E leio até mesmo a lista de compras da Diana Gabaldon. o/

O enredo é narrado em primeira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação é simples, com fontes e espaçamentos em bom tamanho, adornada em papel off-white (o amarelinho mais claro); e a capa é belíssima, estampando Claire e Jamie num momento importante da história. 


Livro: OUTLANDER, A VIAJANTE DO TEMPO (Livro 1)
Autora: Diana Gabaldon
Gênero: Romance de época/Fantasia
Editora: Arqueiro
Ano: 2018
Páginas: 752

Nenhum comentário

Postar um comentário