26 de nov de 2014

Sobre 2014...

À  s vezes me pego pensando:

 Por que trabalhar tão corretamente se na verdade não há reconhecimento? Aliás, pela segunda vez, estou me sentindo usada, descartável, um lixo. Dei o melhor de mim, nunca faltei e foram poucas as vezes que atrasei (no máximo uns 3 minutos). Fui trabalhar com dores e só enfrentava um posto de saúde depois do meu horário de serviço, para que assim, não houvesse nenhum comentário.

Atendi sempre muito bem os clientes e funcionários, entreguei os relatórios (semanais e mensais), tudo no prazo que fora estipulado. Segurei meu desapontamento e choro: fosse com um cliente ou até mesmo com um funcionário egocêntrico, que decerto me colocava num patamar abaixo: o de telefonista-terceirizada-necessitada. SIM, eu ainda sou uma necessitada telefonista, porém, desempregada. E se não fosse eu estar lá, atendendo bem a todos, teríamos uma guerra audio-telefônica. Entre promessas falsas e tapinhas nas costas, depois do afastamento, escutei:

 Entrará um nova empresa, também terceirizada, mas pelo que sabemos, serão contratadas novas funcionárias, pois não querem ninguém com vícios de trabalho por aqui...

Foi isso mesmo que escutei? Vícios de trabalho? O meu único vício foi trabalhar direito, e sinceramente, é lamentável escutar isso da boca de uma pessoa que só consegue estar onde está porque lambe o rabo de uma gerência e diretoria que de fato tá cagando e andando para os funcionários (principalmente os terceirizados). Lembro-me de uma coisa que foi dita, um pouco depois que o meu contrato acabou:

 Agora você é uma escritora famosa, não precisa mais trabalhar aqui atendendo esse telefone.

Hein? Eu sou uma autora independente, que quebrou o contrato de última hora com uma editora e rodou apenas 160 livros físicos , e que graças a Deus, por meses, conseguiu segurar as contas de casa com o salário (que nem era aquelas coisas), mais o dinheiro destes livros. Agora sem o salário, e por sinal, sem a rescisão que ainda nem foi paga (e sabe-se lá se algum dia vai ser?) pela contratante de merda terceirizada, estou mais na merda do que nunca. P.S.: Olha a redundância na palavra "MERDA" Dona Simone... Me dê um desconto pessoal, estou triste, revoltada e com o coração nublado!!! Eis 'a escritora famosa'.

Então, no auge do desespero, tenho o meu momento "Alex"...

 Opa! Perae, quem é Alex? 

Pra quem não sabe,  Alex é a personagem central do meu livro. Ela é meio assim: Entre o Céu e o Inferno —, e digo desde já que estou mais no momento "Alex - Inferno" do que no momento "Alex - Céu": desacreditando de tudo e de todos  até mesmo do cara lá de cima  o tal Deus! No entanto, ainda existe um lampejo de esperança, pois tenho que me lembrar que foi Alex, Max e o Juan que fizeram do meu 2014 melhor, pois esta conquista  a meu ver  foi uma das poucas coisas que valeu a pena este ano...

Por fim: ainda estou ao lado daqueles que realmente importa pra mim (minha família), e por isso estou encontrando forças até mesmo no 'meu inferno astral'. Aliás, meu INFERNO deve estar feliz em me ver deste jeito. Na verdade, queria estar na companhia do meu CÉU, mas este tampouco lembra que eu existo.

Se vou agradecer este 2014?

SIM! Valeu DEUS!!! Só estou revoltada com a situação que me encontro... Mas vou tentar acreditar que dias melhores virão... E pra fechar esse post com chave de ouro, deixarei um sonzinho, que me inspirou em um dos capítulos do livro... e seja o que Deus quiser, porque...
Mesmo quando tudo pede um pouco mas de calma, até quando o corpo pede um pouco mais de alma, a vida não pára.

6 comentários

  1. Terrível isso tudo...
    Mas não desanime. Saber aonde já é estar indo.
    GK

    ResponderExcluir
  2. Não fica assim Simone. Você terá forças para ultrapassar tudo isso. E visível a mulher forte que é, e jamais desacredite em Deus. Ele existe e ti ama incondicionalmente. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Si, cadê minha guerreira? Cadê minha campeã?
    Amore, é um momento **ruim**, mas vai passar e seu Céu voltará. Certeza!
    Afinal nem toda tempestade é para sempre e o momento da bonança chegará, força nas madeixas! <3
    " uma cangaceira capota, mas não freia! "
    Te adoro, fique bem!
    Bju's Ju.

    ResponderExcluir
  4. Amora, Amoreca. Sabe que te amo né? Fé em Deus, as vezes eles nos deixa sozinhas para testar nossa força e ver o quanto merecemos suas dádivas. Você é espetáculo menina, acha que ele te quer trabalhando de telefonista? Acredita que 2015 vai ser o seu ano TDB, aquele ano que a gente não esquece pelo resto de nossas vidas. O que precisar pode me chamar que estou a disposição, seja uma ajuda na "NET", seja para ouvir um desabafo, ou mesmo pra dar umas baforadas! <3

    ResponderExcluir
  5. Ou seja, juntando e misturando tudo, vc tem mais vitórias que derrotas. Sendo assim, levanta o cangaço e sacode o balacobaco, porque lamentar não adianta. Enquanto as coisas não acontecem, vai escrevendo, colocando tudo para fora, pois esse, ô do cangaço, é seu maior talento. Melhor ainda, um tesouro que carregará em qualquer jornada, e que ninguém, absolutamente ninguém, poderá tirar de ti. Além disso, que graça teria a vitória sem uma labuta sangrenta? Chegar ao topo tem mais brilho dessa forma!
    Vc é amada e respeitada, reconhecida pelo dom que muitos almejam e poucos conseguem. Chuta a macumba da tristeza e empunhe sua espada. Conforme uma frase de Liberos Ignis: "Guerreiras também choram. Depois, enxugam suas lágrimas e seguem para a nova batalha". =D
    Beijocas, eu te loveio, cangaceira! ♥

    ResponderExcluir
  6. Mores,

    Obrigada pela força! Aliás, o que mais me entristece é ver que uma atitude desta, pode ferrar com a vida do outrem. Infelizmente o mundo é como é: com pessoas que pensam somente em si, deixando de fazer um bem maior. Se ao menos 'estes' conseguissem enxergar a situação como 'necessidade', teríamos um mundo melhor.

    Beijossssss em todos,

    Si.

    ResponderExcluir