19 de dez de 2016

[Falando em]: VOLTA, se houver motivo para voltar — de Ana Costa

Dias atrás a autora Ana Costa perguntou se eu tinha interesse em fazer parceria para resenhar o seu primeiro livro. Imediatamente fui pesquisar sobre o conteúdo e me dei conta de que era sobre a sua história. Confesso que isso me deixou com o pé atrás, pois raramente leio autobiografias. No entanto, alguma coisa me alertou: "Vá em frente, Simone! Você não vai se arrepender!". Eis a máxima: "Eu não me arrependi!". Pelo contrário, sou grata pelo belíssimo e surpreendente presente. Confiram agora a sinopse e resenha de "Volta, se houver motivo para voltar", uma publicação da editora Scortecci.


Sinopse: “Uma coisa é acontecer um fato desagradável na sua vida, outra coisa é acontecer uma sucessão de fatos ruins ao mesmo tempo. Qual o sentido disso? Seria o acaso no destino? Deve ter uma razão maior”. É o que pensa a autora, que sofreu Acidente Vascular Cerebral em novembro de 2014, o qual foi um marco impactante na sua trajetória. Em meio a lapso de memória, afasia, hemiparesia, demissão, separação, doutorado interrompido e sem perspectivas, o jeito foi se escudar contra o sofrimento e reconstruir a identidade. Sem ignorar as dores, ela delineou outras estradas, transformou perdas em ganhos, lutos em luta, e preencheu o vazio interno com amor ao próximo, realizações, afetos, reflexões e pela mais nova paixão: escrever. Com irreverência ela compartilha com o leitor, essas experiências de forma realista e simples. A narrativa é cativante, engraçada, provoca emoções, interesse pelo desenrolar dos fatos e especialmente, proximidade com a narradora.



"Porque sempre há de ter um motivo para voltar"





Envolvente! 
Divertido! 
Uma lição de vida!

Ousar escrever sobre si é algo desafiador. Eu, sinceramente, não sei se conseguiria. No entanto, a autora Ana Costa venceu esse desafio com esplendor. O livro mostra ao leitor pequenos relatos, em diversas época de sua vida. Contudo, o ponto crucial foi a partir de um trágico acontecimento, quando ela sofreu um AVC, e assim aconteceu uma sucessão de intempéries, ou seja, o desemprego, o fim de um relacionamento, a dificuldade em aceitar a sua nova condição com algumas restrições. 

O livro é dividido em 5 capítulos/partes: 
1) Perdas ou ganhos 
2) Travessia 
3) Vivências 
4) Percepção da infância 
5) Volta 

Com uma narrativa envolvente e poética, os acontecimentos de vida da autora são relatados em doses homeopáticas e de forma direta, sempre levando consigo um aprendizado, além de um bom humor contagiante (eu ri muito em alguns trechos). Apesar de todas tribulações por quais passou (e ainda passa), a autora remete o leitor para um lado positivo, deixando de lado as dificuldades e mostrando que até mesmo em momentos de tribulações podemos enxergar as coisas da melhor forma. Se você pensa que vai encontrar um livro de autoajuda insosso, PARE POR AQUI... Este, de fato, não é o caso. A propósito, assim que eu finalizei a leitura, entrei em contato com a autora e agradeci por ela ter escrito de forma tão pessoal.

Eu me identifiquei com muitos dos seus relatados, afinal, também estou passando por um momento bem difícil, parecia até mesmo que eu estava bem próxima a ela durante a leitura, ou até mesmo que eu fosse íntima dela , e o melhor de tudo foi que, além de ter tido uma leitura extremamente agradável, levo comigo alguns pensamentos fantásticos que foram expostos. EU REALMENTE PRECISAVA DESSA LEITURA! ANA COSTA É UMA GUERREIRA! 
Deus deu uma piscadela de olho e a chance de novas possibilidades: "Se houver motivo para voltar, volta e faça o seu destino". Imediatamente recobrei os sentidos. Então, com excesso de sudorese e tontura, pedi ajuda. (Livro: VOLTA, se houver motivo para voltar - Pág.16)
Na vida existe aquele que se aproxima e aquele que se afasta. Ele veio e ele foi. Mas enquanto ele partiu com suas dúvidas, fiquei com minhas certezas, reconstruindo meu universo. Isso me aquieta. (Livro: VOLTA, se houver motivo para voltar - Pág. 26)
Existem ocasiões em que a gente aprende ou aprende. Se não for pelo amor será pela dor. A lição de tudo isso é que a vida é lacônica e depende de permissões. Se não nos permitimos, não há vida a ser vivida , seja ela, com acertos, desacertos ou imprevistos. (Livro: VOLTA, se houver motivo para voltar - Pág.30)
Detalhe, não só o permiti voar como fotografei o evento.  Haja coração.
Ele dava voos rasantes; eu acenava e gritava:
 Volta!
A "criatura" dava tchauzinho e subia tão alto que ficava quase imperceptível. Sua felicidade era radiante e isso me aquietava. 
Liberdade, segurança e amor, são ingredientes básicos para alguém ser feliz. Então, vai filho, lute e desafia a sua liberdade, seja ousado, porque a vida exige ousadia, vença seus limites e temores, se houver. (Livro: VOLTA, se houver motivo para voltar - Pág.103)

O livro é narrado em primeira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação é simples, com fontes e espaçamentos em excelentes medidas, adornado em papel offset (o branquinho); e sua capa é bonita e inspiradora, estampando um dos trechos da obra, sendo este o último quote inserido na resenha. Por fim, uma excelente leitura que eu mega, ultra, max indico. \o
  
Livro: Volta, se houver motivo para voltar
Autora: Ana Costa
Gênero: Autobiografia
Editora: Scortecci
Ano: 2016
Páginas: 134

Nenhum comentário

Postar um comentário