10 de jun de 2016

Falando em João Roberto (o Johnny)...


Eu pensei muito se colocaria o meu desabafo aqui. E, por fim, resolvi deixá-lo por aqui também e não apenas no facebook. Afinal, minha intenção nunca foi destruir a imagem de um personagem do qual eu sempre escutava em uma canção e que, por sinal, sempre AMEI.  S2 O motivo deste post é único, depois de visualizar um breve e desdenhoso parecer, não indicando o obra pela qual dediquei-me de coração, pois o personagem que construí não correspondeu às expectativas da leitora, SIM, ela queria um Johnny bonzinho (P.S: Aliás, há bondade e amor nele!)... Pois bem, vamos ao desabafo... E apesar de tudo, sou grata por ter os leitores que tenho. Aos leitores que sempre me apoiam... Obrigada! Sem vocês eu nada sou. S2

------------- xxx ------------- 

Antes de desmerecer uma obra não indicando-a, pois a mesma não correspondeu às suas expectativas, pense que o que foi ruim pra você pode ser maravilhoso para outros. Pois bem, o autor tem a liberdade de criar o personagem como bem entender, e o fato de ele ter enxergado e criado um personagem diferente do que você queria ou imaginava, é apenas uma questão do querer do próprio autor. Aliás, a meu ver, uma crítica deixa de ser crítica a partir do momento que o parecer vem com argumentos que transparecem uma afronta, pelo fato de seus anseios não serem correspondidos, e até mesmo para uma crítica negativa há de se saber colocar as palavras. Não gostar faz parte, desdenhar e desmerecer o trabalho de quem se dedicou com tanto carinho são outros quinhentos. Johnny é impulsivo e egoísta, além de inconsequente e apaixonado. Ah, birrento também faz parte, pois se não fosse assim, eu não poderia ter feito o que fiz, tentando mostrar o quão dos nossos atos espelham numa possível estrada sem volta. Então, se não tiver como apreciar, nem mesmo por uma vírgula inserida, seja sucinto em seu parecer e pense naquele que criou, pois dedicou de um tempo e carinho sem igual, além do mais, o que foi ruim pra você pode ser maravilhoso para outros. ‪#‎FICADICA‬

Sem mais,

Simone Pesci

Nenhum comentário

Postar um comentário