12 de fev de 2017

[Falando em]: Brida — de Paulo Coelho

E novamente trago uma resenha de um livro do  autor Paulo Coelho. Desta vez vou falar de outra obra mundialmente conhecida e que anos atrás foi adaptada como telenovela por uma extinta emissora brasileira. Agora confira a sinopse, book trailer fanmade e resenha de "Brida", uma publicação da editora Rocco


Sinopse: O livro conta a história de Brida O' Fern, uma irlandesa de 21 anos em busca da magia e dos poderes ocultos. Durante sua busca, Brida conhece um mago, que promete ensiná-la através da Tradição do Sol, que explica tudo através da natureza e de suas manifestações divinas. Mas Brida toma, na verdade, como mestra, Wicca, uma bela mulher que lhe ensina através da Tradição da Lua, a antiga Tradição das Bruxas, que explica o Universo através da Sabedoria e do Tempo. Sua evolução espiritual e sua busca pela Outra Parte (a famosa alma gêmea) estão retratadas neste livro emocionante e tão interessante quanto os outros livros do autor  segue contudo, o estilo altamente "místico" como "O Diário de um Mago" e "O Alquimista".





"Porque todos anseiam encontrar a sua Outra Parte" 

Uma evolução espiritual!

O enredo gira em torno de Brida O' Fern, uma irlandesa de 21 anos que mora em Dublin. E como toda jovem já teve seus momentos de alegrias e tristezas. Porém, agora, anseia em evoluir espiritualmente. Ela namora com Lorens, o qual acredita ser a sua Outra Parte, e acaba conhecendo o Mago de Folk, com quem se encontra pela primeira vez para tirar algumas dúvidas, pois quer trilhar o caminho da magia.
Talvez você queira aprender magia porque ela é misteriosa e oculta. Porque tem respostas que poucos seres humanos conseguem encontrar em sua vida inteira. Mas, sobretudo, porque ela evoca um passado romântico. (Livro: Brida, Pág. 19)
Além da possibilidade de evocar o seu passado romântico, ela poderá aprender sobre a Tradição do Sol e a Tradição da Lua. E, por fim, saber qual dos dois caminhos seguir. O que ela não faz ideia é que sua Outra Parte é justamente aquela a quem procurou, ou seja, o Mago de Folk. Ele, porém, não pode revelar isso a ela, pois no passado cometeu um grande erro e fez um acordo de que se encontrasse a sua Outra Parte nessa encarnação, teria de deixar com que ela descobrisse sozinha, além de não se intrometer no destino que ela escolher trilhar. E dentro de uma livraria  digamos assim  um tanto esotérica, ela consegue o endereço de Wicca, a mulher que a guiará para este caminho. Brida passa a ser uma de suas discípulas.
 Preste atenção, menina  disse Wicca com severidade.  Todos os dias a partir de hoje, numa hora que você irá escolher, fique sozinha e abra o baralho de tarot sobre a mesa. Abra ao acaso, e não procure entender nada. Apenas contemple as cartas. Elas, no devido tempo, vão lhe ensinar tudo que você necessita saber no momento. (Livro: Brida, Pág.47)
Brida começa a trilhar um caminho sem volta, do qual vai aprender muitas coisas e se redescobrir. O namorado, Lorens, a apoiará em tudo, mesmo sabendo que pode perdê-la. E o Mago de Folk continuará ansiando para que ela o enxergue como sua Outra Parte e o tire da solidão que foi condenado. Inicialmente ela pensava em sua Outra Parte, porém ao aprender tantas lições e estar cada vez mais evoluída espiritualmente, vai deixando em segundo plano o amor. Brida quer tornar-se uma bruxa. 
 Não tenho medo do meu Dom  respondeu Brida.  Sei para onde vou, sei o que tenho de fazer. Sei que alguém me ajudou. (Livro: Brida, Pág.275)
Agora cesso os meus comentários para não soltar mais spoilers.  

Lembro-me de ter lido este (e alguns outros livros do autor) há mais de duas décadas. Na época eu gostei muito, mas, com o tempo, o meu gênero literário mudou. Acho que a narrativa do autor não me agrada tanto. Este é um dos seus textos antigos, estou curiosa para ler um texto dele atual, pois quero ver se tem alguma diferença e se, de alguma forma, me envolverá. Paulo Coelho escreve sobre aquilo que conhece, mas eu me senti como se estivesse lendo um manual, desta vez sem tantas frases de efeitos e não parecendo um livro de autoajuda. 

Eu já li outros livros que tem como base bruxas, deuses celtas... E gostei de todos, com enredos bem desenvolvidos e que não se parece com um manual de instruções. Mas eu não posso deixar de dizer que gostei da ideia do livro: com uma garota a procura do seu Dom, ansiando por sua Outra Parte e a caminho de sua evolução espiritual. É claro que houve alguns trechos que me envolveram, sempre com um fundo de reflexão. O que realmente me incomodou foi a narrativa, pois foi um tanto repetitiva e enfadonha, além do final que (novamente) não me cativou. Isso não quer dizer que eu não venha a ler mais textos do autor, e reforço que o que pode ser ruim para mim, pode ser bom pra você.

O enredo é narrado em terceira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação é simples (numa antiga edição), com fontes e espaçamentos em bom tamanho, adornada em papel pólen (o amarelinho); e a capa estampa uma fogueira, ou seja, a fogueira que despertara Brida para uma nova vida. 


Livro: Brida
Autor: Paulo Coelho
Gênero: Romance
Editora: Rocco (edição 70)
Ano: 1993
Páginas: 286

Nenhum comentário

Postar um comentário