12 de jul de 2014

Texto: Desejos! (por Julio Damasio)

Ao vê-la naqueles trajes, não resistiu: 
— Venha, estamos a sós, senta aqui do meu lado. 
— Não, por favor! Me respeite, sou uma freira. 
— Eu sei, por isso que eu te quero, continua sendo uma mulher.
— Respeite meu hábito! 
— Respeito você o meu e o seu desejo. 
— Sou noiva de Cristo. 
— Seja noiva dele, não me importo desde que seja minha amante. Vem...? 
— Não posso, entreguei minha alma a Deus.
— Ótimo, Não quero sua alma, ele fica com ela e eu com seu corpo. 
— Não! Por favor, não chegue perto. 
— Sim! Deixa eu te mostrar os prazeres da carne. 
— Não fale assim, parece coisa de Satanás! 
— Não vamos colocar Deus nem o diabo na nossa transa, ficara broxante. Isso é coisa de homem e de mulher. 
— Não chegue mais perto, não... Não, não vou resistir! Aqui é um lugar sagrado... 
— Hum... Todos os lugares onde se pode fazer amor são sagrados. 
— Que está fazendo seu louco? Está rasgando meu hábito com seus dentes, assim eu não... 
— Sim, sim... 
— Ai! Não, sim... sim. 

Meia hora depois, ela diz:
— E agora, como vai ficar, o que vamos fazer? 
— Não esquente, relaxa... Foi bom? 
— Hum!... Demais! Mas, como vou fazer pra devolver hábito para loja de fantasias? Você arrancou todos os botões. 
— Amanhã veremos. E o Junior, já melhorou da tosse, amor? 

(via: JDamasio/A compota de Pimenta e outros Contos "puramente" Picantes 2009)

Nenhum comentário

Postar um comentário