11 de jun de 2017

[Quote]: Lua Nova — de Stephenie Meyer

Nunca vi nada mais lindo  mesmo enquanto eu corria, ofegando e gritando, pude perceber. E os últimos sete meses nada significaram. E não importava se ele não me quisesse. Eu jamais desejaria nada a não ser ele, não importa o quanto vivesse.

O relógio bateu e ele deu um longo passo para a luz.

 Não!  gritei.  Edward, olhe para mim!

Ele não ouvia. Sorria de modo muito sutil. Levantou o pé para dar o passo que o colocaria diretamente sob o sol.

Eu me choquei contra ele com tanta intensidade que a força teria me atirado no chão se os braços dele não tivessem me agarrado e segurado. Perdi o fôlego e minha cabeça pendeu para trás.

Seus olhos escuros se abriram devagar enquanto o relógio soava novamente. 

Ele olhou para mim numa surpresa muda.

 Incrível!  disse ele, a linda voz cheia de admiração, um tanto divertida.  Carlisle tinha razão.

 Edward  tentei dizer, ofegante, mas minha voz não saía.  Você tem de voltar para a sombra. Tem de sair daqui!

Ele parecia bestificado. Sua mão afagou meu rosto com delicadeza. Ele não pareceu perceber que eu tentava obrigá-lo a voltar. Eu podia estar empurrando as paredes do beco, a julgar pelo progresso que fazia. O relógio soou, mas ele não reagiu.

Foi muito estranho, porque eu sabia que nós dois corríamos um risco mortal. Ainda assim, naquele instante, eu me senti bem. Inteira. Pude sentir meu coração batendo no peito, o sangue pulsando quente e rápido por minhas veias de novo. Meus pulmões encheram-se do doce aroma que vinha da pele dele. era como se nunca tivesse havido um buraco em meu peito. Eu estava perfeita  não curada, mas como se nunca tivesse havido nenhuma ferida. 

 Nem acredito em como foi rápido. Não senti nada... Eles são muito bons  refletiu ele, fechando outra vez os olhos e apertando os lábios contra meu cabelo. A voz dele era como mel e veludo.  A morte, que sugou todo o mel de teu doce hálito, não teve poder nenhum sobre tua beleza  murmurou ele, e reconheci a fala de Romeu junto ao túmulo. O relógio soou sua última badalada.  Você tem exatamente o mesmo cheiro de sempre  continuou.  Então talvez isso seja o inferno. Não me importo. Eu aceito.

 Não estou morta  interrompi.  Nem você! Por favor, Edward, temos de sair daqui. Eles não devem estar longe!

Lutei em seus braços e sua testa se franziu de confusão.

 O que foi isso?  perguntou ele educadamente.

 Não estamos mortos, ainda não! Mas temos de sair daqui antes que os Volturi...

A compreensão faiscou em seu rosto enquanto eu falava. antes que eu pudesse terminar, ele de repente me puxou da beira da sombra e me girou sem esforço, pondo-me atrás dele, com as costas coladas à parede de tijolos, enquanto olhava o beco. Seus braços se abriram, protetores, na minha frente.

[Livro: Lua Nova, Páginas 321 e 322]


P.S: Porque esse é o meu queridinho da Saga Twilight... ♥♥♥

Nenhum comentário

Postar um comentário