7 de ago de 2016

Sobre a simplicidade do diamante africano e do rubi da Birmânia...


Aí você olha esta imagem e tem Gisele BUNDCHEN, a primeira Ubber top do mundo, a modelo mais bem paga da face da terra, sentada em uma cadeira comum, em uma sala que nitidamente podemos ver que nem rebocada direito está, concentrada, se preparando pra entrar e brilhar pro mundo inteiro... E tem gente que se cerca de todo aparato fantasioso pra tentar brilhar, mas vive rodeado pelo seu próprio ego venenoso. Há "artistas" que fazem tanta exigência pra uma aparição que o contratante desiste. Povo do meu Brasil, eu sempre digo, jóia de vitrine não tem valor, valor tem quem a compra e usa, daí se o valor do comprador não for em si próprio, só a jóia brilha... Sabe por que Gisele tá aí tranquila e calma?... Ela sabe que o brilho é dela, a força é dela, e não das paredes em espelho murano bizotado, chão de mármore líquido ou afins... Dê honra a quem tem... Quem é, brilha, resplandece, não precisa bradar e gritar... Eu sou fan da simplicidade do diamante africano, do rubi da Birmânia... São simples, mas são raros...

Texto por: David Vieira

2 comentários

  1. Bela reflexão, Simone. O valor não consiste nas coisas em si, e sim nos sentimentos, nas histórias que carrega.

    Mencionei você em um post no blog Anna Lírios em Letras

    Um abraço!!!
    Paz e Luz!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente isso, Anna!
      Vou dar um pulinho agora lá no seu blog. \o

      Abraçosssss

      Excluir