15 de fev de 2015

Texto: Era pra ser um desabafo...

Tá difícil! Estou esgotada física e emocionalmente. Às vezes penso em pegar o meu Opala metálico azul e também dar um fim na minha vida (...) É quando me dou por conta que este é um dos personagens que escrevi —, e que nem se eu quisesse, teria como, pois não tenho um Opala e muito menos a coragem do "Johnny".

Então me dá aquela revolta, e a vontade desta vez é de sair por aí, chutando o pau da barraca e cometendo loucuras, assim como a minha doce/amarga "Alex", outro personagem que criei. E, novamente, me lembro o quão fraca sou...

Mal sabem eles que sou tudo o que escrevo!!! Isso as vezes me assusta! 

Fico chateada com a ausência de uns, mas entendo, pois em algum momento no passado, também agi assim. Me entristeço com a dificuldade financeira, o desemprego, com minha mãe doente, mas o que mais me quebra é o descaso e desdém daqueles que, por tempos, sugaram até a alma de sua família —, e hoje, sequer aparecem pra fazer uma visita aos seus genitores/parentes, matando-os aos pouco com o seu desinteresse.

Aí fico imaginando que se algo de mais grave acontecer, terei que presenciar lamúrias em frente a um caixão, provavelmente lágrimas de arrependimento. E numa situação como esta terei que ser como o "Max", outro personagem que criei (e por sinal é o que eu mais amo). Assim terei que ter sabedoria e tentar encontrar dentro de mim uma paz que sei que está distante.

Então me preocupo ainda mais, pois o "Juan", outro personagem que criei, vem a tona, provavelmente mostrando as verdades e fazendo da vida de todos um "inferno".

Como eu queria não sentir... 

O problema é que se eu não sentisse, não seria eu!

Por fim: era pra ser um desabafo, e tornou-se uma confissão.

(by -  Simone Pesci)

Nenhum comentário

Postar um comentário