25 de jan de 2016

[Falando em]: Estrelas Cadentes Não Dizem Adeus — de J.A. Marcos

Colocar sentimentos em palavras é algo que muito aprecio, e este livro era um dos que eu tanto queria ler, pois desde que dei de cara com o título e sinopse, me apaixonei. S2 Eis que a minha editora presenteou-me com este título. P.S: Obrigada, Nan! S2 Aliás, J.A Marcos é pseudônimo de Marcos Ferreira  e, por sinal, ele é um amigo de editora. Portanto, confiram a sinopse, book trailer e resenha deste entorpecente e lindo enredo chamado "Estrelas Cadentes Não Dizem Adeus".


Sinopse: Emily é uma jovem de 23 anos, professora de história, que mora com seus pais e seu irmão caçula. Tudo seria perfeito em sua vida se não houvesse um pequeno detalhe: ela é cega. Mesmo assim, se tornou uma garota independente, que em meio as dificuldades conseguiu superar o fato de não enxergar e leva uma vida normal. Porém, Emily ainda possui dificuldade em conseguir manter seus relacionamentos amorosos, devido aos preconceitos em relação a se envolver com homens que se diferenciem de seu estilo de vida. Mas o destino colocará Mathew em seu caminho, seu mais novo vizinho. Jovem, bonito, com sede de viver. Com 21 anos, Mat adora andar em sua moto, tem uma tatuagem que toma todo o seu braço e acaba de se encantar pela beleza rara de Ems.
Ela é tudo que ele sempre quis, ele é o oposto de tudo que ela sempre imaginou querer.
Um romance divertido, com pitadas de humor e um pouco de drama. Uma grande lição de vida, mostrando em seu contexto as dificuldades de se viver em uma sociedade que não está preparada para abraçar as pessoas com deficiência. “Estrelas cadentes não dizem adeus" traz uma história envolvente, narrada sobre o ponto de vista da própria protagonista, com um final surpreendente, capaz de fazer você se emocionar, torcer e chorar.




"Porque até mesmo uma estrela cadente não pode dizer adeus..."




Apaixonante!
Verossímil!
 Uma lição de vida!

Eu poderia adjetivá-lo de tantas outras formas, mas deixo apenas esses três itens.
Essa é uma história de superação e amor, desenvolvida para aqueles providos de coração e que curtem um enredo narrado de forma simples e rico em sentimentos.

Emily Mondini   ou Ems   tem 23 anos. Ela nasceu com deficiência visual. Porém, por um curto período de meses, quando fez uma cirurgia ainda criança, pôde enxergar. Criada para ser independente, segue sua vida como qualquer garota da sua idade, é claro que com algumas restrições devido à sua condição, e tem como companhia constante Adolfo, seu cão-guia, e também sua unida e amável família. No entanto, vez ou outra, ela se depara com situações constrangedoras e preconceituosas por parte de outras pessoas.
Alguns pais não acreditam que uma deficiente visual tenha capacidade de dar aulas. Eles não entendem que a verdadeira sabedoria é muito maior do que os olhos podem ver, ela vem de dentro. (Livro: Estrelas Cadentes Não Dizem Adeus, Pág.13)
Apesar da sua deficiência, ela encara a vida de forma positiva, fazendo muitas vezes de sua condição uma piada. E mesmo mostrando-se forte e transparecendo uma pessoa sem tabus e prejulgamentos, ela é uma garota cheia de preconceitos com si própria e também com os outros. Eis que ela se depara com Mathew  ou Mat  como é conhecido, que na verdade é o seu mais novo vizinho. Ele é um rapaz dois anos mais novo que ela, além de lindo, sedutor, divertido, cheio de vida, com tatuagem e que tem uma moto da qual não desgruda, algo que ela encara com hostilidade e prenoção, especialmente pela diferença de idade, que apesar de pouca, para ela é grandiosa.

Contudo, como a afirmativa que 'os opostos se atraem e os dispostos se distraem', surge um avassalador interesse... Mat apresenta a Ems uma vida sem limitações, fazendo com que ela se sinta mais viva, deixando-a apaixonada por ele, algo que é mútuo, pois ele também se apaixona logo de cara por ela, quando se esbarraram pela primeira vez em um parque, onde ele sequer desconfia que ela é uma deficiente visual.
Primeiro foram as flores, aguçando meu olfato e me fazendo ficar com o cheiro dele impregnado na minha memória. Em seguida me mostrou como é bom ter o sangue correndo nas veias, me aventurando naquela moto, minha pele sentiu aquelas  sensações de arrepio, emoção, sensações diversificadas. Agora ele apurou minha audição, colocando uma música legal e me fazendo escutar ela calmamente, enquanto ele colava o corpo dele junto ao meu e me fazia querer ficar agarrada a ele durante todo o tempo. (Livro: Estrelas Cadentes Não Dizem Adeus, Pág.51)
A partir daí Ems e Mat começam a se envolver... E ambos apresentam uma nova perspectiva de vida... Ela quebrando os seus paradigmas devido a sua deficiência, e ele entrando de cabeça nesse novo mundo, tentando sentir as coisas como Emily sente, ou seja, enxergando a vida com o tato, olfato, paladar, audição e coração. Desta forma, o envolvimento se torna sério, e em um jantar importante do qual Ems é convidada para conhecer a família de Mat, ela passa por uma situação constrangedora e humilhante, em que o pai dele é o protagonista, deixando-a a questionar-se sobre muitos pontos e afastando-os. No entanto, o amor verdadeiro fala mais alto, vencendo as dificuldades e dúvidas e unindo-os por mais uma vez.
  Eu já te disse que você é a minha estrela?   Perguntei, enquanto a minha cabeça estava em seu ombro e ele acariciava os meus cabelos.
  Já, sim   ele respondeu me beijando.   Sou a estrela cadente da sua vida, que caiu uma vez e causou o maior estrago.
  No início até que causou um estrago mesmo   eu respondi rindo.   Mas no final só trouxe luz para o meu caminho.
  Não é meio estranho você dizer que eu só trouxe luz quando você não enxerga?   Ele perguntou com voz de dúvida.
 Meu coração estava escuro, sem esperança de amar de novo. Você o iluminou, trouxe um novo sentido à minha vida. Meus olhos não enxergam, mas meu coração sim, e você trouxe a luz que eles tanto buscavam. (Livro: Estrelas Cadentes Não Dizem Adeus, Pág.205)


Eles tomam uma nova e importante decisão, mas algo (que eu não vou contar aqui) terrível acontece, novamente separando-os. Agora cesso os meus comentários, pois não quero soltar spoilers (vocês precisam ler).


Essa é mais que uma história de amor... Trata-se de uma lição de vida, onde os protagonistas são dois jovens com sua dúvidas e certezas, amores e desamores. Adornado com uma narrativa entorpecente, onde destaco que achei 'no estilo John Green', o enredo carrega consigo um lindo conteúdo, onde o leitor vai dar de cara com muitas cenas românticas e divertidas, além de um bom drama. O Marcos criou protagonistas bem reais e encantadores, algo que admiro demais em um texto, deixando o enredo o mais verossímil possível  e até mesmo os antagonistas têm uma participação especial para/com a trama.

Eu me apaixonei perdidamente pelo Mat, pois além de lindo e encantador, ele é o tipo de personagem que impulsiona o leitor a querer tê-lo por perto, com seu otimismo e sua gana em fazer acontecer... Assim como a Ems, que apesar de me irritar com a diferença de idade que ela enxerga absurda e que eu sequer achei uma diferença de idade, é uma garota forte, com suas dúvidas devido à sua condição, mas que ao se deparar com o verdadeiro amor, luta com unhas e dentes por ele, até mesmo quando a esperança parece cessar. Aliás, tenho que dizer que amei a maneira como foi abordada à trama, dando ênfase para as dificuldades e medos que um deficiente visual têm  e, por isso, por tantas vezes me coloquei no lugar da Emily.

Este é um enredo narrado de forma simples e de muito bom gosto, com tiradas divertidas e um drama que tocou o meu âmago. Fiquei entorpecida por todo o seu conteúdo, pois o Marcos soube envolver o leitor como ninguém, apresentando um conteúdo com conteúdo. Nos capítulos finais quase morri, pois foi emocionante e surpreendente, levando consigo um belíssimo propósito (como eu amo autores que se preocupam em levar um propósito para/com os seus textos). Eu simplesmente AMEI! E de fato tornei-me a mais nova fã do Marcos... E digo mais: eu leria até mesmo a sua lista de compras. \o hehehe

O enredo é narrado em primeira pessoa, com diálogos e narrativa de fácil compreensão; sua diagramação é simples, com espaçamento e fontes na medida certa; a capa é bonita e condiz com o enredo, estampando o casal protagonista em um de seus momentos; Por fim, para você que é apreciador(a) de uma linda história de superação e amor, eis uma maravilhosa pedida.

P.S: Ainda no final do livro, o autor brinda o leitor com o primeiro capítulo do seu próximo enredo, que não tem nada a ver com este e terá como título: "Lagartas Não Sabem Voar". Eu mega amei! \o


Livro: Estrelas Cadentes Não Dizem Adeus
Autor: J.A. Marcos
Gênero: Romance
Editora: Tribo das Letras (Selo Métrica)
Ano: 2015
Páginas: 278

2 comentários

  1. Siiiiiiiiiii

    para pelo amor. Eu preciso desse livro para ontem. Pior é que já falei com o autor kkk, mas só vou pagar dia e até esse livro chegar aqui eu já enlouqueci, sério isso. Vou ver se marido paga kkk.

    Eu necessito desse livro como de respirar.

    Nem vou fala da sua resenha pq to querendo chorar aqui e isso não vai dar certo.

    Gente história boa é história assim, que esfaqueia nosso coração. O vida. Vida ingrata amar esses autores que só nos fazem sofrer.

    Beijosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fer,

      Eu tenho certeza que você vai amar todo conteúdo. Não tem como não amar. S2 Aliás, já estou louca para saber a sua opinião. Compra ele logo. \o hahaha

      Beijosssssss

      Excluir