24 de fev de 2016

[Quote]: Dezesseis, A Estrada da Morte

Porque esse GIF está tão Johnny e Ana Cláudia. S2


Johnny colocou-se em cima do meu corpo, foi quando notei o seu desejo incontido, pulsando de forma vigorosa dentro de sua calça, e com os lábios encostados aos meus, declamou um poema que eu amava, de Luís de Camões.

Amor é fogo que arde sem se ver; 
É ferida que dói e não se sente; 
É um contentamento descontente; 
É dor que desatina sem doer; 
[mordiscou a ponta da minha orelha] 

É um não querer mais que bem querer; 
É solitário andar por entre a gente; 
É nunca contentar-se de contente; 
É cuidar que se ganha em se perder; 
[depositou um beijo no meu pescoço] 

É querer estar preso por vontade; 
É servir a quem vence, o vencedor; 
É ter com quem nos mata lealdade. 
[deu um rápido selinho nos meus lábios] 

Mas como causar pode seu favor 
Nos corações humanos amizade, 
se tão contrário a si é o mesmo Amor? 
[beijou-me com querer] 

(Soneto 11 – Luís de Camões) 


 Johnny...  sussurrei, demonstrando minha excitação.

Ele continuou me beijando com querer, percorrendo uma de suas mãos sobre o meu corpo. Instantes depois colocou sua mão por dentro da minha blusa.

 Ana, você é o meu fogo que arde sem se ver... É a minha ferida que dói e não se sente.  sussurrou tão ofegante quanto eu, segurando um de meus seios cobertos pelo sutiã. Senti uma chama sobrenatural percorrendo o meu corpo.


Inspirado na canção “Dezesseis” — da banda brasileira Legião Urbana — este é um enredo de amor recheado com muitas aventuras. 


**A VENDA EM FORMATO FÍSICO, CLICANDO AQUI.

Nenhum comentário

Postar um comentário