25 de dez de 2015

[Falando em]: O Caçador de Pipas — de Khaled Hosseini

Quando eu digo que não mais confio em avaliações que vejo por aí. Afinal de contas, deparei-me com muitos abandonos no Skoob para esse que de fato tornou-se um dos melhores livros que já li. Ainda estou sem palavras. De 1 a 5, dou infinitas estrelas. S2

Eu ganhei essa lindeza de presente de Natal da minha moréca, a Juny Moura, e desde já agradeço pelo belíssimo presente. P.S: Obrigada, Juju! S2 Agora confira a sinopse, book trailer e resenha de "O Caçador de Pipas", primeiro enredo de Khaled Hosseini, uma publicação da Globo Livros.


Sinopse: O romance narra a tocante história da amizade entre Amir e Hassan, dois meninos que vivem no Afeganistão da década de 1970. Durante um campeonato de pipas, Amir perde a chance de defender Hassan, num episódio que marca a vida dos dois amigos para sempre. Vinte anos mais tarde, quando Amir está estabelecido nos Estados Unidos, após ter abandonado um Afeganistão tomado pelos soviéticos, ele retorna a seu país de origem e é obrigado a acertar as contas com o passado.


P.S: Book trailer antigo, editado pelo Grupo Ediouro.


"Por você eu faria isso mil vezes"


Verossímil! 
Dilacerante! 
Extraordinário!


Eu achava que este seria um texto do qual eu curtiria bastante. No entanto, minha surpresa foi ter a certeza de que ele tornou-se uma das minhas melhores leituras. Trata-se de um conteúdo forte, onde o perdão e a redenção caminham lado a lado. Uma leitura para pessoas providas de coração.


Afeganistão, década de 70.
Amir e Hassan são dois amigos com uma diferença mínima de idade. Contudo, Amir é o filho do patrão e, claro, o mais rico. Hassan, por outro lado, é o filho do empregado que mora num casebre ao fundo do casarão onde reside Amir e seu pai. O garoto rico perdeu a mãe logo quando nasceu, no parto; o garoto pobre foi deixado pela mãe dias depois que nasceu. Eles foram amamentados pela mesma ama de leite, e desde então criou-se um vínculo ainda maior, fazendo deles grandes e inseparáveis amigos.
Hassan e eu mamamos nos mesmos seios. Demos nossos primeiros passos no mesmo gramado do mesmo quintal. E, sob o mesmo teto, falamos nossas primeiras palavras.
A minha foi baba.
A dele foi Amir. O meu nome. 
Olhando para trás agora, acho que a base para o que aconteceu no inverno de 1975  e de tudo o que se seguiu  já estava naquelas primeiras palavras. (Livro: O Caçador de Pipas, Pág.20)


E mesmo provido de um afeto ora presente, ora distante, Hassan — o garoto pobre, dedica-se ao amigo Amir com todo o seu coração e também sua notável coragem, sendo constantemente admirado pelo pai do garoto rico.


Hassan — também conhecido como o garoto de lábio leporino — pode não ser rico, mas é muito corajoso, além de ser 'o melhor caçador de pipas', coisa que ele comprova em todos os campeonatos que são realizados na região, despertando ainda mais o apreço e admiração do pai de Amir, deixando o garoto rico ainda mais confuso e com sentimentos adversos. Tal que, em um dos campeonatos, para provar o seu apreço e carinho pelo amigo rico, Hassan passa por um momento do qual mudará a vida de todos, afastando-os por anos, deixando Amir envolto em culpa, até mesmo quando ele já está morando na América, anos depois.
Muito antes de o Exército roussi entrar no Afeganistão, muito antes de aldeias serem queimadas e escolas destruídas, muito antes de minas terem sido plantadas como sementes da morte e crianças serem enterradas em túmulos de pedras empilhadas, Cabul já tinha se tornado uma cidade fantasma para mim. Uma cidade de fantasmas de lábio leporino. (Livro: O Caçador de Pipas, Pág.133)
Amir se torna um conhecido e talentoso escritor. Ele se casa, constrói uma família. Contudo, a culpa perdura de forma intensa e solitária, pois ele guarda tudo que omitiu no passado consigo. Eis que ele tem a grande chance de se redimir, quando recebe uma ligação de um grande amigo da família, pedindo para que ele volte para o seu país de origem, para que dessa forma consiga provar sua coragem e apreço pelo amigo Hassan. Será uma luta difícil da qual ele poderá perder tudo o que conquistou até então. Ele agora tem a grande chance de ter a sua redenção, e, assim, tirar o peso que insiste persistir de forma excruciante em cima de seus ombros.
Outra costela fraturada, dessa vez abaixo e à esquerda. O engraçado era que, pela primeira vez desde o inverno de 1975, eu me sentia em paz. Ria por perceber isso. Em algum recanto escondido no fundo da minha mente, eu ansiava por isso. Lembrei-me daquele dia na colina em que atirei romãs em Hassan e tentei provocá-lo. Ele ficou parado, não fez nada, o sumo vermelho molhando sua camisa como sangue. Depois pegou a romã da minha mão e esmagou na própria testa. Está satisfeito agora  sussurrou.  Está se sentindo melhor? Eu não estava satisfeito e não me sentia melhor, de jeito nenhum. Mas agora, sim. Meu corpo estava arrebentado  só mais tarde eu saberia quanto , mas eu me sentia curado. Finalmente curado. E ria. (Livro: O Caçador de Pipas. Pág.270)
Agora cesso os meus comentários para não soltar spoilers. Mas adianto, eu disse apenas uma pequena parte do MAGNÍFICO conteúdo que o enredo leva consigo. E aviso, se você não curte enredos fortes, STOP! \o Afinal, o autor descreve os cenários e cenas com  verossimilhança, deixando-o ainda mais tocante, com coisas que sabemos que acontecem até hoje, algo que ele fez de forma magistral, pois no prefácio desta nova edição feita pela editora Globo, temos um aviso do autor com a semelhança entre ficção e sua vida, pois o mesmo retornou para Cabul depois de anos, encontrando sua cidade natal destruída. 

Eu chorei por diversas vezes durante a leitura, e, confesso, tive que parar por tantas outras para respirar, tal a dimensão e proporção de sentimentos que ela causou em mim. De fato essa leitura tocou o meu âmago de forma sem igual, e olha que eu já fui tocada por tantas outras leituras. Tenho que dizer que 1 dia após finalizar a leitura, corri para assistir a adaptação feita em 2007 para as telonas, eis que deixo o meu breve parecer...

Sobre "O Caçador de Pipas" (filme): 
Pois bem, se você apenas assistiu o filme, por tudo que é mais sagrado, LEIA O LIVRO!
Se você já leu o livro e ainda não assistiu o filme, ARRISQUE-SE!
Eu, particularmente, acho que deixaram de colocar muitas emoções que o livro leva consigo na adaptação, com uma produção inferior, sem contar que as cenas principais foram alteradas e algumas explicações ficaram a ver navios. Me perdoe, eu sou uma leitora assídua e cinéfila, e por mais que eu saiba que uma adaptação na telona nunca fica igual ao livro (mesmo porque muita coisa tem que ser cortada devido ao tempo restrito para edição), há de se fazer uma excelente adaptação na telona. Prova disso foi "A Menina Que Roubava Livros" e tantos outros. No mais, és um belíssimo filme!

Finalizando sobre o livro:
O enredo é divinamente escrito, narrado em primeira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação é simples, com folhas e espaçamentos na medida certa, em papel em pólen (o amarelinho); a revisão está excelente e sua nova capa é linda e de perder o fôlego, estampando um Amir ainda quando criança assustado atrás de um muro, com uma linda pipa de cor vermelha se esvoaçando pelos ares. Se você (assim como eu), curte enredos dramáticos e com uma transparente carga realística, eis essa MARAVILHOSA pedida. Eu me tornei fã de Khaled Hosseini e leria até mesmo a sua lista de compras. \o S2


Livro: O Caçador de Pipas
Autor: Khaled Hosseini
Gênero: Ficção Americana/Drama
Editora: Globo Livros
Ano: 2013
Páginas: 350

6 comentários

  1. Olá Si!
    Eu nunca parei pra ler esse livro, mas tenho muita curiosidade em conhecer. É um clássico e como tal nos mostra coisas do passado e tem uma carga emocional muito grande. Confesso que não sou de ler esse tipo de livro, mas quero muito me aventurar por ele. Adorei saber que ele foi um dos melhores para você Si. Pude sentir pelo sua resenha o quanto você gostou.
    Vou anotar com certeza a sua dica.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Su,
      Vai por mim, vale e muito a pena lê-lo. Mas, confesso, é uma leitura muito forte, com uma carga emocional maior do que as que estamos acostumadas a ler. Talvez por isso eu tenha gostado tanto, pois o escritor ousou por demais, transpondo sentimentos de forma verossímil, algo que, por sinal, acontece até hoje onde parte do enredo é narrado. Depois deste livro passei a questionar mais sobre o que tanto vemos na Tv e que, por fim, deixamos passar em branco. É lamentável!

      Beijossssssss

      Excluir
  2. Eu curtirrr.. E logo, logo o encaixarei em minha estante... Belas palavras, Simone.
    Bjo, gata!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Josy,
      Leia SIM! É uma leitura para corações fortes, porém, sem igual. Depois me conta o que achou.

      Beijosssssss

      Excluir
  3. Adorei a resenha! Estou aqui chorando com o filme... Rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem palavras, né, Bia?
      Sensacional mesmo!!! Esperava um pouco mais do filme. Mas o livro... S2

      Beijossssssss

      Excluir